sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Rádio Imperial comemora hoje 54 anos de existência

Tribuna de Petrópolis - 20/01/2012

A Rádio Imperial de Petrópolis, única AM da cidade e que opera na faixa 1550, completa hoje 54 anos. Sob a administração da Mitra Diocesana desde meados da década de 90 e com direção do padre José Augusto Carneiro, o padre Jac, desde maio de 1999 é uma rádio comercial de filosofia católica. Nesta sexta, todos os programas estarão em festa, comemorando a data com sorteios de brindes entre os ouvintes. No domingo, será celebrada Missa em Ação de Graças, às 18h30, na Catedral São Pedro de Alcântara.
As comemorações deste ano contarão ainda com o Torneio Rádio Imperial 54 Anos, na categoria sub-13 do futsal. A disputa terá a participação de times das comunidades, na sede esportiva do Petropolitano Futebol Clube, no Valparaíso, com início às 9h. Haverá premiação para o time campeão, para a melhor torcida e o Troféu Disciplina. O evento contará também com apresentação da Banda Marcial Professor Amadeu Guimarães, do Colégio São José.
“O destaque da rádio são as ações sociais. Em março teremos pelo oitavo ano seguido o Sábado Solidário, que tem mobilizado e motivado as pessoas para as campanhas de arrecadação. Outras iniciativas importantes durante o ano são o Show de Homenagem às Mães, quando ajudamos a Pastoral da Criança, e o Show de Natal, quando distribuímos os convites nas paróquias para ser trocados por alimentos. E ainda tem o Inverno com Mais Calor Humano, que vai além da doação de cobertores, mas pede mais atenção aos necessitados”, destacou o padre Jac.
A maioria dos programas atuais é popular e dialoga com o público fiel. Entre eles estão o Tarde Total com Jorge Luís Rosa Carneiro; Giro pelas Paróquias; Alô Rosemarie; Plantão da Solidariedade (segunda a sexta de 11h30 às 12h30), com o padre Jac; e Super Manhã Imperial, com Beth Graebner. “Conseguimos muitas cadeiras de rodas, muletas. O ouvinte de AM é muito atento e fiel. Grande parte está sempre em contato, participando dos programas por telefone”, ressalta o diretor da rádio, padre Jac.
Dois desses ouvintes são muito assíduos. Vera Carneiro, moradora do Valparaíso, é deficiente visual, mas não deixa de ouvir a Rádio Imperial. O torneiro mecânico Anésio da Silva Marcelino, morador da Vila Felipe, também está sempre em contato. “Comecei a participar em 2000 e desde lá eu não parei. Sou colaborador de muitos programas”, declarou ele, que disse já ter oferecido o seu  serviço para ajudar uma associação que precisava.
Criada como Rádio Quitandinha, na década de 40, para rivalizar com a Rádio Difusora, ela veio junto com o dinheiro trazido pelo cassino do hotel de mesmo nome. Passando posteriormente ao Sistema Globo de Rádio, a estação viveu o seu auge promovendo shows na praça Paulo Carneiro, próxima à sua antiga sede na Rua Marechal Deodoro, 192 – 7º andar. A rádio formou vários locutores e foi escola para vários profissionais que trabalharam no Rio de Janeiro como Paulo Giovanni, Paulo Aguiar, Paulo Barbosa, Adilson Couto e Garcia Duarte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário