sexta-feira, 6 de janeiro de 2012

Nova agência do Banco do Brasil será aberta ao público nesta segunda

Tribuna de Petrópolis - 06/01/2012

A nova agência do Banco do Brasil, no número 734 da Rua do Imperador, é maior – tem 1100m² – e é adaptada ao atendimento de deficientes físicos
A tradicional agência do Banco do Brasil que funciona na esquina da Rua do Imperador com a Alencar Lima fecha as suas portas hoje, às 15h. Já na segunda-feira, a nova agência do número 734 da principal via do Centro Histórico será inaugurada e funcionará no horário normal. No fim de semana, o prédio antigo estará fechado e os caixas eletrônicos não funcionarão. Segundo o banco estatal, a mudança prioriza a acessibilidade e maior conforto aos clientes e usuários. As novas dependências contam com elevador, rampa de acesso e corrimões e possuem mais de 1100m², ampliando a capacidade de atendimento.
Ainda de acordo com o Banco do Brasil, a nova localização promoverá também uma melhor distribuição dos pontos de atendimento do banco em Petrópolis. Para os próximos dias, o BB aponta seis locais alternativos para os clientes: Agência Petrópolis (Rua Paulo Barbosa, 81), Agência Cidade Imperial (Rua do Imperador, 1085), Agência Itaipava (Estrada União e Indústria, 11.000), Mais BB (Edifício Profissional – Centro), Mais BB (Galeria Vila Rica – Paulo Barbosa) e Banco Postal (Agência Central dos Correios).
A mudança não implicará em nenhum tipo de recadastramento ou transferência de contas por conta dos clientes, e o número da agência – 2885/1 – fica mantido. Por se tratar de um imóvel tombado pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac) desde 1991, o prédio antigo não pode receber intervenções estruturais e não há previsão para o uso do edifício histórico. Especula-se que ali possa ser instalado um Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), que já funciona com sucesso no lugar de antigas agências do Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília.
O prédio do número 940 da Rua do Imperador foi inaugurado em 1928 para servir de sede ao Banco de Petrópolis, em terreno onde esteve erguido o Hotel Bragança, demolido no início do século XX. O banco em questão fechou três anos depois e o prédio foi adquirido pelo Banco do Brasil, que começou a utilizá-lo em 1932. O projeto da construção é datado de 1926 e foi concebido pelo engenheiro João Glasl Veiga, que também trabalhou nas obras da Catedral São Pedro de Alcântara e é autor do marco comemorativo da inauguração da Estrada Rio-Petrópolis, nas Duas Pontes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário