sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Botafogo, na Libertadores após 18 anos

O Botafogo está de volta à disputa da principal competição continental após 18 anos da sua última participação. Era o maior afastamento entre os 12 grandes clubes. Da Libertadores de 1996, ficou na lembrança o gol de calcanhar de Túlio contra o Universidad Católica. Outro ponto pode se assemelhar ao campeonato do ano que vem: técnicos de pouca rodagem. Eduardo Húngaro, egresso das categorias de base de General Severiano, assume o time. Na última aparição, passaram pelo comando do alvi-negro Marinho Peres e Ricardo Barreto.

O ex-zagueiro Marinho Peres, titular da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1974, iniciou a carreira de técnico pelo América em 1981. No Brasil, passou ainda por Santos e União São João e treinou os times portugueses Vitória de Guimarães, Belenenses e Sporting. Depois do Botafogo, esteve à frente também do Marítimo, de Portugal, Aviação, de Angola, Juventude, Paysandu, novamente o Santos e da Seleção de El Salvador.

Ricardo Barreto fez carreira em clubes pequenos do Rio, como América, Bangu, Entrerriense, Arraial do Cabo, Angra dos Reis, América de Três Rios. Treinou também o Paysandu, Ceará e Moto Clube. Ele levou o Bonsucesso de volta à elite do Campeonato Carioca de 2014.

Campanha dos técnicos em 1996:
Marinho Peres (5 jogos)
13/03 - Corinthians 3x0 Botafogo
26/03 - Botafogo 4x1 Universidad Católica
03/04 - Botafogo 1x1 Corinthians

09/04 - Universidad Católica 2x1 Botafogo
12/04 - Universidad de Chile 2x1 Botafogo


Ricardo Barreto (3 jogos)
19/04 - Botafogo 3x1 Universidad de Chile
01/05 - Botafogo 1x1 Grêmio
08/05 - Grêmio 2x0 Botafogo

Links para matérias com Ricardo Barreto e a inexperiência de Eduardo Húngaro:

quarta-feira, 31 de julho de 2013

Maxwell na Seleção Brasileira

Maxwell está de volta à Seleção após nove anos da primeira convocação
Nessa terça-feira, Felipão convocou a Seleção Brasileira para o amistoso contra a Suíça no dia 14 de agosto, na Basiléia. Foram 20 nomes, sendo 19 integrantes da campanha vitoriosa na Copa das Confederações. Ficaram de fora Diego Cavaliéri, Réver, Filipe Luís e Jádson. A novidade da vez foi o lateral-esquerdo Maxwell, jogador do Paris Saint Germain. Aos 31 anos, ele recebe a sua segunda chance no time principal.

O lateral do PSG foi chamado por Carlos Alberto Parreira para dois jogos das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2006. Integrou o time nos confrontos contra a Venezuela e a Colômbia em outubro de 2004. Não entrou em campo, tendo ficado na reserva de Roberto Carlos.

Maxwell também teve passagem pela Seleção Sub-23 que não obteve vaga nas Olimpíadas de Atenas, em 2004. Fez 8 jogos entre 2003 e 2004 sob o comando de Ricardo Gomes. Foi titular no Torneio Pré-olímpico disputado no Chile, mas acabou perdendo a posição nas partidas finais para Wendell, hoje no Vasco. Nas duas ocasiões em que foi convocado, seleção principal e Sub-23, Maxwell era jogador do Ajax. Veja a lista de jogos:

15/11/2003 - São José do Rio Preto (SP) - Brasil 2x0 Corinthians - Amistoso
18/11/2003 - Santos (SP) - Brasil 3x1 Santos - Amistoso
07/01/2004 - Concepción (Chile) - Brasil 4x0 Venezuela - Pré-Olímpico
09/01/2004 - Concepción (Chile) - Brasil 3x0 Paraguai - Pré-Olímpico
11/01/2004 - Concepción (Chile) - Brasil 1x1 Uruguai - Pré-Olímpico
15/01/2004 - Concepción (Chile) - Brasil 1x1 Chile - Pré-Olímpico
18/01/2004 - Valparaíso (Chile) - Brasil 3x0 Colômbia - Pré-Olímpico
21/01/2004 - Valparaíso (Chile) - Brasil 0x1 Argentina - Pré-Olímpico

Seleção Principal
09/10/2004 - Maracaibo (Venezuela) - Brasil 5x2 Venezuela - Eliminatórias para Copa do Mundo 2006
13/10/2004 - Maceió (AL) - Brasil 0x0 Colômbia - Eliminatórias para Copa do Mundo 2006

Link para matéria do UOL sobre a primeira convocação:
http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas/2004/09/23/ult59u87576.jhtm

terça-feira, 30 de julho de 2013

Luxemburgo no Fluminense em 1986

Vanderlei Luxemburgo assumiu hoje o comando do Fluminense, substituindo Abel Braga. O treinador carioca, que já esteve á frente do Grêmio nesse Campeonato Brasileiro, no entanto, não fará a sua primeira partida como técnico do tricolor amanhã. Em duas ocasiões, Luxa foi o comandante interino da equipe em 1986 e 1987.

Primeiro, foi o técnico em uma excursão pela Europa entre julho e agosto de 1986. Nelsinho Rosa havia saído e Antônio Lopes deixou o Vasco para assumir o time na volta da viagem. Vanderlei era o técnico dos juniores e foi chamado para a missão internacional, contando com alguns jogadores emprestados pelo Bangu numa época em que os clubes brasileiros excursionavam bastante. Foram 12 jogos, com 4 vitórias, 5 empates e 3 derrotas, uma delas para Real Madrid. Detalhe, a excursão rendeu 300 mil dólares aos cofres das Laranjeiras.

Depois, comandou o time em uma partida do Campeonato Brasileiro de 1986, mas que foi disputada já no ano seguinte, no dia 28 de janeiro de 1987. Na ocasião, substituiu o técnico Antônio Lopes, que não pode viajar a Salvador para enfrentar o Vitória. O tricolor perdeu de 2x1 na Fonte Nova. O gol foi anotado por Marcão e o Fluminense teve a seguinte formação: Ricardo Cruz; Aldo, Rangel, Alexandre Torres e Renato Martins; Rogério (Paulinho Andreoli), Édson Souza e Assis; Renê, Marcão e João Santos (Galvão).

Veja a lista de jogos da excursão pela Europa:

30/07/1986 - Genebra, Suíça - Flu 2x1 Servette (SUI) - Amistoso
01/08/1986 - La Línea, Espanha - Flu 1x1 Sporting Gijón (ESP) - Torneio de La Línea
03/08/1986 - La Línea, Espanha - Flu 0x2 Real Madrid (ESP) - Torneio de La Línea
06/08/1986 - Manchester, Inglaterra - Flu 0x0 Manchester United (ING) - Amistoso
15/08/1986 - ? - Flu 12x1 Tarancon (ESP) - Amistoso
16/08/1986 - Segóvia, Espanha - Flu 8x0 Deportivo Segóvia (ESP) - Amistoso
18/08/1986 - Zurique, Suíça - Flu 0x0 Grasshopper (SUI) - Torneio de Zurique
20/08/1986 - Zurique, Suíça - Flu 0x1 Bayern de Munique (ALE) - Torneio de Zurique
21/08/1986 - Brescia, Itália - Flu 1x0 Brescia (ITA) - Amistoso
23/08/1986 - Vigo, Espanha - Flu 0x0 Valladolid (ESP) - Torneio de Vigo
24/08/1986 - Vigo, Espanha - Flu 1x2 Celta (ESP) - Torneio de Vigo
26/08/1986 - Barcelona, Espanha - Flu 2x2 Rayo Vallecano (ESP) - Amistoso

terça-feira, 16 de julho de 2013

Brasileiros na final da Libertadores da América

Brasil tem 32 finais da Libertadores desde 1961
Após um longo e tenebroso inverno, estou de volta ao blog. Como os amigos mais próximos sabem, desde fevereiro de 2012, estou como estagiário na TV Globo, mais precisamente no Cedoc. Desde então fiquei longe deste espaço, com o tempo diminuído, uma breve passagem por Niterói e com residência dividida entre Rio de Janeiro e Petrópolis há mais de um ano. Fiquei procurando um assunto que motivasse a tal falta, mas continuei adiando. Agora, surgiu, talvez.

O Atlético Mineiro está na final da Libertadores da América pela primeira vez e vai em busca do título inédito com o time capitaneado por Ronaldinho Gaúcho. Assim, todos os 12 grandes clubes nacionais somam a final continental ao seu currículo, menos o Botafogo. Outro dado interessante é que dos quatro centros mais importantes do futebol brasileiro (Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais e Rio Grande do Sul), é o nosso estado que menos compareceu: três vezes somente. Vamos a lista.

São Paulo - 1974, 1992, 1993, 1994, 2005, 2006 (6)
Palmeiras - 1961, 1968, 1999, 2000 (4)
Santos - 1962, 1963, 2003, 2011 (4)
Cruzeiro - 1976, 1977, 1997, 2009 (4)
Grêmio - 1983, 1984, 1995, 2007 (4)
Internacional - 1980, 2006, 2010 (3)
Flamengo - 1981 (1)
Vasco da Gama - 1998 (1)
São Caetano - 2002 (1)
Atlético Paranaense - 2005 (1)
Fluminense - 2008 (1)
Corinthians - 2012 (1)
Atlético Mineiro - 2013 (1)

São Paulo - 16 finais
Rio Grande do Sul - 7
Minas Gerais - 5
Rio de Janeiro - 3
Paraná - 1