sexta-feira, 25 de março de 2011

Bolsa de bebê escondia papelotes de cocaína

Tribuna de Petrópolis - 25/03/2011


Com o filho de apenas dois meses no colo, a mulher e o homem que a acompanhava foram presos em flagrante

O tráfico de drogas sempre busca um jeito de inovar e, assim, continuar burlando as leis. Ontem, dois casos demonstraram as diferentes facetas usadas pelos traficantes no transporte de substâncias ilegais. Em um deles, D.M.R. usava a bolsa de seu bebê, de apenas dois meses, para transportar 140 papelotes de cocaína. Outras três pessoas também foram presas. Pouco depois, um homem foi flagrado transportando cocaína e maconha. O material estava escondido em pacotes  de fraldas descartáveis e também em embalagens de uma mistura para mingau. A operação foi realizada pelo Grupo de Ação Tática (GAT), do 26°BPM de Petrópolis, com equipe comandada pelo sargento Clemente. As ações foram feitas na subida da serra, próximo ao Duques. Balanço: 1,7kg de cocaína e 10 trouxinhas de maconha apreendidos, com prejuízo de R$ 6,8 mil para o tráfico.
A operação para prender os traficantes começou na tarde de ontem, quando um ônibus da linha  Caxias x Petrópolis foi abordado na subida da Serra, em operação do GAT, que fez a apreensão de 140 papelotes de cocaína. O detalhe é que desta vez a droga estava com uma mulher, que carregava um bebê dois meses. Os papelotes estavam na mesma bolsa onde ficavam os pertences da criança. A droga era trazida para a Comunidade do Alemão.
A mulher, de 29 anos, ainda alimenta a criança com o leite materno, o que se configurou em um ótimo disfarce, já que poucos desconfiariam dela. A droga foi comprada na favela do Jacaré, no subúrbio do Rio de Janeiro, por R$ 900, e a mulher recebeu R$ 300 pela ação. Ela estava acompanhada de E.S.L, de 27 anos, que também acabou preso após confirmar que sabia da existência da cocaína. Os policiais realizaram a operação depois de receber uma denúncia anônima. 
Os policiais suspeitavam que o casal estaria servindo de “mula” – pessoa usada por criminosos para transportar a droga ilegalmente por fronteiras policiadas, mediante pagamento – para algum traficante da cidade. E a suspeita foi confirmada. Eles conseguiram capturar I.H.S.P., de 25 anos, que esperava a chegada da droga na Comunidade do Alemão. Junto dele, também foi presa T.M.R., de 20 anos, irmã da mãe do bebê. 
Pouco depois dessa operação, a mesma equipe do GAT abordou um outro ônibus proveniente de Duque de Caxias. Dessa vez, foram apreendidos 200 papelotes de cocaína e 10 trouxinhas de maconha. A droga vinha da  favela Dois Irmãos, que fica nas proximidades de um shopping, nas margens da Rodovia Washington Luís. Um homem foi preso. A droga também era trazida para a Comunidade do Alemão.
De acordo com os cálculos feitos pelos agentes do GAT, os papelotes são comprados por R$ 5, preço médio do mercado no Rio de Janeiro. Cada papelote tem cinco gramas de cocaína. A droga costuma ser vendida por R$ 20 em Petrópolis, sendo assim, o prejuízo para o tráfico local chega a  R$ 6,8 mil.

Nenhum comentário:

Postar um comentário