quinta-feira, 10 de novembro de 2011

Mustrangi sai em defesa do ato público pelos royalties

Tribuna de Petrópolis - 10/11/2011 -com inormações da Ascom PMP

Milhares de pessoas irão participar do evento em defesa dos royalties do petróleo na tarde de hoje, com concentração às 15h, na Candelária, em um percurso que segue até a Cinelândia. O ato Contra a Injustiça - Em Defesa do Rio tem o apoio do prefeito Paulo Mustrangi, que participou na última segunda-feira (7), no Palácio Guanabara, do encontro de mobilização que reuniu, além de todo o staff do governo estadual, mais de 50 prefeitos, além de parlamentares e representantes de diversos segmentos da sociedade civil.
“É muito importante que a população petropolitana esteja envolvida de alguma forma com essa manifestação em defesa dos royalties, seja participando efetivamente do ato ou pela internet enviando mensagens de incentivo e de apoio. Petrópolis é uma das 87 cidades beneficiadas pelos recursos e a redivisão que querem promover poderá comprometer diversos investimentos que o governo municipal planeja para o município”, alertou Mustrangi
O prefeito ainda lembrou que “os recursos provenientes dos royalties são utilizados em obras de asfaltamento, contenções, além de financiar diversas melhorias na área da Saúde, como reforma de hospitais municipais. Por isso temos que estar mobilizados para este fato e lutar pela manutenção dos royalties ao lado de toda população do Estado”.
A previsão orçamentária para o próximo ano aponta que os recursos provenientes dos royalties deverão chegar a mais de R$ 15 milhões. Caso a nova redistribuição seja sancionada, o valor sofrerá alterações significativas.
“Perder qualquer tipo de recurso não é bom. Para Petrópolis, que investe a verba oriunda dos royalties em diversas frentes de obras, a redistribuição que está sendo proposta em Brasília será danosa em diversos aspectos”, destacou o secretário de Fazenda, Hélio Volgari.  Atualmente, os maiores produtores de petróleo no país são os estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo, representando 90% da produção nacional. Se a proposta que prevê essa redistribuição for aceita, o Estado do Rio de Janeiro pode registrar perdas em torno de R$ 5 bilhões por ano. Os municípios produtores teriam perdas gradativas até 2020.
Petropolitanos no Rio
Na tarde de hoje, o movimento em defesa do Rio pelos royalties do petróleo deve contar com mais de 100 mil pessoas. De Petrópolis, sai um ônibus às 13h, da Catedral São Pedro de Alcântara rumo à Cinelândia, no centro da capital fluminense, onde ocorre a manifestação. Quem organiza a excursão é o profissional de Educação Física Leonardo Fernandes Seabra. O ônibus tem 45 lugares e terá transporte gratuito para os interessados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário