terça-feira, 29 de novembro de 2011

Mulher quer reaver itens apreendidos

Tribuna de Petrópolis - 29/11/2011

A mulher alega ter comprado os equipamentos de forma lícita: notas fiscais
Ex-mulher de um dos homens presos na última semana sob suspeita de integrar a chamada gangue da britadeira, Marina Barbosa não sabe mais o que fazer para reaver bens apreendidos pela polícia durante a investigação. Segundo ela, o apartamento onde o homem morava, no Dr. Thouzet, é dela, assim como o que tinha dentro - televisão, geladeira, computador e aparelho de som, entre outros itens - mas tudo acabou apreendido porque, segundo policiais, podem ser fruto de ações do bando. Ela nega e garante que tem todas as notas fiscais para comprovar a compra.
Separada do acusado há um ano, Marina ganha a vida como cuidadora de idosos e, hoje, mora no Espírito Santo. Segundo ela, pouco tempo após a separação o homem invadiu a casa e passou a viver sob o mesmo teto que ela. “Há três meses nós brigamos e eu me mudei para o Espírito Santo”, contou. Longe de casa, estava na última semana em Petrópolis quando soube da prisão. Com mandados de busca e apreensão, a polícia confiscou de sua casa uma geladeira, uma máquina de lavar, um microondas, duas televisões, um aparelho de som, um computador, um notebook, três aparelhos celulares, além de um veículo (Volkswagen Polo modelo 2003).
“Fui na delegacia e apresentei todas as notas fiscais dos eletrodomésticos. Mas os policiais não me entregaram os aparelhos. Disseram que só poderiam liberá-los com ordem do delegado Marcello Maia, que não estava no momento. Calculo que tive aí um prejuízo de R$ 25 mil”, reclamou Marina Barbosa.
O delegado assistente Fabrício Pereira explicou que, mesmo ela possuindo as notas fiscais, a investigação pode apontar que os produtos foram comprados com dinheiro oriundo de roubo. “Estamos avaliando se os eletrodomésticos são produtos do crime. Se encontrarmos indícios, eles continuarão retidos. Mas se for constatado que a origem é lícita, estes serão devolvidos. A investigação ainda está em curso e mesmo que o prazo expire vamos requerer junto à justiça mais alguns dias”, informou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário