quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Mais de 20 mil devem passar pelos sete cemitérios hoje, no Dia de Finados

Tribuna de Petrópolis - 02/11/2011

Muita gente antecipou a visita e esteve ontem nos cemitérios. Túmulos de pessoas famosas, como do apresentador Flávio Cavalcanti, também atraíram atenção
Hoje, milhares de petropolitanos deverão visitar o túmulo de parentes e amigos nos sete cemitérios da cidade (Petrópolis, Itaipava, Vale das Videiras, Secretário, Gabirú (Posse), Brejal e Quarteirão Worms). A administração destes locais estima um público de 20 mil pessoas entre 7h e 19h. Ontem, a Rua Coronel Fabrício de Mattos, que passa pelo Cemitério Municipal, já estava interditada e segue com a mesma operação hoje. A medida, adotada pela CPTrans para dar mais segurança aos visitantes, acabou provocando retenções na região.
“Nós antecipamos a visita, pois na véspera é mais tranquilo. Às vezes deixamos para vir no Dia de Finados mesmo, mas o frio e a chuva acabam afastando um pouco. Aqui estão enterrados os meus pais e os do meu marido, assim como irmãos e tios. É muita gente que merece ainda o nosso carinho. Creio que não devemos abandonar e o que vale é a intenção”, frisou Alaíde Vieira da Silva Satiro, que estava acompanhada do esposo Antônio Luís Satiro. Na saída, ele ainda parou próximo ao túmulo do médico Miguel Martins, que foi pediatra de seus filhos. “Devo muito a ele”, lembrou.
Muitos visitaram o Cemitério Municipal ainda na manhã de ontem, fato comprovado  pela quantidade de flores já depositadas nas sepulturas. Maria Graciete Guerra, uma dona de casa portuguesa radicada na cidade, fez uma breve passagem pelo local para conferir a limpeza da campa da família onde estão enterrados o pai, a mãe e o irmão. “Eu volto amanhã”, disse ela se despedindo dos funcionários.
“Se chover, devemos ter umas 10 mil pessoas passando pelos cemitérios. Sem a chuva, acredito em 20 mil. Na parte da manhã, às 10h, o bispo diocesano Dom Filippo Santoro celebra uma missa na nossa capela, que já é uma tradição do Cemitério Municipal e tem atraído bastante gente”, destacou Ulisses Reis Sampaio, administrador dos cemitérios municipais. Ele ainda informou que agentes da Secretaria de Saúde colocam larvicidas nos depósitos de água e colhem amostras rotineiramente. Nenhum caso de dengue foi registrado até agora. Na próxima semana, as flores são retiradas. Em 2010, uma tonelada foi jogada fora.
Além dos túmulos de familiares e amigos, as sepulturas de pessoas famosas sempre ganham destaque. É o caso do apresentador de TV Flávio Cavalcanti, que morou muitos anos no bairro Caxambu. Conhecido pela passagem de sucesso na TV Tupi e pelo bordão Nossos comerciais, por favor, ele faleceu em 1986, quando estava no SBT. Ontem, a enfermeira aposentada Vera Heloísa visitava o local. “Trabalhei com uma das filhas dele, que foi minha chefe no Hospital São Lucas. O programa dele era muito bom”, declarou ela.
Outro local de peregrinação é a sepultura do menino Francisquinho. Um antigo funcionário, que trabalhou no Cemitério Municipal por 60 anos, Jaime Severo Lira, havia feito um pedido e ao receber o milagre confiou a graça ao menino e ao anjo que está colocado sobre o túmulo. Desde então, a história foi se espalhando e hoje muitos presentes são depositados ali durante todo o ano. Francisco José Alves Souto Filho viveu pouco mais de três meses, entre 30 de dezembro de 1871 e 9 de abril de 1872.

Nenhum comentário:

Postar um comentário