terça-feira, 8 de novembro de 2011

Petrópolis receberá R$ 225 mil em recursos para combate à dengue

Tribuna de Petrópolis - 08/11/2011

Ações de prevenção feitas pelo governo municipal devem ajudar na liberação da verba: plano de contingência
Petrópolis será um dos 989 municípios a receber um incentivo do Ministério da Saúde para ampliar as ações contra a dengue no próximo verão. A medida foi publicada no Diário Oficial da União no dia 31 de outubro e a cidade será beneficiada com o valor de R$ 225.101,43, que é 20% dos R$ 1.275.507,18 recebidos anualmente através do Piso Fixo de Vigilância e Promoção à Saúde. Em todo o Estado do Rio de Janeiro, os recursos chegam a R$ 13,7 milhões.
Para garantir a verba extra, os gestores devem apresentar um plano de contingência ao Ministério da Saúde até o dia 15 de dezembro. Serão investidos R$ 90 milhões em todo o Brasil, atingindo mais de 100 milhões de pessoas. Os municípios devem cumprir metas como: garantir quantitativo adequado de agentes de controle de endemias; garantia de cobertura das visitas domiciliares pelos agentes; adoção de mecanismos para a melhoria do trabalho de campo; e notificação dos casos graves suspeitos de dengue.
Na cidade, os 305 casos de dengue registrados desde janeiro assustam e incomodam a população, no entanto, de acordo com os órgãos do governo municipal que participam do combate à proliferação da doença, é o próprio público que deve fazer as ações básicas de enfrentamento do mosquito. Mesmo que 45 agentes estejam trabalhando na cidade e visitando cada domicílio, os esforços não serão suficientes se os moradores não abraçarem a causa.
“O governo do estado lançou a campanha Dez Minutos contra a Dengue que visa conscientizar a população de que esse tempo gasto por semana já é suficiente para combater o mosquito. É procurar os focos em calhas, caixas d’água, ralos, vasos de planta e pneus. Um ovo leva de sete a dez dias para chegar à fase adulta. Se cada cidadão gastar esses dez minutos por semana já será o bastante”, explicou Eduardo de Lucena, da Vigilância Sanitária de Petrópolis.
A campanha estadual tem o objetivo de atingir todas as residências, já que o trabalho de agentes não consegue atingir todos os locais. Eles só podem entrar nas casas sob permissão do proprietário e assim também é feito nos possíveis focos, só mexem nos locais com autorização. E muitos domicílios não têm ninguém para receber o agente que visita a comunidade em determinados dias. De acordo com números divulgados pela Secretaria de Saúde, são 30 mil casas já visitadas só nesse ano.
Os agentes estão atuando no Roseiral, Carangola, Bairro da Glória e Posse. Eles visitam de 20 a 25 residências por dia. “Além dessas visitas, temos também tendas em vários pontos da cidade que estão educando as pessoas com as melhores formas de combate ao mosquito e outras dúvidas. Nessa semana, temos uma no Bosque do Imperador”, informou Elisabeth Wildberger, da Coordenadoria de Epidemiologia da Secretaria de Saúde.
Betinha, como é conhecida, participa do Comitê Municipal contra a Dengue, que já teve 11 reuniões neste ano. Ele é integrado também por representantes da Vigilância Sanitária, das UPA’s, hospitais públicos, laboratórios e UBS. “As reuniões servem para que a dengue não nos pegue de surpresa”, alertou ela. Questionada sobre uma possível epidemia na cidade, Betinha declarou que somente 6% das pessoas precisam de internação, em média, e todas as unidades estariam prontas para o atendimento.
“Todos devem procurar atendimento ao apresentar os sintomas, mas os profissionais estarão capacitados para internar somente aqueles com um quadro grave. Todas as UBS e hospitais estarão preparados para receber as suspeitas de dengue. E como já é feito no Rio de Janeiro, tendas serão montadas, se necessário”, afirmou ela. “Temos o mosquito, pois nós não cuidamos bem de nossas residências. Na época de nossos avós, não tínhamos registros de dengue, mas hoje é diferente e Petrópolis não se encontra mais fora das estatísticas”, ratificou Elisabeth Wildberger.
A Secretaria de Educação do município também está mobilizando as escolas da rede para a campanha Dez Minutos contra a Dengue. A iniciativa tem o objetivo de envolver as comunidades escolares no combate ao mosquito aedes aegypi. No dia 19 de outubro, Cecília Nahm, chefe da divisão de saúde da Secretaria de Educação, participou de reunião envolvendo as Secretarias de Educação de todo o estado.
O objetivo do encontro foi mobilizar toda a rede de ensino público para trabalhar a campanha junto aos estudantes de seus municípios. De acordo com Cecília, a proposta é modificar a cultura de que a dengue é um problema somente de responsabilidade da área da Saúde. “O combate ao mosquito e à doença é responsabilidade de todos. O sucesso desta campanha está em cada um de nós”, declarou ela.
O secretário de Educação William Campos ressaltou a importância da educação no combate à epidemia da dengue. “Sou da opinião que a melhor forma de combater a dengue ou qualquer outra epidemia é através da educação. É na escola que as doenças podem ser prevenidas”, comentou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário