quinta-feira, 7 de julho de 2011

Clube 29 de Junho fora da Bauernfest

Tribuna de Petrópolis - 07/07/2011

Pela primeira vez em 22 edições, a Bauernfest não contou com a tradicional barraca do Clube 29 de Junho. A parceria com a prefeitura se mantém, mas, alegando motivos de doença de alguns integrantes da diretoria, o grupo abriu mão de ter um espaço próprio nas vizinhanças do Palácio de Cristal. Com 52 anos, o 29 de Junho  foi o idealizador da Festa do Colono Alemão.
“Eu participei de toda a organização e de todas as reuniões preparativas para a Bauernfest deste ano, incluindo ainda as solenidades, o culto ecumênico e os desfiles folclóricos. A parceria com a Prefeitura continua a mesma desde 1990, só não tivemos a barraca. Perdi um dos diretores do clube em maio e os outros seis também apresentam problemas de saúde. O motivo foi este”, explicou Emygdia Hoelz Lyrio, presidente do clube desde maio de 1988.
Segundo Emygdia, o falecimento do diretor Flávio Kloh atrapalhou os preparativos, pois ele era um dos membros mais ativos da diretoria e prestava grande auxílio na montagem da barraca. “Hoje, ninguém trabalha por amor. Os mais jovens não têm pique para trabalhar durante toda a festa, porém, por necessidade, penso seriamente em rejuvenescer a diretoria”,  declarou a presidente.
Um outro motivo também seria a falta das duas cozinheiras que já acompanhavam a barraca há muitos anos. “O serviço que as duas desempenham atualmente não possibilitou que elas tirassem férias nesse período”, relatou Emygdia. Entre algumas das delícias que ficaram de fora da festa neste ano estão o joelho de porco, as saladas de batata e beterraba, o chucrute, o pernil e os doces picada de abelha e o apfelstrudel, com suas receitas tradicionais.
As primeiras festas da colônia alemã foram, na verdade, pequenas quermesses realizadas no início do século XX, no bairro Fazenda Inglesa, onde os primeiros colonos promoviam o retorno às origens com música, dança e os tradicionais pratos da culinária germânica. Em 1983, o Clube 29 de Junho teve a ideia de transformar a festa em um festival germânico, onde todos teriam conhecimento da história e tradições dos alemães da cidade de Petrópolis.
O local escolhido para as comemorações anuais foi o Palácio de Cristal, em terreno onde está fixado um cruzeiro que marca a chegada dos primeiros colonos. A partir de 1990, foi firmada a parceria com o governo do município através da Petrotur, antigo órgão responsável pelo turismo. O evento cresceu e foi tomando o formato da atual festividade, sendo um ponto de grande destaque no calendário turístico e cultural da Região Serrana.

Nenhum comentário:

Postar um comentário