domingo, 9 de outubro de 2011

Falta de funcionários prejudica projeto na Comac

Tribuna de Petrópolis - 08/10/2011

O Programa Mais Educação, criado em 2007, é uma iniciativa do Governo Federal para aumentar a oferta educativa nas escolas públicas por meio de atividades como matemática, línguas estrangeiras e horta comunitária. É uma estratégia para promover a educação integral no Brasil, atuando no turno em que o aluno não tem aulas. Em Petrópolis, o programa já funciona em 40 escolas, chegando a mais 23 a partir do dia 17 de outubro. Uma das unidades que já possui o projeto é a Escola Germano Valente.
A escola é vinculada à Comac - Comissão Municipal de Atuação Comunitária de Petrópolis. Com quase mil alunos e em convênio com a Prefeitura Municipal, a escola sofre por não poder oferecer com qualidade o Mais Educação para 107 alunos que frequentam do 5º ao 9º ano. É que nesta semana a coordenadora do programa na unidade de ensino pediu o seu desligamento. Alguns monitores já haviam saído.
“Estamos, desde o início do ano, tentando colocar o Mais Educação para funcionar em sua totalidade, inclusive investindo recursos próprios. Mas agora ficou inviável. Alguns monitores saíram por estar recebendo um baixo salário, R$ 240, e a coordenadora também não está mais na escola. Diretoras, orientadoras pedagógicas e o único inspetor fazem o que podem, mas precisamos repor os profissionais que perdemos”, declarou Fernanda Ferreira, presidente da Comac.
A escola teria recebido da coordenadoria do Programa Mais Educação da Secretaria de Educação do município a resposta de que deveria manter o projeto sozinha até o fim do ano, pela impossibilidade de mudanças. No entanto, ontem, foi preciso entrar em contato diretamente com o secretário William Campos, que está em Brasília, para resolver a questão. A ampliação do programa está na pauta de reivindicações dele na capital federal.
“A secretaria vai abrir uma sindicância para ver o que realmente aconteceu na Comac, vamos apurar os fatos. O programa é uma prioridade do Governo Federal, a escola recebeu a verba para oferecê-lo a 103 alunos nas atividades de matemática, letramento, dança e pintura. Na segunda-feira, vamos mandar uma nova coordenadora, que será encarregada de levar mais monitores, e também dois inspetores”, comunicou William Campos.
Fernanda Ferreira comemorou a medida e disse saber que o secretário não tinha conhecimento do fato ainda. “Precisamos deixar bem claro que, em nenhum momento, pensamos em desistir do programa por quaisquer outros motivos quais não fossem a falta de funcionários. É um programa muito importante para a escola e em 2012 a expectativa é de que seja estendido aos alunos do 1º e do 2º ano, tornando estas séries também em período integral”, disse a presidente da instituição que dirige a Escola Germano Valente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário