terça-feira, 18 de outubro de 2011

Bancários anunciam o fim da greve que fechou as agências por 21 dias

Tribuna de Petrópolis - 18/10/2011

No Banco do Brasil e na Caixa Econômica o movimento deve ser grande hoje
Uma assembleia realizada ontem à noite pelo Sindicato dos Bancários marcou ontem o fim da paralisação da categoria. A greve, que durou 21 dias, foi encerrada após aceitação da proposta apresentada na última sexta-feira pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban): reajuste salarial de 9% (inflação do período mais aumento real de 1,5%), valorização do piso da categoria em 12% (passando para R$ 1.400,00) e melhorias na Participação nos Lucros e Resultados.
O movimento foi um dos maiores dos últimos 20 anos e conseguiu atingir 9.254 agências e centros administrativos em todo o Brasil. “A indicação para a assembleia da noite de hoje (ontem) é pela aprovação da proposta dos banqueiros. Voltamos já nessa terça (hoje) dando fim à greve, que foi a maior dos últimos 20 anos. As agências voltam ao seu funcionamento normal”, declarou Luiz Cláudio Rocha, presidente do Sindicato dos Bancários, antes mesmo da realização da assembleia.
Para Luiz Cláudio, as pessoas que vão procurar pelos bancos que estiveram fechados desde o início do movimento, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, precisam ter paciência nestes primeiros dias. “Pedimos que só busquem os serviços daquilo que tiverem real necessidade”, frisou ele. O representante da categoria ainda avisou que os trabalhadores terão, agora, que fazer hora extra pelo acúmulo de trabalho.
Um caminho para evitar a longa greve seria o exercício do diálogo entre as partes, afirmou o próprio Luiz Cláudio. “Antes de haver a paralisação que acabou durando 21 dias, deveria ter o diálogo lá trás. Mas agora o importante é destacar as outras conquistas que tivemos. Cinco mil funcionários serão contratados pela Caixa através de concurso. E outros dois pontos importantes foram incluídos no novo acordo coletivo: a proibição do transporte de valores por bancários e o veto ao demonstrativo do ranking de metas nos murais das agências, que acaba incentivando o assédio moral”, comemorou ele.
A proposta aceita pela categoria prevê também avanços nas condições de saúde, segurança e trabalho. Os dias de greve não serão descontados, mas serão compensados com até duas horas extras por dia, de segunda a sexta-feira, até o dia 15 de dezembro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário