domingo, 16 de outubro de 2011

Atendimento psicológico é ampliado no SOS Vida

Tribuna de Petrópolis - 15/10/2011

O Grupo Assistencial SOS Vida, que presta auxílio a portadores do vírus HIV/AIDS, dependentes químicos e familiares de baixa renda, recebeu no mês de agosto novos estagiários, que já estão ajudando a entidade no atendimento. Através do Projeto Sala de Espera, acolhimento feito por voluntários do setor de psicologia da entidade, estudantes da Universidade Católica de Petrópolis e da Unopar aliam o conhecimento teórico à prática e aproveitam cada experiência proporcionada pelo convívio com pessoas de realidades tão diferentes.
“ O SOS Vida foi um divisor de águas na minha formação. Na faculdade, só recebemos a teoria, mas é na prática que você descobre as coisas. Aqui a demanda é muito grande.  Qualquer coisa que encontrar futuramente no consultório será pequeno perto do que vejo aqui. Cuido de dependentes químicos, portadores de HIV e moradores de rua. Se não fosse a superação, não conseguiríamos”, analisou Regina Barbosa Resende, que está no 10º período de Psicologia na UCP.
No Sala de Espera atuam também estudantes de Serviço Social e de Direito. O projeto se iniciou em 2009 e pôde contribuir com a formação de inúmeros profissionais. O presidente da entidade e responsável técnico pelo setor de psicologia, Antônio Carlos de Souza Pires, destacou que uma ex-estagiária hoje é professora do curso de Medicina da UERJ e voltou até a ong recentemente para agradecer a oportunidade de aprendizado que teve ali. “Ela disse que 80% do que sabe foi aprendido entre nós”, relata Antônio Carlos.
“O SOS Vida facilitou muito o aprendizado, nos deu uma nova visão. São experiências que levarei pro resto da minha vida”, disse Sheila França Almeida, também do 10º período de Psicologia. Ela trabalhava no comércio, mas disse sentir que precisava se envolver com outras coisas. Sheila aprendeu a cortar cabelo e, uma vez por semana, prestava serviço voluntário em uma escola, mas só depois de entrar na faculdade é que teve a possibilidade de contribuir mais ativamente através do estágio na SOS Vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário