segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Beneficência Portuguesa comemora 136 anos com abertura de novas instalações

Tribuna de Petrópolis - 25/09/2011

Uma das principais aquisições da Beneficência Portuguesa é um moderno aparelho de tomografia computadorizada
A Beneficência Portuguesa, um dos mais tradicionais estabelecimentos de saúde de Petrópolis, completa hoje 136 anos de criação. Instalada como hospital no Valparaíso há pouco mais de 80 anos, é a proprietária de todo o prédio, incluindo as modernas instalações do Incope. Já a SMH – Sociedade Médico Hospitalar – é quem gere a atividade médica. Para comemorar a data, será celebrada uma missa em ação de graças na capela do hospital e, logo depois, serão apresentadas as novas instalações e os locais reformados.
A atual direção conta com os médicos Denisvaldo Silveira, diretor administrativo; José Loureiro, diretor geral; Jorge Oliveira, diretor de infraestrutura; Walter José Sillero, diretor médico; e Paulo Antônio Borges Homem, diretor do plano de saúde SMH e da Policlínica de Xerém. Jorge Oliveira está há 32 anos no hospital, tendo passado 20 destes como diretor geral e sendo o responsável pelas últimas obras. A Beneficência Portuguesa é presidida há 10 anos pelo médico Mário Machado.
Uma das aquisições da entidade a ser apresentada ao público neste domingo é o novo aparelho de tomografia computadorizada, que é um dos mais modernos e avançados de toda a Região Serrana. Ele já está funcionando e conta com alta definição para elucidar as questões médicas. A sala de medicina nuclear, que usa radioatividade para tratamento de doenças, está com 80% da reforma concluída. No bloco dois, um andar inteiro de internação também foi reestruturado, modificando corredores, apartamentos e um posto de enfermagem.
Já o novo serviço de ortopedia, que inclui a urgência, ficará sob coordenação do médico Fernando Pina Cabral e será inaugurado na manhã de hoje, em um novo espaço. “O setor de ortopedia será destinado ao atendimento ambulatorial e urgência e terá uma participação maior dos ortopedistas. O ideal é ter sempre especialistas atendendo, como um profissional especializado em joelho e outro em ombro, por exemplo. O serviço funcionará 24h, sempre com pelo menos um médico de plantão”, explicou Jorge. De acordo com eles, a procura pela urgência vem se intensificando, mesmo atendendo somente os planos de saúde e as consultas particulares. O SMH não atende ao SUS.
O complexo hospitalar reúne 120 médicos das mais diversas especialidades, 400 funcionários diretos e realiza cerca de 7 mil atendimentos ambulatoriais por mês. O CTI do hospital possui 10 leitos, que são somados a mais 14 do Incope. A parte mais nova conta com a cardiologia diagnóstica, polissonografia, eletroencefalografia e endoscopia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário