sábado, 17 de setembro de 2011

Estudantes de Belo Horizonte fazem turismo em Petrópolis

Tribuna de Petrópolis - 17/09/2011

Na Casa da Ipiranga, um passeio pelo história com a Velhota Cambalhota
O turismo educacional, um segmento que vem crescendo em todo o Brasil, já é uma realidade também em Petrópolis. Durante três dias, 88 alunos do 8º ano do Colégio Santa Marcelina, de Belo Horizonte, estiveram na cidade para um passeio escolar pelos mais representativos pontos turísticos referentes ao período imperial. E não foi a primeira vez deles aqui, pois também vieram no ano passado. O passeio conta com o apoio da Imperial Tur.
A empresa é especializada no chamado turismo receptivo, que conta com a reserva de serviços e organização de roteiros que facilitam a vinda e a permanência do turista em Petrópolis. Inclui-se aí a reserva de hotéis e pousadas, city tours com guias de turismo, almoços, jantares e eventos. Evany Noel, diretora da empresa, disse que o turismo educacional vem crescendo.
“Esse segmento é muito forte na cidade, principalmente no segundo semestre. A escola esteve aqui em 2010 e, como gostaram da produção, decidiram voltar nesse ano. É uma área ainda em crescimento, com bastante potencial. Os alunos não só aprendem como também fazem uma vivência da história. A cidade tem aumentado o número de atrativos, o que torna mais interessante a visita”, informou ela.  
A operadora Forma Turismo, que trouxe o colégio de Minas Gerais, também visualiza um futuro de boas opções para o ramo em Petrópolis. A empresa é voltada para o mercado de viagens de formatura e com cinco anos de atuação na capital mineira agora se planeja para agenciar as viagens pedagógicas.
Uma das atrações desse passeio foi a Casa da Ipiranga, onde aconteceram apresentações dos Causos Imperiais – Lembranças da Velhota Cambalhota, encenados pela atriz Rose Assis mediante reservas para grupos. A pequena peça é baseada na troca de correspondências entre a Família Imperial e os Condes de Lages, ancestrais do atual proprietário da casa, Celso Vieira de Carvalho.
E o passeio tem um sentido maior. Os 88 alunos, divididos em 23 grupos, terão que fazer um jornal sobre o que viram na Cidade Imperial. O projeto tema supervisão do professor Fábio Adriano de Queirós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário