terça-feira, 20 de setembro de 2011

Dia de Luta da Pessoa com Deficiência

Tribuna de Petrópolis - 20/09/2011

Amanhã será comemorado o Dia Nacional de Luta da Pessoa Portadora de Deficiência, uma data instituída por lei em 2005 e é tão recente quanto as conquistas das pessoas que têm algum tipo de deficiência - já chegam a 39 mil só em Petrópolis. Para celebrar a data, a Associação Pró-Deficiente organiza um ato no calçadão do Cenip, a partir das 10h da manhã. Entre os presentes, devem estar 60 pessoas, que estarão fazendo as suas reivindicações, bem como agradecendo pelas conquistas.
Estaremos reivindicando mais acessibilidade e uma auto escola para deficientes em Petrópolis. O balcão de empregos da associação fará cadastro de currículos e anotaremos também as solicitações para material ortopédico (cadeiras de roda, órteses e próteses), assim como orientações diversas para as pessoas com deficiência. Os agradecimentos ficam para as empresas de transporte que já possuem carros adaptados – Petro Ita, Cascatinha e Cidade das Hortênsias – que atenderam uma medida do Conselho Municipal da Pessoa com Deficiência, que tem feito um grande trabalho”, destacou Marcelo Silveira, presidente da Pró-Deficiente.
O balcão de empregos, citado por Marcelo, é uma grande vitória, pois, por meio dele, mais de 900 pessoas chegaram ao mercado de trabalho. “Cerca de 70% das empresas do município contratam deficientes, muitas até acima da cota”, descreveu ele. A Lei  8.213/1991, no seu artigo 93, obriga uma empresa com 100 ou mais empregados a respeitar uma cota de cargos para pessoas com deficiência. “Até os pontos turísticos, como a Catedral e o Museu Imperial, estão se adequando às normas de acessibilidade e os bancos também”, completou Marcelo.
Junto com o evento comemorativo, a associação pretende ajudar a campanha da Juliana Maria, que deseja ter uma melhor qualidade de vida. Juliana teve paralisia cerebral e fará uso da Adeli Terapia, um tratamento inovador que chegou ao Brasil em junho de 2010. Ela precisa viajar para Salvador, na Bahia, e lá será atendida no Núcleo de Atendimento à Criança com Paralisia Cerebral (NACPC). “Convido todos que quiserem ajudar. Ficamos naquele mesmo local, o calçadão do Cenip, de segunda a sexta-feira, das 13 às 18h. Faltam somente 15% do valor que precisamos”, relatou Regina Maria Alves, mãe de Juliana. A campanha já dura cinco meses e é baseada somente na ajuda das pessoas com moedas, sem ter podido contar com eventos que arrecadassem montantes maiores.
Com isso, Marcelo Silveira espera atrair pais que possuem demandas por conta de filhos acidentados ou têm só a agradecer pela ajuda. “Por semana, tenho feito a entrega de até três cadeiras para jovens envolvidos em acidentes com moto. Esse número nos entristece, pois já atendi até um menino de 12 anos, mas a maior parte é entre 15 e 27 anos de idade. O alerta serve para que outros  jovens não venham  a fazer parte dessa triste estatística”, declarou Marcelo, que disse ainda ter recebido o levantamento de 112 mil acidentes em todo o Estado do Rio de Janeiro, somente neste ano.
Para mais informações, basta entrar em contato através do telefone (24) 8122-2751, do próprio Marcelo Silveira, pelo e-mail marceloprodeficiente@yahoo.com.br ou ir na sede da Associação Pró-Deficiente, que fica na Rua Teresa, 2024 – Alto da Serra. Eles aceitam doações de material ortopédico. E amanhã também será feito um abaixo-assinado para tentar trazer uma filial da Associação Fluminense de Reabilitação, com sede em Niterói, para Petrópolis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário