quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Trânsito na Rua Silva Jardim voltará a ser mão dupla

Tribuna de Petrópolis - 07/12/2011

Segundo CPTrans, mão dupla chega em 15 dias
Após intervenções na Avenida Barão do Rio Branco e na Rua Teresa, a Companhia Petropolitana de Trânsito e Transporte (CPTrans) vai colocar mão dupla nas ruas Silva Jardim e Quissamã. A mudança, prevista desde fevereiro e adiada por sucessivas alterações no comando da empresa, gera insatisfação nos comerciantes, mas ganha o apoio da maioria dos moradores do logradouro. De acordo com o presidente da companhia, Roberto Naval, a mudança deve ser efetuada em até duas semanas.
“O projeto para colocar a mão dupla na rua Silva Jardim existe e será colocado em prática no prazo de 15 dias. Estamos concentrados nas mudanças do Alto da Serra, ainda em caráter experimental, e o próximo local a passar por alterações de trânsito será a Silva Jardim. Estudos estão sendo realizados para saber a viabilidade do tráfego de ônibus nos dois sentidos, o que resultará em menos tempo de viagem para os moradores daquela região”, explicou Naval.
Ele revelou ainda duas medidas já fechadas no projeto da CPTrans: a extinção do estacionamento ao longo de toda a via e a mão dupla também na chamada curva do S, no trecho final da Rua Quissamã. Ontem, havia dúvida de moradores de até onde iria a mão dupla, já que a rua Silva Jardim só começa no cruzamento com a Estrada da Floresta, na entrada do bairro de mesmo nome.
“A mão dupla vai desafogar o trânsito da Fonseca Ramos, o fluxo de veículos no Centro e na rua do Túnel. E é certo também que caminhões de até 3,5 toneladas poderão trafegar nos dois sentidos”, informou Roberto Naval. A mão dupla na Rua Silva Jardim pode diminuir ainda o trânsito das ruas Caldas Viana, Floriano Peixoto e Alberto Torres. A medida deve influenciar também as áreas do cruzamento das ruas Souza Franco e Caldas Viana, Avenida Ipiranga, Rua Santos Dumont e Rua Benjamin Constant, melhorando o tráfego nessas vias até nos horários de pico.
Para os comerciantes, o projeto é polêmico e já gera protestos. De acordo com Kléber Araújo, gerente de uma loja de revenda de auto peças, a mudança não será benéfica para o seu comércio. “O movimento de veículos hoje é muito grande, diferente de quando tiraram a mão dupla e só deixaram a pista no sentido Centro. Acho que será complicada essa mudança. Aqui na loja não teremos mais estacionamento, o prejuízo será grande. Após 20 anos no mesmo local, se registrar queda nas vendas, poderemos até fechar a loja”, alerta ele.
Kléber relata ainda que já existe engarrafamento na via tendo somente um sentido de circulação e que esse problema pode se agravar com a implantação da mão dupla. “Sem uma área destinada ao estacionamento, vamos perder clientes, fornecedores e ficaremos sem espaço para estacionar as motos de entrega. Tudo isso pode paralisar o comércio da rua e provocar perdas para a cidade”, declarou ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário