segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Selos exclusivos podem homenagear pessoas

Tribuna de Petrópolis - 04/12/2011

Sheila Reis e Luiz Carlos Alves da Fonseca: os selos personalizados custam o valor de face e não dão qualquer despesa extra aos compradores
Para os filatelistas, uma boa notícia. Com a criação e comercialização de selos personalizados sempre haverá algum item raro como objeto de desejo desses colecionadores. A Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) investe nesse novo serviço que atende desde comemorações familiares, como aniversários de casamento, até grandes empresas que desejam divulgar um produto específico. Os selos personalizados são feitos sob encomenda e produzidos pela Casa da Moeda.
Em Petrópolis, está instalada a gerência de vendas da Região Serrana, de onde Luiz Carlos Alves da Fonseca coordena 16 municípios. Auxiliado por Sheila Reis, coordenadora de vendas, já conseguiram atender a Concer, Universidade Católica de Petrópolis e Coral dos Canarinhos, com os selos personalizados, por exemplo. Mas, para eles, essa novidade deve ser estendida às pessoas físicas também.
“Já estamos trabalhando com as empresas especializadas em casamentos, onde poderemos atender muitos clientes. Vale ressaltar que esses selos não são vendidos, são de exclusividade de quem encomendar e fabricados num local do porte da Casa da Moeda. É uma forma criativa e original para qualquer celebração”, explica Luiz Carlos. Uma folha de selos personalizados, que contém 12 unidades, sai por R$ 32. De duas a 100 folhas o preço é R$ 24 e, a partir de 101, é R$ 23. E os motivos podem ser de animais de estimação a mensagens natalinas, como algumas famílias já fazem para este ano.
Luiz aponta as vantagens para se criar um selo próprio. “O selo personalizado está acessível para todos, de todas as classes sociais. E ainda temos a possibilidade de promover um cerimonial de lançamento como ocorre com os selos oficiais. Essa cerimônia ainda dá direito ao selo carimbado em um cartão olho-de-boi”, comunicou ele. A própria agência dos Correios se utilizou deste tipo de selo para marcar os 163 anos de sua criação, com uma marca especial para o 1º Baile Imperial, realizado no dia 29 de outubro.
Um ponto de destaque para os filatelistas é que este tipo de selo não tem preço definido. “Se a pessoa quiser vendê-lo pode estipular o valor que desejar, não existe tabela para eles. No entanto, quando colocados nas correspondências, passa a ter o preço de uma carta simples”, enfatiza Luiz Carlos Alves da Fonseca.

Sala para exposição

Em janeiro, a histórica agência dos Correios, datada da década de 1920, ganhará uma sala para expor objetos históricos de sua trajetória na cidade. Atualmente estas peças estão expostas no hall do prédio. A exposição também contará com fotos e carimbos já utilizados na agência. Além disso, será realizada uma tarde de autógrafos com escritores petropolitanos. Luiz Carlos, gerente regional de vendas dos Correios, é um deles. Ele é autor de “Razões – A Verdadeira História dos Grandes Conflitos e a Decadência da Raça Humana”, já esgotado nas livrarias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário