sábado, 14 de maio de 2011

Pais pedem atenção às mudanças no Imep

Tribuna de Petrópolis - 14/05/2011


Há 10 dias, o Instituto Metodista de Petrópolis (Imep), que mantém convênio com o município, inaugurou o seu novo polo, na Rua Santos Dumont, onde já funcionou o colégio Pequeno Príncipe. Muitos pais,  no entanto reclamam que a mudança de algumas séries para o novo local foi precipitada, já que falta estrutura à casa. A insegurança também gera protestos. O novo prédio é alugado pela Prefeitura e recebe 230 alunos do 2º ao 5º ano.  
“A nossa reclamação é pela falta de segurança que existe lá, qualquer um tem acesso. Pedimos um vigia, pelo menos, na porta da escola. A estrutura também não é adequada. O banheiro não tem adaptação para os alunos e é pequeno. Quero deixar claro que não somos contra a mudança de endereço, mas foram para o imóvel antes que ele passasse por melhorias”, declarou Aclair Valério de Sales, que tem uma filha na escola.
Uma outra mãe de aluno, que preferiu não se identificar, listou os problemas encontrados pelo filho nessa semana. “Não tem carteira para todo mundo, não tem telefone para contato, não tem porteiro e nem cantina. Ela participa de uma comissão de pais que vai realizar uma reunião com a direção do Imep na terça-feira, às 17h.
A diretora do instituto, Josiane Coelho Loureiro, disse que a mudança foi motivada pela necessidade de acomodação de uma nova turma. “Desde fevereiro, precisávamos acomodar uma turma. Várias adaptações foram feitas e continuam acontecendo no novo prédio. Lá mesmo já funcionou uma outra escola e o local já possuía o alvará. Temos uma tela de proteção nas janelas e proteção na piscina. O local tem mais conforto e mais espaço que o prédio antigo. É natural que os pais se preocupem, pois mudança não é fácil”, afirmou a diretora.
O secretário de Educação, William Campos, lamentou as críticas. Segundo ele, a área tem a beleza e o conforto que ele não pôde desfrutar na época de estudo. “Ninguém vai transformar o paraíso em um inferno. Vários pais estão elogiando, pois a escola está linda e maravilhosa. Na verdade, estou magoado com a situação. Atendi a um pedido do Ministério Público e do Imep”, explicou o secretário.
Na próxima quinta-feira, às 19h, o secretário marcou uma reunião para poder conversar com os pais. De acordo com a diretora Josiane Coelho Loureiro, o clima deve ser de confraternização, pois nenhuma mudança deve ser feita. Já William Campos afirmou que está num posição de confronto, por acreditar que a atitude de protesto cabe a apenas alguns pais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário