quinta-feira, 26 de maio de 2011

Merenda escolar produzida em Petrópolis

Tribuna de Petrópolis - 26/05/2011


Em frente ao Parque Municipal, autoridades se reuniram com produtores para anunciar as novidades: governo vai dobrar volume de compra para merenda

A Prefeitura de Petrópolis ampliou o convênio com a Associação de Produtores de Hortifrutigranjeiros do Estado do Rio de Janeiro (Apherj). Anunciada no início da tarde de ontem, na Subprefeitura de Itaipava, a ampliação segue o que foi disposto na Lei 11.947/2009. A legislação federal determina que, do total dos recursos financeiros repassados pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) para execução do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), 30% deve ser utilizado para a aquisição de alimentos provenientes da agricultura familiar. Somente agora o município conseguiu cumprir o dispositivo.
“Até muito pouco tempo, ouvia-se dizer que a cidade de Petrópolis não tinha agricultura expressiva. Mas não é o que se vê agora. Todos os órgãos  estão trabalhando na mesma direção para valorizar a agricultura. Temos avanços na comercialização e contamos também com o apoio fundamental da prefeitura  na logística da merenda escolar. A classe de produtores tem ainda muitas ideias e bastante coisa para evoluir. Uma equipe muito boa está com o mesmo objetivo”, declarou Paulo Aguinaga, da diretoria da Apherj.
O convênio vai dar suporte ao agricultor familiar na execução da logística de entrega de legumes e verduras para a merenda escolar. Essa medida vai fazer com que os produtores rurais, que são fornecedores da rede municipal de ensino, possam dobrar a sua produção. “Depois de realizar o nosso censo do setor agrícola, constatamos dois problemas principais: escoamento da produção e comercialização. O primeiro resolvemos em parceria com o estado, o segundo está sendo acompanhado de uma série de medidas, e uma delas é o fomento à merenda escolar”, disse Charles Rossi, secretário de Ciência e Tecnologia, Desenvolvimento Econômico e Agricultura.
Rossi disse também que este tipo de ação vem para completar as lutas que ele travava na pasta quando assumiu o mesmo posto durante o governo Leandro Sampaio. Os produtores rurais vão atender 183 escolas do município e, com isso, ajudar a melhorar a qualidade da merenda, que atualmente é servida na rede pública de ensino. A secretaria ajudará na capacitação desses profissionais para que o preparo e a distribuição dos alimentos sejam qualificados.
“Esse acerto com a Prefeitura, que segue o determinado pela lei federal, vai propiciar o aumento da produção e fazer com que uma programação seja elaborada. Cada produtor tem um teto de negociação e pode vender até R$ 9 mil em alimentos ao município. A iniciativa vai estimular a produção e o produtor poderá escoar a mercadoria para um local mais próximo. E é melhor ainda produzir e saber que a mercadoria já possui um comprador”, informou Marco Ávila, secretário da Apherj e do Sindicato Rural de Petrópolis.
Marco explicou que a Apherj, em local próximo ao Hortomercado Municipal, reúne a produção e depois faz a triagem dos alimentos, com as informações passadas pela Secretaria de Educação para cada escola. O convênio com o governo municipal fez aumentar o número de produtores que serão fornecedores de merenda escolar: de 21, em 2010, para 44. São produtores do Bonfim, Caxambu, Vale das Videiras, Secretário, Caititu, Brejal, Taquaril, Santa Mônica e Jacó.

Nenhum comentário:

Postar um comentário