domingo, 17 de abril de 2011

Encontro ecumênico: comunidade Ahmadia promove sua 18ª reunião anual

Tribuna de Petrópolis - 16/04/2011


Neste ano, o Jalsa Salana reuniu 110 participantes. Eles participaram de discussão que tinha como tema a humanidade

A Comunidade Ahmadia Muçulmana do Brasil realizou no dia 3 de abril mais uma reunião anual, a 18ª Jalsa Salana, que neste ano teve como tema Humanidade. A reunião, já tradicional na cidade, é um evento ecumênico e congrega representantes de várias religiões e seitas. O evento deste ano contou com 110 participantes. No dia anterior, 20 jovens membros da comunidade participaram de uma gincana com diversas brincadeiras, na sede que fica na Estrada da Saudade, 215.
“O tema deste ano, Humanidade, tinha o objetivo de mostrar às pessoas que não é preciso só fazer o bem a quem se conhece. Às vezes, muitos se preocupam em olhar somente as diferenças e não veem a caridade que cada um possui. Todos elogiaram o trabalho promovido pela Ahmadia e a iniciativa de realizar um encontro ecumênico”, disse Wasim Ahmad Zafar, presidente da associação, que nasceu no Paquistão mas declarou ter coração brasileiro.
Foram cinco os representantes de outras religiões no ato: frei Volney Berkenbrock, diretor comercial da Editora Vozes, que representou os católicos; Celso Antônio Ferreira, do 3º Conselho Espírita de Unificação do Rio de Janeiro; Raimunda de Jesus, da Igreja Protestante; Dóris, da Seicho-No-Ie; e Roberto Francisco, do GCE. Também compareceu João Oliveira, presidente da Associação de Deficientes Visuais de Petrópolis.
O vigário-geral da Diocese de Petrópolis, monsenhor Paulo Elias Daher Chédier, enviou uma mensagem. No texto, além de dizer que orava pelo evento, disse esperar “que a 18ª Jalsa Salana aumente os laços de amizade e fraternidade que devem unir a todos nós para nossa alegria e felicidade. E contribua para maior entendimento entre todos os povos e religiões”. O prefeito Paulo Mustrangi também enviou um telegrama de felicitações.
A Reunião Anual da Ahmadia recebeu ainda uma mensagem especial do Khalifa, líder supremo da Comunidade Ahmadia Muçulmanas Internacional. Ele expressou sua felicidade pela escolha do tema e parabenizou a realização do ato ecumênico. “Os direitos humanos são estabelecidos verdadeiramente pelo Islã, libertando o homem de todas as barreiras de discriminação, seja por cor, nação ou religião”, diz um trecho da carta de cinco páginas.
“A cada pessoa deve-se amar como pessoa, independentemente de sua religião, nação ou cor. O Islã significa paz. Os atos terroristas não têm nenhuma relação com os ensinamentos do islamismo, que prega a paz e o entendimento entre os povos”, declarou Wasim. Na reunião, marcaram presença Nadeem Ahmad Tahir, vice-presidente da Ahmadia, e Ijaz Ahmad Zafar, secretário da Ahmadia. 
A Jalsa Salana terminou com uma oração, onde cada um rezou da sua maneira. Depois foi apresentada uma exposição do Alcorão, em mais de 50 idiomas. Ainda foi servido um almoço com comidas típicas da comunidade muçulmana. A Ahmadia está aberta aos visitantes e disponibiliza para contato o telefone             (24) 2242-1385       e o e-mail – info@ahmadia.org.br. A associação tem também um site: www.ahmadia.org.br.

Nenhum comentário:

Postar um comentário