quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Presépio: tradição na maioria das paróquias de Petrópolis

Tribuna de Petrópolis - 23/12/2010



Tradição: presépio da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, montado na entrada do Convento dos Frades Franciscanos, na Rua Montecaseros

O presépio é um dos mais tradicionais símbolos natalinos e, junto com o pinheiro e os presentes, um dos mais antigos tipos de caracterização do Natal. Ele também é uma referência cristã e representa o estábulo com a cena tradicional do nascimento de Jesus em Belém. A palavra presépio advém de praesepe ou praesepium, que, em latim, significa curral.
Em Petrópolis, cada paróquia costuma montar o seu próprio presépio e é uma atração a mais para os visitantes e fiéis católicos, que podem utilizar o local para orações e contemplar a chegada de Cristo. Na Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, uma das mais antigas igrejas da cidade, o presépio está montado no Jardim São Francisco, na entrada do Convento dos Frades Franciscanos. A paróquia, que por muitos anos realizava uma exposição de presépios de vários lugares, não organiza mais a mostra.
“Até 2008, tínhamos a exposição que vinha de Guaratinguetá (Seminário Frei Galvão). As fraternidades franciscanas pegavam alguns presépios emprestados de uma coleção montada por um frei. Nós recebíamos cerca de 30 presépios para expor a cada ano, mas eles resolveram montar uma exposição permanente lá e recolheram as peças”, disse Elizabeth Rigoni, secretária da paróquia.
As principais peças da montagem são: o menino Jesus, a Virgem Maria, São José, a manjedoura, os animais, os anjos, os pastores, a estrela e os três reis magos. A manjedoura, revestida de palhas, foi utilizada como berço para o menino e é o local onde se põe a comida para os bichos. Os animais servem para ilustrar a falta de luxo do lugar onde Cristo nasceu. Geralmente são usados burros, bois e ovelhas. Os anjos anunciam a chegada do Filho de Deus. Os pastores simbolizam a simplicidade do povo. A estrela de Belém se coloca acima de toda a cena e serviu como guia para os reis magos.
Conhecidos como Melquior, Baltazar e Gaspar, os reis magos eram sábios vindos do Oriente e conduzidos pela estrela de Belém até o local para adorar o novo Rei dos Judeus. Cada um trazia um presente. O ouro representava a realeza, o incenso significava a oração elevada aos céus e a mirra era uma resina utilizada para embalsamar corpos. Deve-se a eles a troca de presentes no Natal.
A tradição do presépio começou com São Francisco de Assis. O santo fez a primeira montagem no Natal de 1223, quando decidiu celebrar a data não na igreja, mas na floresta. São Francisco tinha o objetivo de montar o presépio para explicar às pessoas mais simples como foi o 
nascimento de Jesus Cristo. Ele fez uso de um cenário natural e de animais vivos para transformar o importante evento em um acontecimento real para as pessoas. A introdução do presépio no Brasil foi feita na Região Nordeste. Os estudiosos atribuem ao franciscano frei Gaspar de Santo Agostinho, no século XVII, a criação do primeiro presépio no Brasil, na cidade de Olinda, em Pernambuco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário