sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Coleção com 300 bonecos de Noel

Tribuna de Petrópolis - 24/12/2010



Mãe e filha são as responsáveis pela montagem de uma grande e curiosa coleção. Eunice Rempto, de 82 anos, sempre gostou da figura do Papai Noel e, por muito tempo, pensou que ele realmente existia. Em Além Paraíba, Minas Gerais, ao escutar o sino que chamava os fiéis para a Missa do Galo, achava que era o anúncio da chegada do bom velhinho. Essa admiração fez surgir uma coleção com mais de 300 Papais Noéis.
A filha de dona Eunice, Jarlete Rempto de Moraes, não só ajuda a mãe a adquirir novos itens como também é incumbida de organizar a coleção na sala da casa na Rua Quissamã. Ela também é artesã e está com uma barraca montada no Palácio de Cristal, neste período de Natal, onde vende velas.
“Eu levo um mês inteiro para montar tudo isso. E agora só desmonto também no Carnaval. Dá trabalho, pois todos são guardados em caixas e protegidos com plástico para melhor conservação”, explicou Jarlete.
Logo na entrada da casa, um Papai Noel sentado no telhado dá as boas vindas aos visitantes e vizinhos. É a forma como a vizinhança é avisada que a numerosa coleção já habita a sala de dona Eunice. As crianças sempre se manifestam e costumam até conversar com o enfeite.
“Titia, tira ele da chuva. Ele vai ficar dodói”, disse um menino de oito anos. “Papai Noel, tô comportado”, disse outro de três anos, em relatos transcritos por Jarlete.
A coleção é resultado de 15 anos de compras. E há Papai Noel para todos os gostos. É só pensar em um tipo que logo se encontra. Tem uma orquestra inteira, com cada um tocando um instrumento diferente. Um pula corda, outro dança. Um sobe e desce a escada, outro ainda tira fotos. Quase todos eles tocam alguma tradicional canção natalina. E não podia também faltar a figura clássica no imaginário infantil: o Papai Noel que entra na casa pela chaminé.
É possível imaginar que quando toda a família se reúne para celebrar o Natal, a coleção seja o grande atrativo para as crianças, que não se cansam de admirá-los. Segundo conta Joel Rempto, esposo de dona Eunice, são seis netos e seis bisnetos que fazem do Natal uma grande diversão.
“A coleção que toma conta da sala não devia nem ser desmontada. É a alegria da criançada e depois também fica um monte de caixas amontoadas. Prefiro assim”, afirmou Joel.
Quase todos os bonecos tocam músicas em inglês, mas somente um deles foi comprado nos Estados Unidos e trazido por uma amiga da família. Apesar do idioma estrangeiro, são todos comprados no Brasil, com exceção do já citado, a maioria no Rio de Janeiro e em São Paulo. Das lojas de R$ 1,99 vieram as miniaturas feitas em resina e gesso. Cada um com a respectiva data de compra anotada embaixo. Jarlete, aproveitando o seu dom de artesã, fez um Papai Noel em tamanho natural que está instalado no sofá.
“A gente gasta muita pilha aqui em casa com toda essa coleção Quando compramos pilha, tem que ser em caixa fechada. As crianças adoram e temos que dizer para os mais novos que o Papai Noel está cansado para poderem brincar com outro”, finalizou Joel Rempto.
A espantosa coleção de dona Eunice e Jarlete chama a atenção, pois cada item é único, mas, de acordo com o Guinness Book, o Livro dos Recordes, o canadense Jean-Guy Laquerre, de 74 anos, é o recordista mundial no quesito. Ele tem 25.104 itens de Papai Noel, tendo iniciado a coleção em 1988.

Nenhum comentário:

Postar um comentário