quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Escolas atingidas pelo temporal serão reformadas pelo município

Tribuna de Petrópolis - 02/02/2011

A Escola Municipal Amélia Antunes Rabello, em Madame Machado, foi inundada. Prédio passa por obras para não atrasar o início do ano letivo
A Prefeitura vai reformar algumas escolas no município, sendo que uma delas foi afetada pelas chuvas há três semanas, a Escola Municipal Dr. Theodoro Machado, no Vale do Cuiabá. Outras unidades de ensino na região mais atingida em Petrópolis, como a Santo Antônio, também no Vale do Cuiabá, Amélia Antunes Rabello, em Madame Machado, e Darcy Corrêa da Veiga, em Santa Mônica, também já estão sendo recuperadas pela Secretaria de Obras. As obras ainda não terminaram.
A escola Dr. Theodoro Machado já fazia parte de um pacote de 22 escolas e CEI’s (Centro de Educação Infantil) que vão receber intervenções ainda neste semestre. Segundo o secretário de Obras, Stênio Nery, será feito um aditivo para recuperar os danos causados pela inundação que atingiu o primeiro andar do prédio. As obras incluem a recuperação de piso, da cerca e de parte da tubulação que foi danificada, como informa a assessoria da Prefeitura.
A área não é considerada de risco, mas está em uma APP (Área de Preservação Permanente), próxima ao rio. De acordo com publicação do Diário Oficial do município, de 26 de janeiro de 2011, o prazo para execução da obra é de 90 dias e a mesma está orçada em R$ 471.028,60. Este valor foi estipulado antes do desastre provocado pela forte chuva do dia 12 de janeiro. No mesmo prédio da escola também funciona o Posto de Saúde do Boa Esperança.
Já a unidade de Madame Machado, Amélia Antunes Rabello, que foi construída em 2004, conta com cerca de mil alunos e já havia sofrido com as chuvas há três anos, no carnaval de 2008. A escola teve o primeiro andar inundado, e  refeitório, com freezers e geladeiras, ficou destruído. As obras serão custeadas com as verbas emergenciais, como informou a Prefeitura ontem.
“A escola passará por reforma para que os alunos não fiquem sem as aulas, mas espero conseguir verba junto ao governo federal para que seja refeita em outro espaço, dentro do mesmo bairro, ainda no primeiro semestre deste ano. Na minha opinião, foi uma construção irresponsável, de forma eleitoreira, feita em uma área condenada e que está sujeita a sofrer novos danos”, disse o secretário de Educação,  William Campos, na semana passada.
As escolas municipais Jorge Amado, na Estrada da Saudade – com prazo de 120 dias para o término das obras e custo de R$ 327.972,16 –, e Nilo Peçanha, em Pedro do Rio, também com quatro meses para execução da reforma pelo valor de R$ 295.993,81, também estão no cronograma do governo para este semestre.

Nenhum comentário:

Postar um comentário