segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Casas ameaçadas por barreira no Atílio Marotti

Tribuna de Petrópolis - 30/10/2011

O medo chega com a chuva: situação de risco há 10 meses
Moradores da Rua Atílio Marotti, na altura do número 802, estão preocupados com uma situação que já se arrasta por dez meses. Desde que uma barreira caiu naquele ponto, em dezembro de 2010, e deixou 10 residências ameaçadas, três na parte de cima e sete abaixo do barranco, existe o risco de novos deslizamentos. A última visita da Defesa Civil, há 20 dias, foi com o objetivo de demolir as casas sobre a área ameaçada, mas as famílias não permitiram. Eles querem que o governo municipal faça intervenções no local, como a construção de um muro, ou arrume antes outros imóveis para que eles façam a mudança.
A Defesa Civil veio aqui há 20 dias para fazer a demolição das casas, mas eu e meus irmãos pedimos para esperar. Sei que a casa está em uma área de risco, mas nós vamos para onde? Não aceitamos a destruição. Já que o prefeito está visitando as comunidades, espero ele vir aqui para mostrar pessoalmente como estamos”, relatou a moradora Mara Regina Gomes Torres. Nas três casas da sua família, moram quatro irmãos, um cunhado e a mãe de 83 anos, que tem Mal de Alzheimer.
Na parte de baixo, a residência da operadora de telemarketing Josiana Todescato é uma das que estão na linha de perigo. “Desde a queda da barreira, a questão está do mesmo jeito. Na verdade, não sei o que impede a construção do muro, se é a falta de recurso das famílias ou ausência de iniciativa da prefeitura. A nós nada foi falado desde então. A Defesa Civil só se dirigiu a nós naquele período e interditou as casas da parte de baixo. Mas não temos outros locais pra ir. E essa casa nem é minha, pertence à minha sogra”, disse ela, que mora ali com o marido e o filho adolescente.
Josiana e o marido Marcelo Todescato procuraram ajuda e descobriram que não teriam direito ao aluguel social. “O nosso interesse é que eles façam o muro. Hoje eu quero uma solução rápida. Já pensei em muita coisa durante esse tempo. Que o poder público possa tomar alguma providência em relação ao barranco que ameaça desmoronar. O período de chuvas está voltando”, desabafou ela. Josiana já procurou também o Ministério Público.
Outro morador que ao abrir a porta de casa dá de cara com a ameaça constante é o aposentado Lindolfo Carlos da Fonseca, residente da localidade há 28 anos. Ele disse já ter trabalhado muito para resolver este problema, mas hoje tem poucas expectativas. “A queda de barreira está quase completando um ano e ainda causa muita preocupação. Quando chove, mando até o meu filho ficar na casa da namorada”.

São Judas Tadeu leva centenas de fiéis à Mosela

Tribuna de Petrópolis - 29/10/2011

A crença em São Judas Tadeu levou centenas de pessoas à Mosela ontem
As celebrações pelo dia de São Judas Tadeu, ontem, levaram centenas de fieis à paróquia dedicada ao santo, no bairro Mosela. Foram sete missas e a solene procissão, além da festa no entorno do templo, que reuniu fiéis, devotos e paroquianos. Como ontem foi feriado para o funcionalismo público, a categoria esteve livre para participar dos festejos, tendo ainda uma missa especial, às 18h30.
“Alegria pela festa do padroeiro. Não só hoje (ontem), mas também pela novena, que teve uma boa participação e contou com outros padres vindo celebrar conosco, e o trabalho de toda a equipe desde a véspera. Sabendo que São Judas Tadeu é digno de toda a nossa devoção, somos devedores dele, das graças que ele tem alcançado. Ver o povo participar com tanto ardor nos dá alegria. Pedimos a Deus que essa devoção se transforme em uma busca de imitação. São Judas Tadeu foi muito próximo de Jesus, não só por ser parente, ter laços de sangue, mas alguém que viveu na intimidade com o Cristo”, declarou o pároco padre Luis Mello ao site da paróquia.
Uma das celebrações mais concorridas foi a Missa dos Enfermos, rezada na parte da tarde. A igreja ficou lotada. Padre Luis contou com o auxílio do frei Luis Flávio, da Paróquia Sagrado Coração de Jesus, para administrar o sacramento da unção dos enfermos. Uma devota cumpriu mais uma vez o  ritual de todo 28 de outubro: participar de uma missa no dia do santo das causas desesperadas.
“Há 40 anos que eu sempre venho aqui no dia do padroeiro. Faço isso desde o meu casamento, que foi realizado nessa igreja em 28 de outubro de 1971. Desde aquela data, não perdi uma festa de São Judas Tadeu, faça chuva ou faça sol”, declarou, emocionada, a aposentada Shirley Luzia Boscolo, moradora do Alto da Serra. Ela ainda comprou um grande buquê de rosas vermelhas para colocar aos pés da imagem.
Ontem também foi comemorado o Dia do Flamenguista. Na sede do clube, no bairro carioca da Gávea, também foi celebrada uma missa já que São Judas Tadeu é o padroeiro.

Conferência Estadual de Juventude

Tribuna de Petrópolis - 29/10/2011

Está sendo realizada, no Rio de Janeiro, a 2ª Conferência Estadual de Juventude, que conta com a presença de 17 delegados de Petrópolis. Eles foram escolhidos na conferência municipal que ocorreu em setembro. O intuito do evento é discutir o que já foi feito das políticas de juventude em todo o estado e refletir sobre o papel da juventude na Copa do Mundo e nas Olimpíadas. A expectativa dos organizadores é receber mil delegados. O evento se iniciou na tarde dessa sexta e vai até amanhã, quando se encerra com um show dos Paralamas do Sucesso no próprio local da conferência, o Circo Voador.
“Petrópolis nunca participou desse processo. A conferência municipal foi em setembro, temos agora a estadual e a nacional será em dezembro. O nosso desejo é que o jovem petropolitano participe e discuta mais política”, declarou Yuri Moura, coordenador de Juventude junto à Secretaria de Trabalho, Assistência Social e Cidadania (Setrac). Ele ainda anunciou um workshop para dezembro, que irá discutir o Plano Municipal de Juventude.

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Acidente deixa trânsito lento na Rua da Imperatriz

Tribuna de Petrópolis - 28/10/2011

O motociclista atingiu o caminhão e teve fratura exposta no pé: engarrafamento
Uma colisão entre caminhão e moto, bem em frente ao Museu Imperial, causou retenções na Rua da Imperatriz e arredores, no início da noite de ontem. O acidente ocorreu por volta das 18h30 e deixou o piloto da motocicleta ferido, com uma fratura exposta no pé. Ele foi levado para o Hospital Santa Teresa. De acordo com testemunhas, o caminhão saía da ponte existente no local e a moto acabou batendo no veículo quando este parou. O trânsito intenso na área causou impaciência nos motoristas. Controladores de tráfego da CPTrans ajudavam na condução do tráfego.

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Dez mil beneficiados em projeto esportivo

Tribuna de Petrópolis - 27/10/2011

A professora Fernanda Planz, do programa Mais Educação, diz que já há material para as escolas da cidade
O secretário de Educação William Campos obteve em Brasília a implantação do programa Segundo Tempo em 49 escolas municipais dentro do Mais Educação. O fato acontece justamente no período em que as denúncias sobre irregularidades no repasse de verbas para a execução do mesmo programa através de ong’s acabaram derrubando o ministro dos Esportes, Orlando Silva, ontem. O secretário fez questão de ressaltar que essa versão é diferente e não envolve qualquer outra organização, somente órgãos dos governos federal e municipal.
“Quero deixar claro que não há nenhum vínculo com qualquer ong. Queremos o programa para ampliar a prática esportiva nas escolas. Seria muito oportunismo se não falássemos do programa em função das denúncias que estão sendo apuradas no Ministério do Esporte. Incentivar o esporte é uma política pública que deve ser garantida, independente de interesses políticos ou de punição a possíveis irregularidades”, salientou William Campos.
O Segundo Tempo será lançado hoje, às 15h, no Salão Nobre da Universidade Católica de Petrópolis, no campus da Rua Benjamin Constant. O programa vai atingir 9.243 crianças e permitirá o acesso ao esporte por meio da proposta de educação integral do Mais Educação. A Secretaria de Educação já recebeu do Ministério do Esporte quase nove mil itens em material esportivo para o desenvolvimento do projeto.
As professoras Fernanda Planz e Luciana Messa, do programa Mais Educação, são as mediadoras entre o município e o Ministério do Esporte. De acordo com Fernanda, já se encontram nas escolas 3.822 bolas (futebol, basquete, vôlei), 343 redes, 735 bambolês, 735 dominós e outros 3.675 equipamentos esportivos. Essa modalidade do Segundo Tempo foi iniciada em 2010, em 1.149 escolas de todo o país, e já chegou a cinco mil neste ano.
“O Mais Educação já está em 63 escolas de Petrópolis. Cada unidade tem 59 opções de atividades, divididas em 10 macrocampos, e um deles é o Esporte e Lazer. Uma parceria do Ministério dos Esportes com o Ministério da Educação possibilitou a utilização do Segundo Tempo neste setor. Pelos critérios de 2011, a escola tem que ter entre 150 e 300 alunos para receber o programa. É uma exigência do próprio governo federal, não é da secretaria”, disse Fernanda Planz.
As atividades são: recreação e lazer, tênis de mesa, caratê, futsal, xadrez tradicional, judô, atletismo, futebol, vôlei, ginástica rítmica, taekwondo, basquete de rua e basquete. Os monitores ainda estão sendo selecionados dentro do cronograma do Mais Educação. Os currículos já estão nas escolas e são os diretores que selecionam. Foram recebidos cerca de 1.300 currículos. Os monitores também serão capacitados com aulas telepresenciais, ainda sem datas definidas, em dois polos, um no Centro e outro nos distritos.
“O objetivo do Segundo Tempo não é formar atletas. É oferecer o esporte como um instrumento educativo. A carga horária é de duas horas semanais por modalidade”, informou Fernanda. Uma das unidades de ensino contempladas foi a Escola Municipal  Dr. Rubens de Castro Bomtempo, na Vila  Felipe. De acordo com Viviane Almeida de Souza Leonardo, coordenadora pedagógica, o programa já atinge 300 crianças no local.
Escolas contempladas: Gunnar Vingren, Germano Valente, Carmem Nunes Martins, Abelardo de Lamare, Bataillard, Clemente Fernandes, Dr. Rubens de Castro Bomtempo, José Gonçalves da Motta, Odette Fonseca, Professora Dora Killer, Gov. Marcello Alencar, Stefan Zweig, Soroptimista, Prof.ª Ernestina Francioni de Abreu, Santa Maria Goretti, Sérgio Ribeiro da Rocha, Águas Lindas, Jorge Amado, Lúcia de Almeida Braga, Magdalena Tagliaferro, Prof. Amadeu Guimarães, Prof. Prado, Paroquial Loteamento Samambaia, São Geraldo, Paroquial Santa Bernadete, Monsenhor Cirillo Calaon, Amélia Antunes Rabello, Augusto Pugnaloni, Dr. Paula Buarque, Dr. Theodoro Machado, Santa Terezinha, Américo Fernandes Ribeiro, Dr. Barros Franco, Nilo Peçanha, Beatriz Zaleski, Oswaldo da Costa Frias, Marieta Gonçalves, Salvador Kling, Prefeito Jamil Sabrá, Luiz Carlos Soares, Geraldo Ventura Dias, Vereador José Fernandes da Silva, Liceu Municipal Carlos Chagas Filho, Alto Independência, Fábrica do Saber, Ana Mohammad, Prof. Josemar Contage, Monsenhor João de Deus Rodrigues e Johann Noel.

Paróquia São Judas Tadeu celebra o seu padroeiro

Tribuna de Petrópolis - 27/10/2011

A Paróquia São Judas Tadeu, no bairro Mosela, celebra o seu padroeiro nesta sexta-feira. Durante todo o dia, serão sete missas, além da festa externa que terá a venda de doces, salgados, bolo do padroeiro e artigos religiosos. Entre os dias 19 e 26 de outubro foi realizada a novena, que contou com a presença de vários sacerdotes da Diocese de Petrópolis. O santo é popularmente conhecido como intercessor das causas desesperadas e também é padroeiro do Clube de Regatas do Flamengo.
A missa das 7h é destinada aos devotos e às equipes de trabalho. Logo após a celebração, haverá a bênção do bolo do padroeiro. Às 9h, a missa é especial para a Escola São Judas Tadeu e às 11h quem marca presença são as pastorais da comunidade. Já às 14h acontece a Missa dos Enfermos. Às 16h30, a celebração é voltada para os dizimistas e benfeitores. E como amanhã também é feriado para o serviço público municipal, às 18h30 a missa é para os funcionários públicos. A tradicional procissão de São Judas Tadeu ocorre às 20h e às 20h30 o encerramento das festividades vem através da missa solene.
Para os rubro-negros, o santo se tornou forte na década de 50. O padre Góes, da Paróquia São Judas Tadeu, do bairro carioca do Cosme Velho, foi até a Gávea celebrar uma missa, em 1953. Naquela ocasião, o clube estava há quase nove anos sem ganhar o Campeonato Carioca. O religioso pediu que os torcedores fossem até o templo e acendessem uma vela para o santo. E deu certo. O time iniciava ali a conquista do seu segundo Tri Carioca (1953/54/55). Em 2007, César Maia, então prefeito do Rio, decretou o Dia do Flamenguista, a ser comemorado também em 28 de outubro.
A Paróquia São Judas Tadeu foi criada em 2010 pelo bispo diocesano Dom Filippo Santoro, que  nomeou como pároco padre Luis Melo e vigário padre Nerel Quirino. A igreja, porém, existe desde a década de 50 e a estruturação da comunidade se deve principalmente ao trabalho do incansável frei Aniceto Kroker. O religioso veio em 1956 para o Convento dos Franciscanos em Petrópolis e foi vigário da Paróquia Sagrado Coração de Jesus.
As Obras Sociais São Judas Tadeu da Mosela, reconhecidas como de Utilidade Pública Municipal em decreto de 1958, dão suporte à paróquia. Fundada em 28 de outubro de 1952, tem como principal fruto a Escola São Judas Tadeu, que hoje mantém convênio com a Mitra Diocesana e a Secretaria de Educação.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Mulher vive há quase oito anos com o aluguel social

Tribuna de Petrópolis - 26/10/2011

A faxineira Maria de Fátima ainda tem esperança de voltar a ter sua casa
A faxineira Maria de Fátima dos Santos tem um aniversário de oito anos se aproximando, em janeiro de 2012, mas pra ela a data não é motivo de festa. Esse é o tempo de espera para ter uma casa popular cedida pela Prefeitura Municipal. Em dezembro de 2003, uma barreira na localidade Vila Canaã, na Lopes Trovão, destruiu o terreno onde estava a sua casa e as moradias de mais cinco parentes. Desde então, Maria está vivendo de aluguel social no mesmo bairro, mas a situação não a deixa cômoda.
“Recebo R$ 200 da prefeitura, mas tenho de pagar R$ 300 de aluguel e preciso tirar do meu salário, que já não é muito. A gente ouve por aí que as pessoas que perderam as casas nas chuvas de janeiro no vale do Cuiabá vão receber novas casas populares. Escutamos também que vai vir a ajuda do governo municipal e do estado. Nada contra essas pessoas ganharem, mas e nós, que estamos esperando há tanto tempo? Eles até falam que vão fazer, mas quando será isso?”, desabafa Maria de Fátima. A chuva que causou a tragédia da família Santos ocorreu em dezembro de 2003 e fez desabar um terreno nas margens da Estrada Velha da Estrela. “Havia uma meia dúzia de casas e com aquela chuva perdemos tudo”, disse Maria de Fátima. A área logo foi interditada pela Defesa Civil, que acabou derrubando o que ainda resistiu em pé. Com o local condenado e as famílias retiradas, eles começaram a receber o aluguel social no mês seguinte. A solução que seria provisória se estende há quase oito anos.
“Queremos a nossa própria casa, como foi prometido pelos governantes. Aqui moram seis pessoas. A residência não é ruim, mas pago aluguel. O imóvel não é meu. Todo ano vou até a Setrac e renovo o meu cadastro para as casas populares e até agora nenhuma resposta. O mesmo acontece na Secretaria de Habitação”, declarou ela. A irmã, Sônia Regina dos Santos, também precisa colocar dinheiro do próprio bolso para completar o aluguel da casa onde mora atualmente. Só que ela desembolsa R$ 130.

terça-feira, 25 de outubro de 2011

Tragédia na BR-040: acidente de carro mata estudante de 26 anos

Tribuna de Petrópolis - 25/10/2011 - Reportagem junto com Carla Cavalcante

Felipe Danelon tinha 26 anos e cursava Ciência da Computação na UCP
Um trágico acidente na tarde de domingo matou um jovem de 26 anos na Rodovia BR-040. Felipe Dias Danelon estava sozinho em um Ford Focus prata, que capotou nas margens da estrada. O corpo foi sepultado no fim da tarde de ontem, no Cemitério Municipal.
De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, o acidente aconteceu por volta das 14h de domingo, quando o rapaz seguia para o aniversário de um amigo, em Itaipava. Por coincidência, a noiva havia ficado em casa porque precisava fazer um trabalho. Felipe saiu de casa, na Rua Presidente Sodré, no Siméria, por volta das 14h, e o acidente teria ocorrido cerca de 20 minutos depois.
Na altura do quilômetro 68, nas proximidades da antiga Alpha Café Solúvel, o rapaz perdeu o controle da direção do carro. Desgovernado, o veículo bateu na mureta de proteção, passou sobre o guard rail e capotou. Felipe sofreu um forte impacto na cabeça e morreu antes da chegada do socorro. Motoristas que passaram pelo local instantes depois acionaram uma ambulância da Concer, mas não havia mais tempo. O corpo do rapaz foi removido pelo Corpo de Bombeiros e levado para o Instituto Médico Legal (IML) em Corrêas e liberado para sepultamento ontem de manhã.
Esse, entretanto, não foi o único acidente registrado na rodovia. Na mesma noite, com problemas mecânicos, um carro pegou fogo nas proximidades da entrada de Araras. O proprietário já havia saído do veículo, o qual teria ficado completamente destruído. Já ontem pela manhã, na descida da serra, um carro saiu da pista e bateu na mureta de proteção. A colisão aconteceu dentro do túnel, na altura do Km-84. Não houve feridos.
Nas últimas 48 horas, tombamentos de carretas também foram registrados na Rodovia BR-040. Segundo a Concer, ontem pela manhã, um caminhão-cegonha carregado com dez veículos tombou na altura do Km-31, sentido Rio de Janeiro. Por causa do tombamento, o tráfego permaneceu em meia pista no local. O motorista viajava sozinho e sofreu apenas ferimentos leves. No dia anterior,  outro caminhão-cegonha já havia tombado na altura do Km 31, desta vez no sentido Juiz de Fora. Uma pessoa ficou ferida.

Comoção durante o velório

Felipe Danelon foi enterrado ontem à tarde sob clima de comoção. Amigos e parentes acompanharam o sepultamento ainda sem entender o que aconteceu. “Triste demais, não sei o que falar nem o que pensar. Vemos notícias de coisas como essa na televisão e nunca imaginamos que pode acontecer com a gente. Ele tinha muitos amigos. Pensar nisso e perceber que mesmo os que não puderam vir ao velório oram por ele é um conforto nesta hora”, declarou o primo Vinícius Danelon.
O jovem, que já trabalhou na Taho, na Allen Informática e hoje prestava serviço à Orange, no Rio, cursava Ciência da Computação na Universidade Católica de Petrópoli. Um de seus melhores amigos, Rômulo Barros, contou um pouco da relação de amizade entre os dois. “Era um cara muito inteligente e buscava sempre se inteirar de assuntos relacionados ao trabalho. Como amigo, estava sempre procurando a todos. Do nada ele ligava e queria saber como cada um estava. Era um filho atencioso, até porque tem uma irmã que mora longe. O pai dele tinha uma mercearia no Siméria e ele ajudava. Saíamos sempre juntos”, disse Rômulo.

No Independência, moradora tem casa invadida por porcos

Tribuna de Petrópolis - 25/10/2011

Núbia mostra os estragos que os animais fizeram no acesso à sua casa
Uma situação, no mínimo curiosa, tem atormentado a vida de uma dona de casa no Independência. No final da Estrada Presidente Sodré, que liga o bairro ao Siméria, Núbia Beatriz tem tido a residência e o quintal invadidos por porcos. Eles pertencem a uma casa da rua de cima – Rua Manoel Francisco de Paula, no Siméria – e descem o barranco que termina no local onde existem as reclamações. O caso surgiu há seis meses.
“O pior de tudo isso é que a dona deles não tem um local fechado para cuidar dos animais. Deixando eles soltos, os porcos comem toda a vegetação do morro e as plantações de batata, aipim, abóbora e até taioba da vizinhança. Tudo o que os vizinhos plantaram acabou. Isso causa preocupação, pois os barrancos ficam expostos e, chegando a época das chuvas, vamos correr riscos”, disse Núbia, mostrando parte da rua que começa a ceder. Segundo ela, os porcos até avançam sobre os moradores e reviram a lixeira da localidade, atraindo ratos. “Sem contar que uma pilastra da casa da vizinha já está ameaçada, pois eles mexeram com o terreno em volta”, desabafa Núbia. Ela disse já ter procurado a Prefeitura Municipal e esta a encaminhou a órgãos como a Fiscalização de Posturas e Secretaria de Meio Ambiente. Em nenhum destes ela encontrou uma resposta satisfatória.
“Os porcos são selvagens e já causam medo em algumas pessoas. E esse jogo de empurra nos órgãos públicos me deixa sem saber o que fazer”, desabafou ela. As únicas representações municipais a estar no local foram a Vigilância Sanitária e a Defesa Civil. Esta última foi estudar o local apontado como área de risco. A moradora Núbia Beatriz espera agora o laudo para poder acionar a Secretaria de Obras, que deve fazer os reparos na área desbastada pelos porcos.

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Caminhão derrapa, bate e fecha a pista de subida da serra na BR-040

Tribuna de Petrópolis - 22/10/2011

Um guindaste foi usado para liberar parte da pista de subida. Acidente provocou grande congestionamento
No fim da tarde de ontem, o tempo de descida da serra foi um pouco maior do que o usual para alguns usuários da estrada. O motivo da demora foi um acidente que causou retenção de 4 quilômetros, quando um caminhão chegou a interditar completamente a rodovia. Anderson Luís, de 37 anos, dirigia o veículo e acabou perdendo o controle, tendo atravessado a pista, na altura do Km-86 da BR 040, logo após o viaduto Véu da Noiva. Equipes da Concer liberaram logo o trecho, que passou a operar em meia pista.
Eu vinha pela pista da direita e não estava com uma velocidade muito alta, andava a 60Km/hora, mas o caminhão escorregou, pois o asfalto estava molhado. O veículo ficou em “L” e subi no canteiro lateral. Passando pelo meio-fio, os dois pneus dianteiros estouraram. Não deu pra segurar e felizmente não ocorreu nada de mais grave, já que não vinha nenhum carro logo atrás”, explicou o motorista.
Anderson ainda ficou um pouco assustado após o acidente. Em seis anos dirigindo caminhões com carregamentos inflamáveis, foi o seu primeiro acidente. Ele vinha de uma viajem de 2,5 mil quilômetros e desde terça-feira fazia o retorno de Recife e se dirigia para Duque de Caxias. Uma hora depois do acidente, equipes da Concer conseguiram desinterditar parcialmente a descida da serra e permitiram que o trânsito fluísse em meia pista, passando a retenção para dois quilômetros, entre os Km 86 e 84 da BR-040. A carreta só seria retirada totalmente da pista na noite de ontem.
O acidente causou incômodo para muitos usuários que se dirigiam para a Baixada Fluminense e sobretudo para o Rio de Janeiro. Alguns motoristas utilizaram o acostamento para tentar reduzir o tempo de espera, mostrando impaciência com o engarrafamento.

Novo comando mantém blitz por motos

Tribuna de Petrópolis - 22/10/2011

Três motos foram apreendidas em operação realizada ontem, no Centro
A Polícia Militar realizou várias blitze por toda a cidade ontem, com o objetivo de coibir a circulação de motocicletas em situação irregular. As blitze aconteceram na Avenida Barão do Rio Branco, pela manhã, e nas ruas Marquês de Paraná, no Valparaíso, e Rocha Cardoso, no Centro, na parte da tarde. De acordo com o tenente Martins, responsável pela operação na Rocha Cardoso, em frente à UPA do Centro, a ordem é dar continuidade e intensificar as operações feitas pelo comandante anterior.
Como o veículo que carrega as motos apreendidas para Duque de Caxias só possui vaga para sete motocicletas, poucas ficaram retidas naquele local. Na tarde de ontem, foram três somente. “Chegando alguém habilitado, acabamos liberando a moto, se for um problema somente do condutor, que ainda assim é multado. O nosso intuito é verificar se os documentos dos veículos estão em atraso e se o condutor está andando corretamente. Nas motocicletas, observamos ainda as placas e retrovisores. Já diminuímos bastante a circulação de motos irregulares”, informou o tenente Martins.
Foram as primeiras operações sob o comando do tenente-coronel Marcus Vinícius Mendonça de Oliveira, que está à frente do 26ºBPM e substituiu o tenente-coronel André Luíz Araújo Vidal, que foi para o Batalhão de Polícia Florestal e Meio Ambiente (BPFMA).

Profissionais da saúde celebram o Dia do Médico

Tribuna de Petrópolis - 22/10/2011

O Dia do Médico foi comemorado em 18 de outubro, mas o Clube dos Médicos celebra a data com um jantar dançante neste sábado, em sua sede, na Rua Dias de Oliveira, no Bingen. Na ocasião, haverá sorteio de brindes como um iPad, joias, camisa do Fluminense, duas TV’s, um laptop, canetas, um jantar no Majórica e um fim de semana em Búzios. Serão homenageados também dois profissionais de destaque no ano, que foram escolhidos por sorteio. O editor da Tribuna de Petrópolis, Douglas Prado, será agraciado com a Medalha Paulo Baffi, maior honraria da casa.
Um dos homenageados será Arnaldo Rippel. Poeta, membro da Academia Petropolitana de Letras e da Academia de Poesia de Petrópolis, o ortopedista é também presidente do centenário e tradicional clube Petropolitano. Ele possui consultório na Rua do Imperador e é o atual diretor científico-cultural da Associação Médica de Petrópolis.
A outra homenageada será Wanda Heloísa Ferreira. Ela preside o Grupo de Pacientes Artríticos do Rio de Janeiro (Gruparj), que possui três mil associados. Reumatologista de renome no Brasil e no exterior, é também diretora da Sociedade de Reumatologia e realizou o maior Congresso Médico de 2011 em Petrópolis, com mais de 800 participantes. É fundadora e participa de várias cooperativas e associações.
Como o dia é de premiar pessoas que têm promovido melhoras para a sociedade através de seus trabalhos, outro a ser lembrado é o juiz Jorge Luis Martins Torres, da 3ª Vara Cível da Comarca de Petrópolis. Ele tem realizado muitas conciliações e audiências extras para agilizar os processos sob a sua responsabilidade e é destaque no fórum da cidade. Pela Usimed, o dentista, médico e general do Exército Ângelo Aversa Marzano será também homenageado.
O jantar será animado pelo artista petropolitano Joãozinho do Cavaco. O padre Quinha dará uma benção para os médicos presentes. Na parte da manhã, acontecerá a Jornada de Alergia Alimentar, às 11h, na laboratório Baffi do Edifício Dona Arabella. O evento é aberto a todos os médicos. Às 10h, no mesmo local, será servido um café da manhã. A programação ainda conta com uma missa, às 10h30, na Catedral São Pedro de Alcântara. A celebração é em ação de graças pelo aniversário do Serviço de Ortopedia do Hospital Santa Teresa. À tarde, haverá uma partida de futebol no campo do Clube dos Médicos.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

Petropolitano é destaque em concurso da Petrobras

Tribuna de Petrópolis - 21/10/2011

Gabriel: primeiro lugar para o cargo de técnico de telecomunicações júnior
A unidade Petrópolis do Centro Federal de Educação Tecnológica (Cefet) tem pouco mais de três anos e já dá frutos para a cidade. Um de seus alunos passou em primeiro lugar no Concurso Público Nacional da Petrobras para o preenchimento de vagas de Técnico de Telecomunicações Junior. O petropolitano Gabriel Gimenez Destro, de 21 anos, concorreu com outros 495 candidatos de todo o país.
“Eu mesmo não esperava obter um resultado tão bom. Assim que recebi a notícia, o meu primeiro pensamento foi agradecer a todos os professores, que possibilitaram essa conquista. Foi uma bênção de Deus para a minha vida. Devo começar na Petrobras em dezembro e pretendo seguir na empresa como engenheiro depois. Com a faculdade, novas portas vão se abrindo e oportunidades também. Há três anos não pensava em nada disso”, relatou Gabriel.
Desde agosto, ele cursa Engenharia Elétrica com ênfase em Telecomunicações, na Unidade Maracanã do Cefet-RJ. Após concluir o Ensino Médio no Colégio Metodista Grandbery, em Juiz de Fora, ele prestou vestibular para duas faculdades federais mineiras e acabou não passando. Foi aí que surgiu o interesse pelo curso Técnico de Telecomunicações/TV Digital em Petrópolis, que ele concluiu no primeiro semestre deste ano.
Em comunicado oficial, a direção do Cefet parabenizou o aluno por seu desempenho. “Nossos parabéns especiais ao aluno, na certeza de que seu exemplo servirá para todos aqueles que ingressam em nossa instituição de ensino, indubitavelmente uma referência de qualidade”, diz um trecho. Gabriel já se destacava desde o início do curso e tinha recebido um diploma especial na solenidade de 100 anos  da Rede Federal de Educação Profissional e Tecnológica em 2009.

Busca de mão-de-obra local qualificada no Cefet cria oportunidades em multinacional

Tribuna de Petrópolis - 21/10/2011

A parceria entre a Orange e o Cefet garante mão-de-obra qualificada
Em meio à Semana de Extensão, que é realizada juntamente com a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, a unidade de Petrópolis do Cefet recebeu ontem importantes executivos de uma multinacional com atuação na cidade. Estiveram presentes o vice-presidente de vendas da Orange Bussiness Services para a América Latina, Mauro Cruzeiro, e os responsáveis pelo RH mundial da própria Orange, Patricia Waldron-Werner, e da sua proprietária, a France Telecom, Bruno Meitleing. Eles assinaram a renovação de uma parceria que permite à empresa captar mão de obra diretamente do local.
A Orange já tem a parceria há dois anos com o Cefet aqui em Petrópolis e há 13 no Rio de Janeiro. O nosso intuito é absorver a mão de obra qualificada que é formada aqui. Ainda não podemos precisar a quantidade de vagas que iremos abrir, mas aviso que o mercado está em expansão. Vamos poder expandir nossa atividades aqui no município em um curto prazo”, declarou Mauro Cruzeiro. Segundo informações confirmadas por George Paiva, gerente de RH no Brasil, até 2015 a empresa pretende ter de 90 a 95% de seu quadro de funcionários preenchido por alunos com o curso de ções/TV Digital.
Dos últimos 70 contratados, 30 possuem a qualificação do instituto federal. Para a multinacional, as novas admissões estão condicionadas ao desenrolar da crise mundial. “Os clientes mundo a fora podem ser impactados pela crise. No entanto, o crescimento na América Latina e, sobretudo no Brasil, tem sido acelerado”, destacou Mauro. Ele também é ex-aluno da instituição, onde esteve entre os anos de 1978 e 1981, e valoriza a formação. “Ganha a faculdade, com mais alunos interessados, a empresa com uma mão de obra preparada e o próprio aluno que sai formado e com emprego praticamente garantido”, enfatizou Mauro Cruzeiro.
Para o professor Paulo Bittencourt, diretor do Cefet, a parceria é muito positiva. “Há quatro anos existe o contato com a empresa, mesmo antes da unidade ser inaugurada oficialmente. Hoje, 70% dos alunos estão empregados e creio que as oportunidades virão para outros. A nossa grande luta é levar o conhecimento técnico para alguma aplicação prática. E isso temos conseguido aqui”, comentou ele.
A Orange, líder mundial na integração de soluções de comunicações, atua em 13 cidades do Brasil e possui clientes em 220 países. Dos quatro centros de suporte em todo o mundo, um deles fica em Petrópolis, no Quitandinha. Os outros três estão no Egito, Índia e Ilhas Maurício.

Acordo garante reajuste de 9% para costureiras

Tribuna de Petrópolis - 21/10/2011

Profissionais ligados à indústria do vestuário em Petrópolis vão poder contar com o aumento de salário retroativo a 1º de setembro. A boa notícia é resultado do acordo entre o sindicato patronal – Sindcon – e a representação da categoria, que é feita por  Jorge Luiz Mussel. O sindicato queria um piso de R$ 750 para as costureiras e almejava um reajuste de 13%, mas a nova tabela ficou assim: costureiras – piso de R$ 710 e reajuste de 9,24%; passadeiras, auxiliares de corte e estampadores – R$ 590 e 12,39%; arrematadeiras e auxiliares de serviços gerais – R$ 570 e 10,69%.
Uma assembleia realizada na última sexta-feira, com cerca de 400 costureiras e profissionais de vestuário reunidos no auditório do Sindicato dos Metalúrgicos, decidiu o novo reajuste salarial da categoria. A proposta do sindicato patronal não foi considerada ideal, mas ainda assim foi dado o aval para que o presidente do sindicato, Jorge Luiz Mussel, fechasse o acordo com o Sindcon. As últimas negociações ocorreram na segunda-feira. Havia a ameaça de greve, o que acabou não acontecendo.
“Conseguimos, enfim, chegar a um acordo depois de muita discussão. Não foi aquilo que queríamos, mas chegamos a quase 2% de aumento real. Era o que podia ser feito agora. Mesmo que a assembleia da última semana já tivesse praticamente aceitado a proposta, precisávamos formalizar o acordo com o sindicato patronal. E ainda conquistamos importantes cláusulas sociais, uma delas é a aceitação obrigatória do atestado médico feito por profissional ligado ao sindicato. Antes, só aceitavam os do SUS”, relatou Jorge Mussel, presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria do Vestuário.

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Justiça nega indenização milionária a empresário

Tribuna de Petrópolis - 19/10/2011

Uma empresa que trabalhava com o agenciamento de empregos, sediada no Rio de Janeiro e com negócios em Petrópolis, foi pivô de uma ação contra a União que poderia resultar em uma indenização de R$ 100 milhões. Os sócios foram investigados por uma operação da Polícia Federal e se sentiram lesados após não terem sido condenados criminalmente. Dessa forma, entraram com uma ação pedindo um ressarcimento de R$ 99.261.700,00 por danos materiais e morais. Nessa semana, a Advocacia-Geral da União (AGU) conseguiu evitar esse pagamento na Justiça.
A empresa era dirigida por um ex-presidente do Tribunal Arbitral do Estado do Rio de Janeiro e condecorado com a Medalha Tiradentes da Alerj em 2001. Ele utilizava uma sala comercial no centro do Rio de Janeiro e, através de palestras, tentava atrair possíveis candidatos a trabalhar nas plataformas de petróleo da Petrobras. Entre setembro de 2005 e janeiro de 2006, a empresa transportava os candidatos para Petrópolis com objetivo de realizar exames médicos, que eram feitos, na verdade, por um enfermeiro.
De segunda a sábado, dois ônibus transportavam, em média, 150 pessoas por dia. Segundo a Polícia Federal, o golpe gerou um lucro de aproximadamente R$ 600 mil, pois cada candidato pagava R$ 33,00 de taxa para os exames. A PF estima em 18 mil o número de pessoas enganadas pela tal empresa. O ex-juiz foi preso em flagrante no dia 16 de janeiro de 2006 após uma investigação iniciada pela delegacia de Macaé. Inocentado da acusação em julho de 2010, ele passou a exigir na Justiça os prejuízos decorrentes da exposição pública de sua imagem.
Os possíveis lesados pela operação da PF alegavam que, considerando o tempo em que ficaram sem trabalhar em virtude da investigação policial e do processo criminal a que responderam, tinham direito a indenizações. A Procuradoria-Regional da União 2ª Região (PRU2) ressaltou que os autores da ação omitiram uma sentença na Justiça Federal condenando-os nas penas previstas no Código Penal para os crimes de aliciamento de trabalhadores de um local para outro do território nacional e estelionato.
O caso, no entanto, foi remetido para a Justiça Estadual, que absolveu os réus. Os advogados da União explicaram que o Ministério Público não encontrou provas suficientes à condenação. A Procuradoria sustentou que só a rejeição da ação penal não significa que a conduta dos autores era regular, pois absolvição criminal apenas implica que não se trata de crime, podendo tratar-se de qualquer outro tipo de ato ilícito cível ou administrativo.
Os advogados da União defenderam que uma absolvição jamais implica direito à indenização por danos morais em favor do absolvido, principalmente quando não está demonstrado qualquer erro por parte da polícia, MP ou magistratura. “A Constituição Federal, em seu art. 5º, é clara ao admitir indenização àqueles que forem presos em decorrência de ‘condenação por erro judiciário’ e àqueles que ficarem presos além do tempo fixado na ‘sentença’”, afirmaram.
A PRU demonstrou que não se trata de condenação, mas de prisão em flagrante e denúncia que deu origem a processo penal no qual os autores foram absolvidos e também alegou  que não se trata de erro judiciário. De acordo com a AGU, os autores da ação nem sequer esclareceram o motivo pelo qual a empresa supostamente ficou fechada, já que não consta dos autos do processo que a firma tenha sido interditada por algum órgão estatal. A Justiça Federal da 21ª Vara Federal do Rio de Janeiro acolheu os argumentos da PRU e julgou improcedentes os pedidos formulados, impedindo assim o pagamento das indenizações. “Não há indício de qualquer tipo de ilegalidade por parte da União”, diz um trecho da sentença.

Fiocruz dá nova função ao Palácio Itaboraí

Tribuna de Petrópolis - 19/10/2011

Palácio Itaboraí reformado
Uma solenidade que contou com a presença do prefeito Paulo Mustrangi e de outras autoridades municipais, do presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, e de empresários de toda a região marcou ontem a reinauguração do Palácio Itaboraí. O espaço, que passou por obras de restauração financiadas pela Petrobras e pelo BNDES, foi reaberto com nova iluminação e, também, nova função. Agora, o espaço será sede do Fórum Itaboraí: Política, Ciência e Cultura na Saúde, um programa da Presidência da Fiocruz, que é a atual administradora do espaço. O lugar já foi residência de verão dos governadores do Estado do Rio de Janeiro.
O fórum contou com o apoio da empresa Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), vinculada ao Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação. Ele terá uma variada agenda de atividades que incluirá a edição bimestral dos Cadernos Itaboraí, uma publicação que reunirá os debates realizados no local, com acadêmicos e gestores da área da saúde. O diretor do Fórum Itaboraí, Felix Rosenberg, traçou os planos iniciais.
“Vamos convocar representantes da academia, da política e da comunidade para discutir temas como as maneiras de reduzir o impacto das desigualdades sociais e econômicas na saúde. Por exemplo, os desafios e dilemas da atenção básica em regiões em que faltam médicos, o acesso a medicamentos, a autonomia e a dependência tecnológica na saúde, a educação como transformadora social, a saúde e a diplomacia, entre outros”, explicou ele.
Para Rosenberg, o diferencial da instituição será a interação e as atividades que buscam a inserção digital. O palácio abre as suas portas justamente na Semana Nacional de Ciência e Tecnologia, a qual estará integrado, com uma exposição sobre plantas (medicinais, nutricionais, aromáticas, ornamentais e tóxicas) encontradas no seu entorno, outra dedicada à Coleção Entomológica do Instituto Oswaldo Cruz, a mostra Vida de inseto, do Museu da Vida, e ainda outra sobre coleta seletiva de lixo.
“São mais de 10 anos com o espaço fechado, desde que o recebemos do governo estadual. A grandeza e beleza do palácio exigiam um amplo projeto de restauração e assim foi feito. Hoje estou muito gratificado em reabrir o local, uma das jóias de Petrópolis. Estamos devolvendo-o à cidade e pretendemos utilizá-lo para animação e reprodução dos estudos, além de estreitar relações com a Prefeitura Municipal e as instituições de ensino e pesquisa do município”, declarou Paulo Gadelha,  presidente da Fiocruz.
O Palácio Itaboraí pode ser visitado de segunda-feira a sábado, das 9h às 17h. No caso de visitas em grupo, é necessário agendar previamente pelo telefone (24) 2231-3137.

Palácio do Itaboraí: prédio que faz parte da história

Parte do atual terreno onde está o Palácio Itaboraí foi adquirido em 1891 pelo engenheiro italiano Antonio Jannuzzi, na esquina da Rua Elisa com Avenida Moura, atuais Ernesto Paixão e Visconde de Itaboraí. Jannuzzi construiu o palácio em 1892 para ser a sua residência de verão. Esse uso durou pouco, pois Januzzi se desfez do palácio e, de 1894 a 1920, o Itaboraí sediou o Colégio Americano. Mais tarde foi instalada ali a primeira faculdade de Direito do município de Petrópolis.
Os terrenos laterais do palácio, com as construções existentes, foram incorporados em 1938 e em 1944 pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro, quando o prédio foi adquirido para ser utilizado como residência de verão dos governadores. Até 1998 funcionavam em suas dependências quatro órgãos estaduais: a Feema, a Coordenadoria da Região Serrana 2, o Centro de Estudos Supletivos de Petrópolis e a Fundação Leão XIII.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Começa a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia

Tribuna de Petrópolis - 18/10/2011

A Companhia de Dança Lúmini abriu o evento ontem, no Theatro Municipal
Foi inaugurada ontem a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT) 2011, que é coordenada pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. O evento deste ano terá como tema Mudanças climáticas, desastres naturais e prevenção de riscos. Em Petrópolis, serão 243 atividades que serão realizadas, em sua maioria, no Laboratório Nacional de Computação Científica, no Quitandinha, onde foi montada a Tenda da Ciência.
A inauguração, na noite de ontem, contou com a participação da Companhia de Dança Lúmini. Na solenidade que marcou a abertura oficial, no Theatro D. Pedro, o grupo apresentou  uma proposta inovadora, que une dança, ciência e tecnologia de ponta. O trabalho tem como base  pesquisas realizadas no Núcleo de Dança da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ). Foi a primeira vez que o espetáculo foi apresentado em um teatro.
A companhia trouxe a peça As Aventuras de Nina e Atomita, dirigida por Sérgio Machado. “O espetáculo conta a história de uma menina que precisa fazer um trabalho para a feira de ciências da escola e é ajudada por um vizinho. Ele mostra para ela que a química está em tudo e é dessa forma lúdica que nos apresentamos, utilizando efeitos especiais na coreografia e conhecimentos de dança, física, química e biologia”, descreveu ele.
De acordo com o governo municipal, a expectativa é de que Petrópolis supere o número de visitações da última edição do evento, quando mais de 20 mil pessoas percorreram os estandes. A cidade será a sexta de todo o país em número de atividades promovidas – sendo todas elas com entrada gratuita – e também a com maior concentração de atrações do Rio de Janeiro. Ao todo, serão mais de 9 mil eventos acontecendo simultaneamente em 450 cidades, por meio de 655 instituições.
“É uma excelente oportunidade para a população petropolitana conhecer os diversos institutos de pesquisas nacionais ligados Ministério de Ciência e Tecnologia. O intuito é mobilizar todos, principalmente as crianças e jovens, em torno do tema deste ano e ainda despertar o interesse para essa área. O palco principal será o LNCC, mas teremos palestras e cursos em diversas instituições como a Fase, a Universidade Católica de Petrópolis, a Estácio de Sá, o Museu Imperial e a Fiocruz”, destacou Robson Cardinelli, secretário de Ciência e Tecnologia, Desenvolvimento Econômico e Agricultura. A SNCT pretende mostrar a importância do tema escolhido para a vida e para o desenvolvimento do país e possibilitar que a população conheça e discuta os resultados, a relevância e o impacto das pesquisas científicas e tecnológicas e suas aplicações, além de valorizar a criatividade, a atitude científica e a inovação.

Bancários anunciam o fim da greve que fechou as agências por 21 dias

Tribuna de Petrópolis - 18/10/2011

No Banco do Brasil e na Caixa Econômica o movimento deve ser grande hoje
Uma assembleia realizada ontem à noite pelo Sindicato dos Bancários marcou ontem o fim da paralisação da categoria. A greve, que durou 21 dias, foi encerrada após aceitação da proposta apresentada na última sexta-feira pela Federação Nacional dos Bancos (Fenaban): reajuste salarial de 9% (inflação do período mais aumento real de 1,5%), valorização do piso da categoria em 12% (passando para R$ 1.400,00) e melhorias na Participação nos Lucros e Resultados.
O movimento foi um dos maiores dos últimos 20 anos e conseguiu atingir 9.254 agências e centros administrativos em todo o Brasil. “A indicação para a assembleia da noite de hoje (ontem) é pela aprovação da proposta dos banqueiros. Voltamos já nessa terça (hoje) dando fim à greve, que foi a maior dos últimos 20 anos. As agências voltam ao seu funcionamento normal”, declarou Luiz Cláudio Rocha, presidente do Sindicato dos Bancários, antes mesmo da realização da assembleia.
Para Luiz Cláudio, as pessoas que vão procurar pelos bancos que estiveram fechados desde o início do movimento, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal, precisam ter paciência nestes primeiros dias. “Pedimos que só busquem os serviços daquilo que tiverem real necessidade”, frisou ele. O representante da categoria ainda avisou que os trabalhadores terão, agora, que fazer hora extra pelo acúmulo de trabalho.
Um caminho para evitar a longa greve seria o exercício do diálogo entre as partes, afirmou o próprio Luiz Cláudio. “Antes de haver a paralisação que acabou durando 21 dias, deveria ter o diálogo lá trás. Mas agora o importante é destacar as outras conquistas que tivemos. Cinco mil funcionários serão contratados pela Caixa através de concurso. E outros dois pontos importantes foram incluídos no novo acordo coletivo: a proibição do transporte de valores por bancários e o veto ao demonstrativo do ranking de metas nos murais das agências, que acaba incentivando o assédio moral”, comemorou ele.
A proposta aceita pela categoria prevê também avanços nas condições de saúde, segurança e trabalho. Os dias de greve não serão descontados, mas serão compensados com até duas horas extras por dia, de segunda a sexta-feira, até o dia 15 de dezembro.

Fórum de Saúde da Região Serrana vai sair do papel

Tribuna de Petrópolis - 18/10/2011

Nessa segunda-feira foi formalizada a criação do Fórum de Saúde da Região Serrana que reunirá os 16 municípios da localidade. O objetivo do fórum é aproximar os conselhos municipais de saúde e possibilitar a troca de experiências e problemas comuns, como a necessidade de implantação do Samu na região. Com a representação, os conselheiros pretendem fortalecer a Serra dentro do Estado do Rio e saber onde estão distribuídos os serviços e como e quanto as cidades pagam por eles.
A primeira reunião havia acontecido há 15 dias em Nova Friburgo. Ontem, oito conselhos estiveram representados na reunião realizada no auditório do DIP, ao lado do Hospital Municipal Dr. Nélson de Sá Earp. “A partir de agora vamos organizar uma reunião a cada dois meses nas cidades integrantes do fórum. Queremos descobrir os motivos que impedem a instalação do Samu, por exemplo. Sabemos que faltam alguns recursos, que os governos federal e estadual vão colocar ainda. Foi errado mandar as ambulâncias antes da verba. É um imbróglio criado pelo próprio Estado”, disse Carlos Henrique David, vice-presidente do Conselho Municipal de Saúde (ComSaúde).
Para os conselheiros, um fato que prejudicou o setor foi o engavetamento da Emenda Constitucional 29, que destina recursos para a saúde, assegurando os repasses mínimos para o financiamento das ações e serviços públicos na área. “O Estado poderia contribuir mais com o financiamento da saúde. Ficando ciente da realidade de cada município, poderemos cobrar”, acrescentou Carlos Henrique.
A conselheira de Nova Friburgo, Ilma Santos, explicou o motivo da sua cidade não integrar o Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região Serrana – CIS-SERRA, criado em 17 de janeiro no rescaldo das chuvas de janeiro. “Nova Friburgo só vai entrar de vez no consórcio se houver uma participação efetiva do controle social. Tem municípios, por exemplo, que deveriam ser referência de atendimento em algumas áreas, mas o programa não está implementado ainda. Outros são até referência, mas não possuem os equipamentos necessários”, relatou ela.

domingo, 16 de outubro de 2011

Nova pista da BR-040 não sai do papel

Tribuna de Petrópolis - 16/10/2011

A construção da nova pista de subida da serra, que terá um investimento de R$ 830 milhões e foi anunciada em novembro de 2010 pela Companhia de Concessão Rodoviária Juiz de Fora-Rio (Concer), ainda não saiu do papel. A última data para o início das obras havia sido confirmada para o fim de julho, quando a empresa estimava receber a Licença de Instalação do Ibama. Passados três meses, a empresa ainda está à espera da mesma licença, prevista agora para o fim de outubro, a última necessária para que as intervenções se iniciem. A concessionária pretende construir o novo traçado, que inclui um túnel de 5km, até 2013.
Anunciada como benefício para a cidade e preparativo para a Copa do Mundo de 2014, e às Olimpíadas dois anos depois, as obras de duplicação da atual pista de descida e construção de um túnel encurtando a viagem em até 5km geraram dúvidas em empresários e moradores de áreas próximas à estrada. Entre os quilômetros 102 e 82 da atual descida será construída uma pista com traçado moderno e curvas menos sinuosas, em substituição à estrada de subida da serra.
Em 10 de junho, a Concer recebeu do Ibama a Licença Ambiental Prévia e, dez dias depois, a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) aprovou o projeto executivo da nova pista. Desde então, a burocracia emperrou o início das obras. A Licença Prévia estabelece as condicionantes ambientais necessárias à obtenção da Licença de Instalação. Entre as principais novidades do projeto está a mudança da praça de pedágio do Km-104 para o 102 e a sonhada ligação entre o Bingen e o Quitandinha.
O vídeo do projeto, disponibilizado em março na internet, detalha o novo traçado que terminará no Km-82, na altura do Duarte da Silveira. O projeto inicial teve que sofrer mudanças, já que, inicialmente, o túnel desembocava dentro da Reserva Biológica do Tinguá. Outro ponto de discussão é a transformação do trecho da atual subida da serra em estrada-parque.

Tecnologia a serviço da psicologia na UCP

Tribuna de Petrópolis - 16/10/2011

O laboratório, montado por meio do convênio com a Faperj, tem 16 computadores e dois notebooks para experimentos
A Universidade Católica de Petrópolis, tradicional instituição de ensino da cidade, não deixa que o passado de muitas histórias seja o único motivo para ter o respeito do meio acadêmico. Ela também possui instalações modernas que servem de modelo para as universidades de todo o país. E uma delas é o Laboratório de Psicologia Cognitiva, que funciona no prédio do Serviço de Psicologia Aplicada, ao lado do campus Barão do Amazonas. O laboratório é o primeiro e único do Estado do Rio de Janeiro a desenvolver e aplicar pesquisas virtualmente, por meio da utilização de um programa de computador.
O laboratório possui 16 computadores e dois notebooks para experimentos. Os equipamentos foram adquiridos através de convênio com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj). A coordenação fica a cargo da professora Eliane Gerk, graduada pela UFRJ, com Mestrado e Doutorado em Psicologia pela Fundação Getúlio Vargas – FGV. Participam do projeto dois alunos bolsistas pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPq: Rafael Gomes da Silva e Renan Vieira de Sá Jardim, ambos do 9º período.
Eles já desenvolveram 12 experimentos desde fevereiro de 2010, sendo que três destes já foram colocados em prática. As três experiências já testadas são: Memória de Longo Prazo, Memória de Trabalho e Rotação Mental e têm até julho de 2012 para terminar. A primeira delas já está em fase de conclusão. “O nosso objetivo é conhecer os processos cognitivos do jovem e depois fazer uma comparação com universitários e idosos. Estamos testando a memória, atenção, raciocínio e a percepção”, explica a professora responsável pelo laboratório.
Para Rafael, 25 anos, que é um dos alunos bolsistas, é de extrema importância para o aprendizado participar de projetos desse tipo. “É ótimo. Você consegue trazer a teoria da sala de aula para a prática e ainda contribui para um experimento desse porte. Estou aqui há três anos e tudo o que passei foi importante, desde a busca bibliográfica, onde você fica sabendo o que os autores da área já estudaram, até a participação em congressos, onde apresentamos o nosso estudo”, descreveu ele. Ele citou ainda a pesquisa de Memória de Longo Prazo para objeto de uso comum.
Esse estudo foi primeiramente desenvolvido nos Estados Unidos, em 1973, utilizando a moeda de um centavo. Adaptado para o Brasil, eles utilizaram a moeda de um real. “O número de erros foi altíssimo, é incrível como as pessoas não conhecem a moeda de um real. O índice maior é do lado da coroa, que tem a efígie. E não há diferença entre homem e mulher, ambos erram na mesma proporção. O que observamos nesse estudo é que um objeto de uso cotidiano nem sempre é reparado por todos”, informou Eliane.
Para a coordenadora, os trabalhos não param. Ela anunciou mais um projeto do laboratório. “Planejamos desenvolver ainda um programa de promoção de habilidades cognitivas e sociais. Vamos ver em que os alunos de diferentes cursos da UCP precisam melhorar, em relação à memória e atenção seletiva, principalmente. Esse segundo ponto, por exemplo, consiste em, em meio a vários estímulos que chamam a atenção, identificar o mais importante”, comunicou ela que ainda destacou os frutos dessas experiências. “Os resultados dos trabalhos desenvolvidos viram novos conhecimentos. Além disso, nosso objetivo também é o de formar profissionais cientistas”, concluiu Eliane.

Atendimento psicológico é ampliado no SOS Vida

Tribuna de Petrópolis - 15/10/2011

O Grupo Assistencial SOS Vida, que presta auxílio a portadores do vírus HIV/AIDS, dependentes químicos e familiares de baixa renda, recebeu no mês de agosto novos estagiários, que já estão ajudando a entidade no atendimento. Através do Projeto Sala de Espera, acolhimento feito por voluntários do setor de psicologia da entidade, estudantes da Universidade Católica de Petrópolis e da Unopar aliam o conhecimento teórico à prática e aproveitam cada experiência proporcionada pelo convívio com pessoas de realidades tão diferentes.
“ O SOS Vida foi um divisor de águas na minha formação. Na faculdade, só recebemos a teoria, mas é na prática que você descobre as coisas. Aqui a demanda é muito grande.  Qualquer coisa que encontrar futuramente no consultório será pequeno perto do que vejo aqui. Cuido de dependentes químicos, portadores de HIV e moradores de rua. Se não fosse a superação, não conseguiríamos”, analisou Regina Barbosa Resende, que está no 10º período de Psicologia na UCP.
No Sala de Espera atuam também estudantes de Serviço Social e de Direito. O projeto se iniciou em 2009 e pôde contribuir com a formação de inúmeros profissionais. O presidente da entidade e responsável técnico pelo setor de psicologia, Antônio Carlos de Souza Pires, destacou que uma ex-estagiária hoje é professora do curso de Medicina da UERJ e voltou até a ong recentemente para agradecer a oportunidade de aprendizado que teve ali. “Ela disse que 80% do que sabe foi aprendido entre nós”, relata Antônio Carlos.
“O SOS Vida facilitou muito o aprendizado, nos deu uma nova visão. São experiências que levarei pro resto da minha vida”, disse Sheila França Almeida, também do 10º período de Psicologia. Ela trabalhava no comércio, mas disse sentir que precisava se envolver com outras coisas. Sheila aprendeu a cortar cabelo e, uma vez por semana, prestava serviço voluntário em uma escola, mas só depois de entrar na faculdade é que teve a possibilidade de contribuir mais ativamente através do estágio na SOS Vida.

Solidariedade marca o Dia das Crianças no Dr. Thouzet

Tribuna de Petrópolis - 15/10/2011

Crianças da comunidade Sítio do Pica-Pau receberam brinquedos
A campanha que arrecada brinquedos para distribuição às crianças carentes da comunidade Sítio do Pica-Pau, no Dr. Thouzet, chegou ao fim no último dia 12. Foram coletados 1200 brinquedos, que foram destinados para crianças da própria comunidade e de localidades como Morro Azul, Lopes de Castro, Chapa Quatro (Valparaíso), Dr. Thouzet e Venezuela, repetindo o sucesso do ano passado. O líder da associação de moradores, Marcos Borges, o Sagati, comemorou e agradeceu o resultado obtido.
“Foram mais de mil brinquedos, fora a grande quantidade de roupas e sapatos. É o quinto ano consecutivo que organizo a campanha e continuamos tendo sucesso. Agradeço de coração por todas as doações que chegaram para aqueles que realmente precisam. Juntos fizemos a diferenças e, como diz a Bíblia, ‘há maior alegria em dar do que receber’. Quero deixar um agradecimento especial à secretaria de Educação, à empresa Águas do Imperador e, claro, aos leitores da Tribuna, que mais uma vez foram solícitos com a nossa campanha”, declarou Sagati.
A festa contou ainda com a distribuição de cachorro-quente e refrigerantes para todas as crianças que foram receber os brinquedos em uma barraca montada no Sítio do Pica Pau. A coleta de brinquedos foi feita em três postos: na casa de festas Castelinho, no Alto da Serra; no salão Artistas do Cabelo, no shopping Mercado Estação; e na Rua do Imperador, 199.
Agora, o líder comunitário se volta para o projeto Gente que Faz Acontecer, que terá atividades de esporte e lazer. O projeto prevê uma corrida rústica para o dia 4 de dezembro, saindo da Praça da Inconfidência e indo até o ponto final do Dr. Thouzet, além de aulas de xadrez, artesanato, dança de salão para a melhor idade, capoeira, caratê, judô e jiu jitsu.

Festa também no Cascatinha

No Dia das Crianças, muitas festas foram promovidas em toda a cidade e uma delas aconteceu em Cascatinha. A festa do segundo distrito foi realizada na quadra em frente à igreja Matriz. Organizada por Marcelo Chitão, contou com o apoio de comerciantes locais e de dois professores da escolinha de futebol que funciona no espaço, Danilson e Kequel. Um torneio de futebol presenteou os participantes com medalhas. Foi distribuído também algodão-doce, cachorro-quente, refrigerante e doces para 300 crianças, que ainda se divertiam no pula-pula.

Carro bate, capota e cai no rio nas Duchas

Tribuna de Petrópolis - 15/10/2011

Um acidente assustou quem passava pela Avenida Piabanha na tarde desta sexta-feira, por votla das 16h30. Um motorista em alta velocidade perdeu o controle do carro e bateu em um Fusca, na pista sentindo Bingen, perto da entrada do bairro Duchas. O veículo capotou, passou por cima do canteiro e foi parar dentro do rio que dá nome à via. O motorista foi atendido no local e depois levado para o Hospital Santa Teresa, sem ferimentos graves aparentes.

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Moto Romaria leva mais de 700 motociclistas às ruas

Tribuna de Petrópolis - 14/10/2011

A Rua do Imperador foi tomada por devotos de Nossa Senhora Aparecida
No feriado de 12 de outubro, dia de Nossa Senhora Aparecida, motociclistas se reuniram na 11ª Moto Romaria, que cruzou o centro da cidade e levou a imagem e seus participantes até a missa das 11h realizada na igreja do Quitandinha, dedicada à padroeira do Brasil e dos motociclistas. O evento foi organizado pelo Moto Clube Livres Para Voar e contou com o apoio de empresários locais e alguns até de fora da cidade. A Moto Romaria reuniu cerca de 700 motos. Após a missa, eles deram continuidade às comemorações, com um churrasco no clube Celminha, no Bingen.
“O evento tem a finalidade de congregar o maior número possível de motociclistas que, normalmente, se reúnem na igreja do Sagrado Coração de Jesus e dali saem percorrendo as principais ruas do Centro Histórico de Petrópolis e vão até a igreja de Nossa Senhora Aparecida, no Quitandinha, onde é realizada uma missa com a presença dos motociclistas, que recebem a benção”, explicou Roberto Betim, presidente do moto clube.
Reunidos na igreja do Sagrado,  desde às 9h, os motociclistas saíram do local às 10h com grande queima de fogos. Depois passaram pela Avenida Piabanha e pelas vias Carlos Gomes, Bingen, Paulino Afonso, Montecaseros, Sete de Abril, Roberto Silveira, Praça da Liberdade, Koeller, Tiradentes, Imperatriz, Imperador, Dr. Nelson de Sá Earp, Monsenhor Bacelar, Rocha Cardoso, Washington Luiz, Coronel Veiga, General Rondon e Igreja do Quitandinha.
A passagem dos motociclistas, seguindo um carro com a imagem de Nossa Senhora Aparecida, chamou atenção por todo o trajeto. A iniciativa ocorre sempre na mesma data e foi iniciada em 2001, com apenas 100 motos. Daquela vez recolheram 120Kg de alimentos. No ano passado, já foram quatro toneladas. Para esse ano, a conta  ainda não foi fechada, mas a expectativa é de que se tenha um número parecido com 2010. Os donativos serão repassados para o Lar Santa Catarina e, possivelmente, para outras três entidades.
“ Foi muito bom ter participado de mais esse evento. Legal contar com nossos amigos de outras cidades, que também participaram. Na nossa confraternização no clube, o ponto alto é às 18h, quando fazemos uma procissão lá mesmo, com a imagem de Nossa Senhora. Reunimos algumas senhoras que conduzem as orações. Muita gente espera por esse momento, é o que fecha as celebrações”, relatou Afonso Luís, fundador do moto clube. Ele ainda agradece o apoio dos patrocinadores e do poder público.

Costureiros podem decidir greve por reajuste salarial

Tribuna de Petrópolis - 14/10/2011

Hoje, às 18h30, no  auditório do Sindicato dos Metalúrgicos, será realizada mais uma assembleia do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria do Vestuário e, dependendo do que a categoria decidir, pode ser deflagrada greve em um dos principais ramos econômicos do município. A indústria da confecção reúne cerca de 10 mil pessoas empregadas direta ou indiretamente. A proposta do sindicato patronal aumentou, mas ainda não deve satisfazer aos anseios da classe, que pede R$ 750 de piso e 13% de reajuste salarial.
“ Recebemos uma contraproposta do Sindcon – sindicato patronal – e eles aumentaram um pouco a oferta final. Não posso revelar o valor antes da assembleia, mas digo que ainda é pouco. Vamos ouvir a categoria e, se eles optarem pela greve, vamos partir para a paralisação. Torço para que as pessoas compareçam hoje na assembleia. Fomos muito prejudicados com a defasagem dos últimos anos e estamos recebendo quase um salário mínimo”, declarou Jorge Luiz, presidente do Sindicato do Vestuário.
A defasagem a que Jorge se refere é o valor do piso, atualmente em R$ 650, que em setembro de 1999 fazia as costureiras ganharem 2,1 salários mínimos. Hoje, elas ganham somente 1,2 salários mínimos. Passadeiras, auxiliares de corte e estampadores também sofrem com a depreciação. Em relação ao mesmo período, ganhavam 1,5 mínimos e hoje ficam com menos de um (R$ 525). A terceira faixa de piso salarial, que engloba arrematadeiras e auxiliares de serviços gerais, coloca estes profissionais com menos de um salário mínimo também: R$ 515.
“Fiz esse levantamento em setembro. Os empresários precisam entender que a nossa busca tem uma razão, um motivo de ser”, explicou Mussel. “São 600 empresas formais registradas aqui no sindicato. Os cálculos dão conta de que o setor é responsável por 15% do PIB de Petrópolis. São números que mostram a importância da categoria. É preciso negociar”, completou ele. A ameaça de greve também foi feita nas negociações de 2010, mas as partes acabaram chegando a um acordo.

Comerciários debatem dissídio coletivo

Tribuna de Petrópolis - 14/10/2011

Na próxima semana, no dia 19, os comerciários se reúnem para começar a discutir o dissídio coletivo da categoria, que tem por data base 4 de dezembro. Para isso, o  Sindicato dos Empregados no Comércio abre as portas de seu auditório, a partir das 19h, para formalizar a proposta, com o novo salário e as demais cláusulas contratuais, que será enviada ao Sindicato do Comércio Varejista de Petrópolis (Sicomércio). A expectativa é de que 300 pessoas compareçam ao ato.
“Após a formalização da proposta, vamos marcar um dia para o início das negociações com o Sicomércio. Já nessa primeira reunião, acredito que teremos 80% do texto aprovado, com poucos detalhes pendentes. Nossa proposta vai incluir o piso salarial da categoria – que hoje é de R$ 640 – mais a inflação do período – estimada em 12% – e um ganho real de 6%”, afirmou José Freire Lopes, vice-presidente do sindicato.
Antes das negociações, os trabalhadores se reúnem para celebrar o Dia do Comerciário, que é comemorado no dia 30 mas foi antecipado para a próxima segunda-feira, dia 17, quando o comércio não abre. Haverá festa na sede campestre da entidade (Estrada União e Indústria, 25340 – Pedro do Rio) no próximo domingo. Terá churrasco, distribuição de prêmios (como uma TV LCD de 32’’), brincadeiras, música ao vivo e futebol para 500 pessoas.

quinta-feira, 13 de outubro de 2011

EAC 10 ANOS


Dominus - N°46 - Agosto/Setembro de 2011

O Encontro de Adolescentes com Cristo – EAC – completa 10 anos de existência no próximo dia 15 de setembro. A data é motivo de muita comemoração para aqueles que desejaram formar um grupo que abrangesse os adolescentes egressos da catequese até aqueles que ainda não tinham idade para fazer o encontro do JUAF, que podia ser feito a partir dos 15 anos. O dia da celebração marca a data exata da primeira reunião, realizada em um sábado, às 15h.
Os adolescentes fundadores do grupo foram Guilherme Cavalcante Lisboa e Regiane Cristina Dias. Os dois, juntamente com Leandro Divan Ferreira e Marcus Vinícius Cabral, ficaram responsáveis pela condução do grupo em seus primeiros meses. Leandro e Marcus Vinícius ficaram na coordenação até meados de 2002. Regiane e Guilherme só deixaram o EAC em 2003.
Entre os dias 12 e 15 de outubro de 2001, Guilherme, Regiane e Vinícius estiveram na Paróquia São João Batista, na localidade de Jaciguá, no Espírito Santo. Através de um contato feito pelo tio do Guilherme, que cuidava do EAC da Paróquia de São Miguel, em Juiz de Fora, os três participaram do EAC (lá se pronuncia E-A-C) local e trouxeram as principais ideias para aplicarem no grupo. Muitas utilizadas dentro do encontro. 
Após um período inicial que ficou caracterizado pela união de todos e a amizade, já que o grupo foi se formando através do convite aos conhecidos e outros que foram se ajuntando, começou a ser colocada em prática a idéia de se fazer um encontro. Com a ajuda de algumas pessoas, a equipe de 14 jovens encabeçados por Rômulo de Santos Barros participou da preparação por cerca de quatro meses até a data do 1° EAC da paróquia: 16 de fevereiro de 2003.
No Salão Paroquial, em um dia somente, o encontro reuniu 63 adolescentes. Foi o que precisava acontecer para que o sonho de ver um grupo fortalecido tivesse sido realizado. No entanto, faltava maturidade para que a obra pudesse ser conduzida e, sendo assim, Rômulo assumiu a coordenação no dia 16 de março, um mês após ajudar a conduzir o encontro. Tendo ficado por mais de três anos à frente do grupo, deu uma contribuição decisiva para que a obra tomasse uma forma.
Para os dias 3 e 4 de abril de 2004, estava sendo montado um encontrão, que iria reunir adolescentes do 1° encontro e novos freqüentadores do grupo. Dessa forma, 75 adolescentes participaram desse momento, sendo 55 do 1° EAC. No entanto, este acabou sendo o 2° EAC e frustrou aqueles que não aproveitaram a ocasião e já não podiam mais fazer encontros. O 3° EAC foi ao mesmo ano, entre 10 e 12 de setembro, e foi o primeiro fechado, no Cefepal.
Já a partir do 4° EAC, os encontros passaram a ser realizados no Cefas, no Retiro, uma casa que pertence ao Cursilho. Rômulo deixou o EAC e passou a coordenação para Alessandro Vieira Mazzi e Leonni Pissurno no dia 8 de outubro de 2006. Os dois participaram da principal reforma na estrutura do encontro. O 6° EAC foi o primeiro a contar com quatro dias, com o objetivo de proporcionar um melhor aproveitamento dos adolescentes, visto que os dois últimos encontros haviam sido muito corridos.
Alessandro permaneceu na coordenação até o fim de 2008 e Leonni continuou por mais um ano, tendo passado a missão para Jéssica Leite Vieira, a atual coordenadora, no dia 6 de dezembro de 2009. O 10° EAC, o encontro mais recente, foi realizado entre 21 e 24 de julho e contou com 48 adolescentes. Agora, o grupo se prepara para as comemorações pelos 10 anos de caminhada e terá em meios às celebrações festivas, o lançamento de um blog. Este blog vai reunir fotos, vídeos e informações de todos os 542 adolescentes que já fizeram encontro.


Confira o blog em:
http://eacsaosebastiao.blogspot.com/

Testemunhos da Fé - Denise e Niltinho

Dominus - N° 46 - Agosto/Setembro de 2011

A doação de órgãos ainda é um tabu nos dias atuais. Estima-se que a lista de espera por transplantes aumente a uma velocidade de pelo menos 10 inscrições por dia. No entanto, a possibilidade de poder ajudar o próximo tem crescido na medida em que as pessoas vão se conscientizando da importância dessa atitude e de como é o procedimento. Deixando de lado os preconceitos e restrições, é possível participar do ato que vai garantir a vida de um irmão. Foi optando por esse caminho, vendo o sofrimento do ministro da Eucaristia, Nilton Moreira, o Niltinho, que Denise Latsch, da Pastoral do Batismo e do Encontro de Casais com Cristo, se ofereceu para ser doadora de um rim. Niltinho durante dois anos e meio fazia hemodiálise três vezes por semana e esperava ansioso para a resolução do seu problema. Tudo mudou quando ele colocou a questão nas mãos de Deus, pois só Ele poderia ajudar. “Foi Deus que Colocou a Denise na minha vida”, declarou, grato, Niltinho, casado com Jane e pai de três filhos. Denise é casada com Marcelo e mãe do coroinha Denis. E tudo começou em uma Novena de São Sebastião. Por mais essa graça, Viva o Glorioso Mártir, poderoso intercessor!


Denise Latsch

“A iniciativa foi minha. Engraçado que não tinha um contato próximo ao Niltinho, era só o conhecimento de frequentar a Igreja mesmo. Na Novena de São Sebastião de 2010, acabei encontrando com ele no pátio e notei que não estava muito bem. Ele me disse que tinha feito hemodiálise e que o procedimento não o deixava muito bem depois. E isso acontecia três vezes por semana. Nem perguntei o tipo sanguíneo dele, mas no outro dia fiz a pergunta: era O negativo. Eu já era doadora de sangue há bastante tempo, desde os meus 18 anos. Depois de conversarmos, começamos a realizar vários exames, em um processo que durou pouco mais de um ano. A médica, no início, falou que tinha menos de 10% de chance de dar certo, por não ser uma doação de parente. Passamos por hospitais de Juiz de Fora e Niterói. No fim, acabou dando 92% de compatibilidade, uma porcentagem que não ocorre nem entre irmãos. Por coincidência, o médico responsável ainda tinha o nome de Sebastião. A operação do transplante foi no dia 30 de março de 2011. Agora somos como irmãos. Sempre que possível, reunimos as duas famílias. Com certeza, foi mais uma graça alcançada pela intercessão de São Sebastião. Queremos mostrar o nosso exemplo não por vaidade, mas para que outros sigam o mesmo caminho.”

Nilton Moreira

“Em agosto de 2008, uma semana antes de ir para a Romaria de Aparecida, percebi alguns problemas e realizei uma bateria de exames, por solicitação do meu médico. Quando veio o resultado, ele me deu a notícia de que um rim já estava parado e o outro operava com 25% da capacidade. Logo depois, então, comecei a fazer a hemodiálise três vezes por semana, as terças, quintas e sábados. Nesse meio tempo, de muito desgaste, um parente até se ofereceu para doar o rim, mas era muito novo e disse que ele poderia ter os mesmos problemas que eu. Outros amigos também queriam ajudar, mas eu coloquei a situação nas mãos de Deus, me entreguei a ele. Eu estava na Novena de São Sebastião de 2010 e pedia pela minha neta que passava por alguns probleminhas. Eu fiquei surpreso com a atitude da Denise, por não haver muito contato. Mas hoje vejo que foi uma coisa de Deus mesmo, pois foi dando tudo certo nos exames. As coisas foram acontecendo como era da vontade Dele. Foi um ano fazendo exames até a operação, em março deste ano. Enquanto a gente vive, existe esperança. Tem pessoas que são a presença real de Deus em nossas vidas e não percebemos isso. Ali, na Igreja, é o local que devemos estar, pois lá encontramos nossos verdadeiros amigos irmãos.”