quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Prefeitura realiza ações emergenciais na cidade

Ascom da Prefeitura de Petrópolis - 30/12/2010


Membros do governo municipal estiveram com o presidente do DER-RJ, Henrique Santos Ribeiro
A Defesa Civil registrou 337 ocorrências desde segunda-feira (27) quando choveu 130 milímetros em Petrópolis. A maioria dos casos são referentes a vistorias preventivas, além de deslizamentos de terra em terrenos e residências, afundamentos de via e possibilidade de queda de árvores.
As oito equipes da Defesa Civil, que contam cada uma com três técnicos, estão desde a noite da última segunda-feira realizando vistorias, onde já foram vistoriadas 189 ocorrências das 337 registradas. As equipes estão funcionando em esquema integral para que as vistorias sejam feitas no menor tempo possível para atender de forma mais eficiente às solicitações da população.
O coordenador do Comitê de Ações Emergenciais da Prefeitura,  secretário Luiz Eduardo Peixoto, tranquilizou hoje (30) toda a população em relação aos problemas ocasionados pelo forte temporal que atingiu a região dos bairros Bingen e Mosela na última quinta-feira. Segundo Peixoto, todas as providências e ações emergenciais já foram tomadas e, agora, a secretaria de Obras ficará responsável pela reconstrução das vias públicas e pontes danificadas. Todas as vias obstruídas pelo temporal já foram liberadas.
“ A Comdep continua realizando a retirada de terra e lama e realizando a limpeza das vias. No setor de assistência social, apenas três famílias continuam no abrigo montado na Escola Municipal São Francisco de Assis. As demais famílias, que estavam no abrigo preventivamente, foram liberadas, pois suas casas já foram vistoriadas pela Defesa Civil. Não correm risco de desabamentos. Outras, já foram encaminhadas para o aluguel social.”, explicou.

Petropolitanos querem prêmio de R$ 190 milhões

Tribuna de Petrópolis - 30/12/2010



O sonho de faturar a bolada levou muita gente às lotéricas ontem: prêmio é o maior da história da Mega-Sena

O prêmio da Mega-Sena da Virada pode ser de até 190 milhões, de acordo com as estimativas da Caixa Econômica Federal. Segundo a Caixa, o montante não tem chances de ficar acumulado, pois o sorteio será feito até que haja um ganhador. A sorte será lançada às 20h amanhã, dia 31 de dezembro, na Praça da República, em São Paulo, com transmissão ao vivo da TV aberta. As apostas podem ser feitas nas casas lotéricas de todo o país até as 14 horas do último dia de 2010. A aposta simples custa R$ 2.
Este será o maior prêmio já pago na história da Mega-Sena. No recorde anterior, o prêmio foi de R$ 144.901.494,92 e dividido para 2 apostadores das cidades de Brasília e Santa Rita do Passa Quatro - SP, no dia 31 de dezembro de 2009. Este valor bateu também o recorde de arrecadação e de premiação de todas as loterias da América Latina. A edição especial, criada em 2008 como Mega-Sena Especial de Final de Ano, não teve ganhador na ocasião.
Alguns petropolitanos fazem as suas apostas e já pensam no que fazer com o prêmio. O comerciante Evandro Barcellos disse que, primeiramente, iria parar de trabalhar e depois pensaria com mais calma. Já a secretária Lúcia Maria de Vasconcellos falou que doaria metade para uma instituição católica e a outra parte usaria para custear o seu descanso.
O prêmio da Mega da Virada, aplicado na poupança, renderia mensalmente cerca de R$ 1,21 milhão. Seria praticamente o mesmo que um novo prêmio de loteria todo mês. Se o prêmio saísse para um único apostador, ele poderia comprar 7,6 mil carros populares. O valor em imóveis equivale a dez edifícios residenciais inteiros, cada um com 19 andares e 5 apartamentos por pavimento, considerando cada unidade com um preço de R$ 200 mil.
Quem registrar uma aposta simples, com seis dezenas, para concorrer ao prêmio de R$ 190 milhões tem uma chance em 50.063.860 de faturar a bolada. A probabilidade, segundo a Caixa, é a mesma da registrada para a Mega-Sena tradicional, apesar de se referir ao maior prêmio da história da loteria. Para quem quer investir um pouco mais na sorte, apostas com maior número de dezenas aumentam as chances do apostador. Com uma aposta de 15 dezenas, que custa R$ 10.010,00, o sortudo passa a ter uma chance em 10.003 de ganhar o prêmio.

PS.: O prêmio da Mega da Virada bateu a marca dos R$ 200 milhões nesta quinta-feira.

Rede hoteleira comemora taxa de ocupação de 90% neste Réveillon

Tribuna de Petrópolis - 30/12/2010



Apartamento categoria luxo do Hotel Casablanca Imperial

Hotéis e pousadas de Petrópolis estão com programações especiais para este fim de ano e já comemoram uma taxa de ocupação nos estabelecimentos maior do que em temporadas anteriores. Segundo o Petrópolis Convention & Visitors Bureau (PCVB), a expectativa é de que 90% dos leitos oferecidos pela rede hoteleira da Cidade Imperial estejam ocupados.
“Esperamos que a marca de 100% de ocupação nos hotéis e pousadas da cidade seja atingida para este Réveillon. Para isso, é importante que não haja nenhum problema nas vias de acesso a Petrópolis. Depende muito do tempo, mas acredito que tudo vai dar certo”, declarou Flávio Câmara,  do PCVB. 
Ele ainda destacou que o público que prestigia a cidade provém, a maior parte, da cidade do Rio de Janeiro, seguida respectivamente pelos estados de Minas Gerais e São Paulo.
O Hotel Pedra Bonita já tem reservas que colocam o local com 100% de ocupação nas festividades de Ano Novo. A taxa é melhor do que a registrada em 2009. De acordo com Anderson Mansur, da área de reservas e eventos do Pedra Bonita, o hotel está recebendo uma grande procura por hospedagem. Eles vão oferecer para a virada do ano um espumante como cortesia aos hóspedes, além de ceia, música ao vivo e queima de fogos por até dez minutos.
“Temos muita procura e vários e-mails em busca de vagas. Se tivéssemos mais chalés disponíveis, teríamos um Réveillon ainda mais cheio. O que aumenta a quantidade de pessoas aqui é o registro de famílias com crianças e uma menor presença só de casais”, informou Anderson.
Já o Bomtempo Resort registra 80% de ocupação para a virada e afirma que o ano passado trouxe mais gente. O resort oferece ceia e festa de Réveillon, com DJ e queima de fogos. A maioria dos hóspedes procede do Rio de Janeiro.
A Pousada Arcádia tem em sua programação uma ceia especial, colocando à disposição dos hóspedes um espumante, música ao vivo e também um telão com a queima de fogos em Copacabana. A pousada está lotada para a passagem de ano.
O Hotel Casablanca Imperial está lotado e comemora pelo segundo ano consecutivo a ocupação total do estabelecimento para o Réveillon. O hotel oferece ceia e música ao vivo. A maioria dos turistas procede de Minas Gerais. De acordo com Carlos Roberto Blatt, chefe da recepção, as pessoas procuram Petrópolis para descansar, pois a cidade é calma e não tem o tumulto das metrópoles.
O advogado português Carlos Tomé esteve hospedado no Casablanca nessa semana, mas vai passar o Réveillon em Maricá, na casa de um parente da sua esposa. Esta é a quarta passagem dele pelo Brasil, onde veio à trabalho em 2005 e se encantou pelas belezas tropicais.

Último dia para justificar falta de voto

Tribuna de Petrópolis - 30/12/2010



Quem não votou no segundo turno das eleições de 2010 tem até hoje para regularizar a sua situação junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e fazer a justificativa. Após este prazo, o eleitor deverá pagar multa de R$ 3,51. Em Petrópolis, a seção do Tribunal Regional Eleitoral – RJ (TRE) fica na Avenida Dom Pedro I, número 340, e estará aberta de 13 às 18 horas. Até segunda-feira (27), o TSE registrou 10.179.201 justificativas de eleitores que não compareceram às urnas no segundo turno.
“A procura para justificar o voto é ínfima perto da abstenção registrada na cidade. O prazo é somente para quem tem alguma documentação que comprove a ausência no segundo turno das eleições. Quem não conseguir a justificativa terá que pagar a multa”, afirmou Octávio Vieira Baptista, do TRE de Petrópolis.
A Zona Eleitoral de número 227, que reúne eleitores dos bairros Castelânea, Coronel Veiga, Cremerie, Duques, Independência, Quitandinha, São Sebastião, Sargento Boening, Siméria e Taquara, registrou até essa quarta-feira 103 justificativas de voto. 
Para justificar, basta procurar um dos cartórios eleitorais ou postos de atendimento ao eleitor munido do título e preencher um requerimento. O formulário pode ser impresso por meio dos sites do TSE ou nos tribunais regionais de cada Estado. 
O formulário para o Requerimento de Justificativa Eleitoral pode ser obtido gratuitamente e enviado ao juiz da respectiva zona eleitoral do eleitor. No preenchimento, devem ser informados o nome completo do eleitor, data de nascimento, filiação, número do título eleitoral, endereço atual e o motivo da ausência à votação.
Junto ao formulário, deve ser anexada cópia de documento oficial que comprove sua identidade. Se o requerimento for entregue com dados incorretos ou que não permitam a identificação do eleitor, não será considerado válido para justificar a ausência às urnas.
A multa de R$ 3,51 é cobrada por falta em cada turno e é retirada no cartório eleitoral de origem. O pagamento deverá ser feito no Banco do Brasil e o comprovante deve ser levado de volta ao cartório.

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

PMP divulga relatório do Comitê de Ações Emergenciais

Ascom da Prefeitura de Petrópolis - 29/12/2010
Ruas danificadas pela chuva na Mosela dificultam o trânsito desde segunda-feira
A situação de Petrópolis, após o temporal da última segunda-feira (27), já está estabilizada. A Defesa Civil registrou índice pluviométrico de 1 mm hoje (29), diferentemente do apresentado na segunda-feira, quando choveu 130mm em três horas (correspondente à 24 horas de chuva de verão). Mais de 200 homens, que fazem parte do Comitê de Ações Emergenciais estão nas ruas no 1º distrito, de Pedro do Rio e da Posse fazendo limpeza das vias e de bueiros.

A Defesa Civil registrou 136 ocorrências entre 0h do dia 28 de dezembro e 9h13 de hoje (29), sendo a maioria dos casos referentes a deslizamentos em terrenos de residências, afundamentos de via e possibilidade de queda de árvores. Desde segunda-feira, foram registradas 254 ocorrências, sendo que 127 já foram vistoriadas pelas oito equipes da Defesa Civil.

Os 25 agentes da Defesa Civil estão desde a noite da última segunda-feira realizando um verdadeiro mutirão para que as vistorias sejam feitas no menor tempo possível para atender de forma mais eficiente às solicitações da população.

De acordo com a CPTrans, 90% das linhas de ônibus que tiveram o itinerário prejudicado já foram restabelecidas e estima que até o fim do dia todas as linhas sejam normalizadas.

Mesmo com a chuva forte, o município não registrou mortes. O presidente do Comitê de Ações Emergenciais, Luís Eduardo Peixoto, atribui às ações preventivas que vem sendo realizadas pelo município, já que em anos anteriores com um nível menor de chuva num espaço maior de tempo os estragos foram bem maiores.

Lojistas comemoram resultado das vendas

Tribuna de Petrópolis - 29/12/2010

Alguns empresários petropolitanos estão satisfeitos com o bom desempenho nas vendas de Natal. Uma parcela dos lojistas de Petrópolis superou as expectativas e as metas impostas para este ano. “Não fechamos o nosso balanço ainda, mas esperávamos uns 15% de aumento nas vendas e acho que superamos isso”, disse Rosane Ferreira, da Pequenos Travessos.
Além do crescimento nas vendas, um outro fenômeno do comércio no fim de ano é a troca de produtos. Muitas pessoas acabam não gostando da cor, do tamanho ou algum outro detalhe que não favoreça o uso do presente. Segundo o Código de Defesa do Consumidor, comerciante só tem a obrigação de trocar produtos com defeito e se não for capaz de reparar o produto após 30 dias. Passado este prazo, ele deve fazer a troca ou devolver o dinheiro ao consumidor. “A troca deve ser feita com muito carinho para que o cliente saia satisfeito. A partir da troca, pode ser feita uma venda ainda maior. O importante mesmo é fidelizar o cliente, pois se ele procura a loja é porque necessita do produto”, declarou Rosane, ressaltando que produtos com embalagem violada não são trocados.
O subsecretário do Procon-RJ, José Fernandes, deu dicas para os consumidores nas trocas de produtos. Segundo ele, as lojas não são obrigadas a trocar presentes que não serviram ou não agradaram. Apesar de fazerem isto por convenção, o ideal é firmar um contrato verbal com o comerciante no momento da compra. Estipular um dia específico para fazer trocas também não é permitido por lei.
“As vendas foram boas e atingimos a meta nas lojas. No dia 27, tivemos um volume muito grande de trocas. Isso atrai venda, pois tem gente que acaba levando produtos que são ainda mais caros”, revelou Geraldo Majela, gerente da Bico da Bota.
Na Opção, para a gerente Maria Cristina Castro, a troca é prioridade e sempre uma oportunidade para melhorar as vendas. As trocas de Natal podem ser feitas até 15 de janeiro. Os produtos devem estar em perfeitas condições e com etiqueta da loja.
De acordo com o Sicomércio, as vendas em 2010 ficaram abaixo do esperado e não apresentaram crescimento em relação a 2009. Os lojistas, em sua maioria, esperavam um crescimento de 10 a 15% no volume de vendas. As causas para o baixo rendimento do comércio na cidade foram a chuva que caiu sobre Petrópolis e o trânsito provocado por obras da Concer, ambos ocorridos no último fim de semana antes do Natal. As lojas que visam o público das classes A e B, contudo, foram as mais prejudicadas.

Tudo pronto para réveillon no Petrô

Tribuna de Petrópolis - 29/12/2010

São esperadas cerca de 1,5 mil pessoas no Réveillon do Centenário
Após 20 anos, o Clube Petropolitano volta a realizar uma festa de réveillon na sua sede da Avenida Roberto Silveira, número 82, no Centro. A festa não se restringe aos sócios e está aberta a todos os petropolitanos e turistas que queiram comemorar a passagem de ano em grande estilo, a partir das 20h30 do dia 31 de dezembro. A principal atração da noite fica por conta da Orquestra Toque e Requinte, no salão principal.
“Estamos com uma boa procura pelos ingressos. Temos uma boa expectativa na venda total e a certeza também de que deve bombar depois do Natal, quando as pessoas pensam realmente no réveillon”, disse Arnaldo Rippel, presidente do clube.
O objetivo da diretoria é resgatar as grandes festas que o clube tradicionalmente promovia. Primeiro, o Baile do Preto e Branco voltou a ser uma das principais atrações do carnaval de Petrópolis, após ficar 13 anos sem ser realizado. Agora, o réveillon do Petropolitano vai acontecer pela primeira vez desde 1990, quando reunia em seus salões cerca de 5 mil pessoas.
A diretoria do clube espera que um público entre mil e mil e quinhentas pessoas esteja presente na festa e que a maioria seja da cidade. Segundo o Petrópolis Convention & Visitors Bureau (PCVB), a cidade vai receber turistas que pretendem curtir uma festa de réveillon na Cidade Imperial e a comemoração do Petropolitano é a mais indicada.
“Tem pessoas que vão se hospedar na cidade e buscam informações de festas próximas ao hotel, se este não oferecer uma grande comemoração. Quem oferecer uma festa de qualidade e preço bacana vai ter um bom retorno. A taxa de ocupação neste fim de ano já está melhor do que nos anteriores”, informou Márcia de Paula, gerente executiva do PCVB.
O réveillon do Petropolitano dá entrada livre para os sócios que estiverem com a mensalidade em dia. Os não associados pagam R$ 50 pela entrada. Para quem quiser adquirir uma mesa, a de dois lugares custa R$ 200 e a de quatro lugares R$ 400. Para quem não é sócio, ao reservar uma mesa terá também que comprar o ingresso. Sendo assim, terá que pagar R$ 600 por este tipo de serviço.
A reserva de mesa dá direito a um espumante e ao serviço de bufê com frios, drinques e sushi bar. A festa conta também com DJ e a transmissão da queima de fogos de Copacabana através de um telão. Os bares ficam abertos até às 4h do primeiro dia de 2011, mas o serviço de bufê se encerra às 0h30. O consumo nos bares do clube não está incluído no ingresso.

Empresa tem mais ônibus para atender demanda de viagens para Cabo Frio

Tribuna de Petrópolis - 29/12/2010

Hoje a empresa já confirmou cinco saídas, mas, se a procura continuar, a empresa pode abrir mais horários
A empresa Única-Fácil, que opera a maior parte das linhas de ônibus que utilizam o Terminal Rodoviário Governador Leonel Brizola, atua em um dos destinos mais procurados por petropolitanos nesta época de fim de ano. A linha Petrópolis x Cabo Frio tem um ônibus que normalmente faz a ligação com o balneário todos os dias, às 18h30, mas para as festividades de fim de ano a linha pode ter até seis saídas da cidade.
“Nós trabalhamos com uma demanda imediata. Assim que enche um ônibus, nós já disponibilizamos outro. A procura por Cabo Frio é muito grande neste fim de ano e devemos ter até 12 ônibus operando nesta linha”, informou o gerente da empresa, José Antônio de Campos Peixoto.
Para hoje, quarta-feira, já estão confirmadas cinco saídas da rodoviária de Petrópolis. Serão às  10h, 13h, 16h15, 18h30 e 21h15. O horário das 10h já costuma ser utilizado no fim de ano e deve funcionar até o carnaval. Para amanhã (30), quatro horários estão com os ônibus lotados e dois ainda têm vagas. Para a volta de Cabo Frio, cinco horários já se encontram disponíveis para a volta, dois deles com todas as passagens já vendidas. A linha Juiz de Fora x Cabo Frio tem sete horários já disponíveis para o trajeto desta quinta-feira e só um deles ainda tem vagas, com saída às 4h57 da cidade mineira.
Já para o Rio de Janeiro, o número de viagens não deve aumentar, já que existem muitos horários disponíveis que têm a Rodoviária Novo Rio como destino, partindo de Petrópolis. Como a linha é muito utilizada por quem trabalha na capital fluminense, o número de passageiros no dia 31 de dezembro não deve ser superior ao número de pessoas que faz a viagem em uma sexta-feira normal, informa a empresa.
Uma opção para quem deseja curtir o réveillon de Copacabana é entrar em contato com uma agência de viagens. Segundo a Única, é grande o número de veículos que são fretados para o evento. Cada ônibus fretado não sai por menos de R$ 700, dependendo ainda do tipo de serviço contratado. Se a viagem de volta só for feita na manhã do dia 1º de janeiro de 2011, será incluída a diária do motorista e o custo do frete fica em mais de 800 reais.

terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Novo relatório do Comitê de Ações Emergenciais

Ascom Prefeitura de Petrópolis - 28/12/2010

Esquina da Montecaseros com a Piabanha ontem/ Hélcio Mano
As fortes chuvas que caíram sobre a cidade na tarde e noite de segunda-feira (27) deixaram o saldo de três pessoas soterradas e resgatadas com vida pelo Corpo de Bombeiros, após desabamento em três residências: uma no bairro Castrioto ( o menino Werley, de 10 anos); outra na Rua Professor Stroller, no Quarteirão Brasileiro (o menino Gabriel, de 11 anos, ainda internado no Santa Teresa) e, a terceira, na Rua João Xavier (uma agente de saúde do bairro, que preferiu não ser identificada).
A Defesa Civil registrou até o momento (17 horas) 214 ocorrências sendo que 80% delas referentes a destruição e/ou desabamentos de terra em vias públicas.  O índice pluviométrico que atingiu o índice de 138 milímetros na tarde de segunda-feira, hoje não passou de 13 milímetros.
Até o momento 56 pessoas foram atingidas diretamente pelas chuvas, sendo que 48 estão desalojadas e oito desabrigadas. O Comitê de Ações Emergenciais criou um abrigo na Escola Municipal São Francisco de Assis, no bairro Duarte da Silveira para alojar quem não tem para onde ir.
Entre as vistorias realizadas pela Defesa Civil na manhã de hoje, destacamos a da Rua João Xavier, 799, onde uma residência desabou parcialmente e a agente de saúde do bairro foi retirada dos escombros apenas com escoriações leves e passa bem. Já na Rua Dias de Oliveira houve mais casos de deslizamentos de residências, uma casa desabou no número 788 A. O outro caso foi no lote 38, onde um deslizamento de terra atingiu a parte de trás de uma residência destruindo quarto e cozinha.
A Defesa Civil alerta para que as famílias que moram em áreas de risco deixem suas casas caso exista qualquer sinal de perigo. A Defesa Civil está em estado de atenção. O telefone para chamados é o 199.

Buraco na Cândido Portinari

Tribuna de Petrópolis - 28/12/2010

Na Rua Cândido Portinari, um buraco foi aberto na via após forte chuva ter caído sobre a cidade na tarde dessa segunda-feira. O ônibus da linha 103 - Cândido Portinari não podia passar enquanto chovia forte. Uma equipe da Águas do Imperador estava no local para fazer os reparos necessários.

Acidente na Mosela

Tribuna de Petrópolis - 28/12/2010

O motorista de carro modelo Daewoo e placa MUE-6364 perdeu o controle do automóvel, que bateu em um poste na altura do número 1160 na Rua Mosela, sob a forte chuva na tarde de ontem, por volta das 17h. A rua estava cheia no momento, pois o rio havia transbordado. O motorista nada sofreu.

Comitê de Ações Emergenciais de Petrópolis divulga relatório

Ascom Prefeitura Municipal de Petrópolis - 28/12/2010


Grande volume de água nas ruas do bairro Mosela, uma das regiões mais atingidas

Durante reunião realizada às 8h30 de hoje (28), na sede da Prefeitura, os integrantes do Comitê de Ações Emergenciais do município, formado por representantes da Defesa Civil, Comdep, Secretarias de Obras, Saúde, Educação, Setrac, Meio Ambiente, Águas do Imperador, Ampla, Corpo de Bombeiros, entre outros órgãos, fizeram um balanço das ações realizadas entre as 17 horas de ontem (27) e as 7 horas da manhã de hoje (28).
Segundo a Defesa Civil foram registradas 121 ocorrências até o momento (após as vistorias desta manhã podem chegar a cerca de 200 ocorrências) entre interdição de vias e deslizamentos de terra em todo o município. As situações mais graves foram registradas em áreas dos bairros Bingen, Mosela e Bataillard. Não houve casos de vítimas fatais no município. Dezoito pessoas estão desalojadas e estão sendo acompanhadas pelo Setrac e duas desabrigadas. Apenas duas crianças foram retiradas de desabamentos e atendidas em hospitais da cidade. O menino Wesley de 10 anos, soterrado no Bairro Castrioto, foi atendido na UPA Centro e depois encaminhado ao Hospital Unimed, de onde já foi liberado. O menino Gabriel, de 11 anos, que sofreu trauma no tórax continua sendo acompanhado no Hospital Santa Teresa .
 Equipes da Comdep, Secretaria de Obras, Ampla e Águas do Imperador trabalharam durante toda a madrugada na limpeza das ruas, obras de reparos em tubulações e restabelecimento de energia elétrica. Ao todo, mais de 300 homens da Prefeitura e das concessionárias estão na região do Bingen e também nos distritos de Itaipava e Posse.    
No momento, o coordenador do Comitê de Ações Emergenciais da Prefeitura, o secretário Luis Eduardo Peixoto, junto com equipes da Prefeitura realiza uma vistoria me toda a região da Mosela e Bataillard.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Coleção com 300 bonecos de Noel

Tribuna de Petrópolis - 24/12/2010



Mãe e filha são as responsáveis pela montagem de uma grande e curiosa coleção. Eunice Rempto, de 82 anos, sempre gostou da figura do Papai Noel e, por muito tempo, pensou que ele realmente existia. Em Além Paraíba, Minas Gerais, ao escutar o sino que chamava os fiéis para a Missa do Galo, achava que era o anúncio da chegada do bom velhinho. Essa admiração fez surgir uma coleção com mais de 300 Papais Noéis.
A filha de dona Eunice, Jarlete Rempto de Moraes, não só ajuda a mãe a adquirir novos itens como também é incumbida de organizar a coleção na sala da casa na Rua Quissamã. Ela também é artesã e está com uma barraca montada no Palácio de Cristal, neste período de Natal, onde vende velas.
“Eu levo um mês inteiro para montar tudo isso. E agora só desmonto também no Carnaval. Dá trabalho, pois todos são guardados em caixas e protegidos com plástico para melhor conservação”, explicou Jarlete.
Logo na entrada da casa, um Papai Noel sentado no telhado dá as boas vindas aos visitantes e vizinhos. É a forma como a vizinhança é avisada que a numerosa coleção já habita a sala de dona Eunice. As crianças sempre se manifestam e costumam até conversar com o enfeite.
“Titia, tira ele da chuva. Ele vai ficar dodói”, disse um menino de oito anos. “Papai Noel, tô comportado”, disse outro de três anos, em relatos transcritos por Jarlete.
A coleção é resultado de 15 anos de compras. E há Papai Noel para todos os gostos. É só pensar em um tipo que logo se encontra. Tem uma orquestra inteira, com cada um tocando um instrumento diferente. Um pula corda, outro dança. Um sobe e desce a escada, outro ainda tira fotos. Quase todos eles tocam alguma tradicional canção natalina. E não podia também faltar a figura clássica no imaginário infantil: o Papai Noel que entra na casa pela chaminé.
É possível imaginar que quando toda a família se reúne para celebrar o Natal, a coleção seja o grande atrativo para as crianças, que não se cansam de admirá-los. Segundo conta Joel Rempto, esposo de dona Eunice, são seis netos e seis bisnetos que fazem do Natal uma grande diversão.
“A coleção que toma conta da sala não devia nem ser desmontada. É a alegria da criançada e depois também fica um monte de caixas amontoadas. Prefiro assim”, afirmou Joel.
Quase todos os bonecos tocam músicas em inglês, mas somente um deles foi comprado nos Estados Unidos e trazido por uma amiga da família. Apesar do idioma estrangeiro, são todos comprados no Brasil, com exceção do já citado, a maioria no Rio de Janeiro e em São Paulo. Das lojas de R$ 1,99 vieram as miniaturas feitas em resina e gesso. Cada um com a respectiva data de compra anotada embaixo. Jarlete, aproveitando o seu dom de artesã, fez um Papai Noel em tamanho natural que está instalado no sofá.
“A gente gasta muita pilha aqui em casa com toda essa coleção Quando compramos pilha, tem que ser em caixa fechada. As crianças adoram e temos que dizer para os mais novos que o Papai Noel está cansado para poderem brincar com outro”, finalizou Joel Rempto.
A espantosa coleção de dona Eunice e Jarlete chama a atenção, pois cada item é único, mas, de acordo com o Guinness Book, o Livro dos Recordes, o canadense Jean-Guy Laquerre, de 74 anos, é o recordista mundial no quesito. Ele tem 25.104 itens de Papai Noel, tendo iniciado a coleção em 1988.

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Carros abandonados na Vila Militar

Tribuna de Petrópolis - 23/12/2010



Carros largados ou mal estacionados prejudicam os moradores

O estacionamento de carros sobre a calçada importuna os moradores da Rua Itália, na Vila Militar, há alguns anos. Já há muito tempo, um morador da parte alta da rua seria o responsável por deixar carros abandonados na via, que acabam atrapalhando o trânsito. Quem reside na rua ainda reclama que, algumas vezes, o caminhão de lixo não consegue passar e a capina também é prejudicada.
“É um absurdo o número de carros estacionados sobre as calçadas. Mesmo com a placa de proibição, param em ambos os lados. Com esse desrespeito, os pedestres são obrigados a andar pelo meio da rua e são vítimas potenciais de atropelamento, uma vez que os carros descem em alta velocidade. Estamos prestes a presenciar acidentes na região”, disse o morador João Henrique Wayand.
Alguns moradores deram declarações sobre os problemas com os automóveis abandonados, mas não quiseram se identificar. Um deles ainda ressaltou mais duas situações do cotidiano da Rua Itália. O primeiro deles é que uma moradora não consegue nem descarregar as compras, pois existe um carro parado bem em frente à sua casa. A outra questão é o medo de assaltos, pois qualquer um pode entrar nos carros e usá-los como esconderijo.
“Eu não posso sequer receber visitas na minha própria residência. Se for uma festa, onde essas pessoas vão parar os carros? Tem morador que nem consegue estacionar perto de sua casa”, desabafou um morador que preferiu não se identificar.
A rua estreita e o estacionamento irregular de veículos forçam o pedestre a andar no meio da rua, o que gera um sério perigo de atropelamento, pois logo após este trecho existe uma forte ladeira onde os carros descem em alta velocidade. Diversos moradores da rua têm constantemente reclamado, mas nada é feito no local.
“Com estes carros, as calçadas estão péssimas. Pretendo recuperar a minha, mas nem isso posso, pois não retiram os carros. Está muito perigoso”, concluiu João Henrique.
Ainda segundo alguns relatos, os serviços da CPTrans poderiam ajudar na questão. O depósito está cheio e por isso os carros não são rebocados. Tem um morador dizendo também que não há reboques disponíveis. Sobre essas denúncias, a assessoria de comunicação da Prefeitura não respondeu.

Presépio: tradição na maioria das paróquias de Petrópolis

Tribuna de Petrópolis - 23/12/2010



Tradição: presépio da Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, montado na entrada do Convento dos Frades Franciscanos, na Rua Montecaseros

O presépio é um dos mais tradicionais símbolos natalinos e, junto com o pinheiro e os presentes, um dos mais antigos tipos de caracterização do Natal. Ele também é uma referência cristã e representa o estábulo com a cena tradicional do nascimento de Jesus em Belém. A palavra presépio advém de praesepe ou praesepium, que, em latim, significa curral.
Em Petrópolis, cada paróquia costuma montar o seu próprio presépio e é uma atração a mais para os visitantes e fiéis católicos, que podem utilizar o local para orações e contemplar a chegada de Cristo. Na Paróquia do Sagrado Coração de Jesus, uma das mais antigas igrejas da cidade, o presépio está montado no Jardim São Francisco, na entrada do Convento dos Frades Franciscanos. A paróquia, que por muitos anos realizava uma exposição de presépios de vários lugares, não organiza mais a mostra.
“Até 2008, tínhamos a exposição que vinha de Guaratinguetá (Seminário Frei Galvão). As fraternidades franciscanas pegavam alguns presépios emprestados de uma coleção montada por um frei. Nós recebíamos cerca de 30 presépios para expor a cada ano, mas eles resolveram montar uma exposição permanente lá e recolheram as peças”, disse Elizabeth Rigoni, secretária da paróquia.
As principais peças da montagem são: o menino Jesus, a Virgem Maria, São José, a manjedoura, os animais, os anjos, os pastores, a estrela e os três reis magos. A manjedoura, revestida de palhas, foi utilizada como berço para o menino e é o local onde se põe a comida para os bichos. Os animais servem para ilustrar a falta de luxo do lugar onde Cristo nasceu. Geralmente são usados burros, bois e ovelhas. Os anjos anunciam a chegada do Filho de Deus. Os pastores simbolizam a simplicidade do povo. A estrela de Belém se coloca acima de toda a cena e serviu como guia para os reis magos.
Conhecidos como Melquior, Baltazar e Gaspar, os reis magos eram sábios vindos do Oriente e conduzidos pela estrela de Belém até o local para adorar o novo Rei dos Judeus. Cada um trazia um presente. O ouro representava a realeza, o incenso significava a oração elevada aos céus e a mirra era uma resina utilizada para embalsamar corpos. Deve-se a eles a troca de presentes no Natal.
A tradição do presépio começou com São Francisco de Assis. O santo fez a primeira montagem no Natal de 1223, quando decidiu celebrar a data não na igreja, mas na floresta. São Francisco tinha o objetivo de montar o presépio para explicar às pessoas mais simples como foi o 
nascimento de Jesus Cristo. Ele fez uso de um cenário natural e de animais vivos para transformar o importante evento em um acontecimento real para as pessoas. A introdução do presépio no Brasil foi feita na Região Nordeste. Os estudiosos atribuem ao franciscano frei Gaspar de Santo Agostinho, no século XVII, a criação do primeiro presépio no Brasil, na cidade de Olinda, em Pernambuco.

Para historiador, internet reavivou cartofilia

Tribuna de Petrópolis - 22/12/2010



Bilhete postal raro do Palácio de Cristal de 1902

Nesta semana, chamou a atenção de petropolitanos um bilhete postal raro do Palácio de Cristal, colocado à venda no Mercado Livre. O produto em questão é de um cartofilista de Curitiba, no Paraná. A relíquia é um suvenir de viagem feita a Petrópolis em 1902. Ele foi postado nos Correios em 6 de março de 1902, por Nenezinha, e o destino era um homem chamado Melitão de Castro e Souza, na então capital federal, o Rio de Janeiro. O texto, em inglês, mostra que Nenezinha e “querido Melitãosinho”, como ela o chama, eram bem próximos. O postal custa R$ 45.  
“Este bilhete postal veio de alguma coleção que eu tenha comprado no Rio ou em São Paulo. Como tenho mais de 20 mil itens e participo de vários eventos de colecionadores pelo Brasil, não tenho como confirmar a procedência. Tenho centenas de cartões postais de todo o país para venda na internet e, muitos, acima de 100 anos”, disse o vendedor do raro postal, que é de Curitiba mas não quis se identificar.
Ainda no mesmo site, é possível encontrar outros postais raros da cidade que vão desde 1902 até o fim da década de 1950. Os preços também são os mais variados. É possível ter itens incomuns por um valor bem pequeno, como um selo comemorativo do X Congresso Internacional de Enfermagem, que aconteceu em Petrópolis no ano de 1953, por apenas R$ 1,60. Se a vontade é de ter um postal mais difícil ainda de encontrar, como um outro cartão também de 1902, é preciso gastar um pouco mais. Este sai por R$ 50.
“Petrópolis teve muitos fotógrafos famosos, que tiveram os trabalhos registrados em cartões postais.  A cidade, pela proximidade com o Rio de Janeiro, recebia muitos turistas na temporada de veraneio, no início do século passado. As famílias se comunicavam através dos postais e assim eles se espalharam pelo país. A internet reavivou a cartofilia”, explicou o professor Joaquim Eloy.
A cartofilia é o nome dado ao ato de colecionar cartões postais, hábito que está em expansão com o crescimento de utilização da internet. Dentro desse hobby, o colecionador pode querer obter qualquer tipo de cartão ou ainda ter o interesse por um filão específico como animais, personagens de desenho animado ou monumentos de variados países.

Verão pode ser um pouco mais quente

Tribuna de Petrópolis - 22/12/2010



Ontem, às 21h38, começou a estação mais quente do ano: o verão. Sob efeito do fenômeno La Ninã, a temporada promete ser de pouca chuva, mas não terá tanto calor quanto o verão de 2010.  O volume de chuva vai ficar dentro da média histórica, e com a La Niña cresce a chance de dias frios. Até domingo, o volume de chuva deve passar dos 110 milímetros na Região Serrana do Rio de Janeiro e no sudeste de Minas Gerais.
“A temperatura deve variar entre o índice normal e um pouco acima disso. Tudo indica que será um verão quente, mas não extremamente quente. A tendência de precipitação vai ficar dentro da média, mas o período pode alternar entre dias secos e outros mais chuvosos”, informou Edilene Moraes, do Terratempo. 
Para marcar o solstício de verão, na madrugada de ontem, um eclipse total da lua foi visto em todo o mundo. De acordo com informações divulgadas pela Nasa, a América do Norte teve uma visão privilegiada do fenômeno. No Brasil, o eclipse lunar teve início por volta das 4h30. 
Um eclipse lunar só é possível durante a Lua cheia. Quando o Sol, a Terra e a Lua estão bem alinhados, o satélite natural pode ficar momentaneamente privado de luz solar, caso esteja sob a sombra da Terra. Este foi o único do ano. Desde 1554, este fenômeno não coincidia com o início do inverno, no hemisfério norte. É também o primeiro eclipse completo desde 2007.
Para a cidade do Rio de Janeiro, este promete ser um verão com menos transtornos, com a instalação de um novo radar para previsões climáticas. De acordo com a Secretaria Municipal de Obras da capital fluminense, o equipamento possibilita o acesso a informações de precipitações que se originam entre as altitudes de 700 e 1,8 mil metros, as quais o radar meteorológico da Aeronáutica, instalado no Pico do Couto, em Petrópolis, não consegue captar por estar situado acima desta altitude.
Com os dias mais longos e o calor, é preciso também tomar alguns cuidados básicos. Ficar muito tempo exposto aos raios solares pode causar problemas à saúde. Se for pegar muito sol e não ingerir líquido suficiente, a pessoa pode ficar com desidratação. Outro problema grave é o câncer de pele, por isso é recomendado evitar tomar banho de sol entre às 10h e às 16h, passar filtro solar e beber muita água.

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

GM flagra homem que tentava furtar lâmpadas

Tribuna de Petrópolis - 19/12/2010



Uma viatura da Guarda Municipal flagrou na noite de sexta-feira, por volta das 21h, um homem tentando furtar peças da iluminação de Natal na Praça da Inconfidência. Ele foi conduzido à 105ª DP, no Retiro, e autuado. O homem pagou fiança e segue em liberdade.
Os guardas municipais faziam a ronda pelo Centro Histórico quando avistaram o homem. Junto dele foi apreendido um alicate que era usado para cortar a fiação com as luzes ligadas, o que causava riscos para o infrator. Conduzido à delegacia, foi descoberto que ele já tinha uma passagem por furto. “Esse é o segundo caso que temos nas operações de Natal na cidade. Na semana passada, a Guarda Turística conseguiu impedir uma ação de vandalismo na Rua da Imperatriz, nas proximidades do Museu Imperial”, disse Eliel Silveira, comandante da GM.
Segundo o comandante, as câmeras espalhadas pelo Centro Histórico de Petrópolis têm ajudado no combate às ações de vandalismo. O monitoramento da GM conta ainda com agentes de inteligência, guardas de trânsito e Guarda Turística. Desde 1º de dezembro também existe uma equipe à paisana no centro da cidade, especialmente para as operações de Natal.


sábado, 18 de dezembro de 2010

Imóveis de Jorgina vão a leilão em até 2 meses

O Globo - 18/12/2010

Alguns dos bens da advogada Jorgina de Freitas serão leiloados em até dois meses, incluindo uma casa em Petrópolis e lotes em Búzios. Ela chefiou uma fraude no INSS, na década de 90, que desviou mais de R$ 1 bilhão dos cofres públicos. Atendendo ao pedido da Procuradoria Regional Federal (PRF) da 2ª Região, o presidente do Tribunal de Justiça, Luiz Zveiter, determinou a realização do leilão dos bens sequestrados. A data definitiva será marcada pela leiloeira pública Norma Maria Machado. 
A fraude foi um dos maiores escândalos da história recente do Brasil. Os envolvidos concediam benefícios acidentários, calculados em duplicidade, que resultavam nas exorbitantes distorções comprovadas pelos procuradores. O esquema envolvia procuradores do INSS, advogados, autoridades e juízes.

PS.: Esta matéria saiu no impresso, página 25.
Segue abaixo link da versão em O Globo on line:


http://oglobo.globo.com/rio/mat/2010/12/18/imoveis-de-jorgina-responsavel-por-fraude-no-inss-vao-leilao-em-ate-2-meses-923321259.asp

Rottweiller mal cuidado provoca mobilização popular

 Tribuna de Petrópolis - 18/12/2010

Policiais militares, acionados por pedestres, chegaram a falar com o homem, que seguiu caminho com o cão
Um rottweiller foi motivo de grande aglomeração de pessoas no Calçadão do Cenip na tarde de ontem. Muitos curiosos paravam para ver o cachorro que era conduzido pelo seu adestrador. O homem tinha dificuldades para caminhar com o cão, que se encontrava mal cuidado.
As reclamações começaram quando o animal se encontrava preso em frente a um restaurante na Rua Nilo Peçanha. O tamanho do cão assustava os pedestres, que temiam uma reação dele.
“O rottweiller ficou umas duas horas preso ali. Isso não pode acontecer. Entrei em contato com a Guarda Municipal, mas eles não podiam fazer nada”, relatou Janaína Patulea.
Irineu foi ajudado por alguns amigos que apareceram em meio ao tumulto que se formou nas proximidades do prédio dos Correios. Segundo depoimentos de pessoas que estavam no local, ele costuma cuidar de cães e mora na Mosela.
“Há cerca de um mês, na Paulino Afonso, ele estava com um filhote de rottweiller. Esses bichos não podem andar soltos. Eles têm que ser bem cuidados e tratados, mas esse senhor não faz isso”, afirmou Marilei Figueiredo.
Segundo Carlos Eduardo, do Gapa, toda a sociedade precisa se conscientizar de que é responsável por cachorros que são abandonados nas ruas de Petrópolis e são maltratados, por isso é preciso se mobilizar.
“O animal é uma vítima. Alguém acabou vendendo ou abandonando o cão. Os animais são protegidos por lei, e a lei deve ser cumprida”, afirmou Carlos.

Governo busca solução para impasse na Acei

 Tribuna de Petrópolis - 18/12/2010

O vereador Gil Magno esteve na Tribuna junto com Rosane para prestar esclarecimentos
A diretora da Escola Municipal Nogueira Pró-Criar e Acei (Associação e Centro Educacional Inclusivo), Rosane Costa Frias, esclareceu ontem que teve o convênio cancelado com a Prefeitura após o Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro (TCE-RJ) tentar obter dados da instituição através da Secretaria de Educação, no governo Bomtempo, e não ter conseguido. O TCE mandou uma notificação pedindo esclarecimentos ao governo anterior, que não foi respondida. Assim, o processo correu à revelia.
Segundo ela, o TCE sugere declaração de ilegalidade do convênio pelo não atendimento de alguns requisitos legais por parte do governo municipal. Entre eles estão a comprovação de que o repasse financeiro em questão é mais econômico para a execução do objetivo almejado, a comprovação de que os valores concedidos são proporcionais aos serviços oferecidos à comunidade e a comprovação de que a Acei possui condições de funcionamento satisfatórias.
Na decisão do Tribunal de Contas, em sessão do dia 27 de outubro de 2009, se encontra também a aplicação de uma multa à Sumara Gannam Brito, que ocupava, à época da investigação, a Secretaria Municipal de Educação e Esportes. A multa tinha o valor de R$ 5.811,60. Ela foi penalizada por não apresentar razões de defesa em notificação enviada pelo órgão.
Rosane Costa Frias, acompanhada do vereador  Gil Magno, afirmou que a irregularidade não é na escola, mas na negligência do governo com o caso. Rosane informou que recebeu ligação do prefeito Paulo Mustrangi, que se mostrou preocupado com a situação e a imagem e credibilidade da Acei.
“A população, os pais e a equipe não querem o fim da escola. A instituição quer firmar um novo convênio com a Prefeitura e espera a reunião na próxima semana”, disse o vereador, que ajuda a instituição.
Na semana passada, Rosane foi à Secretaria de Educação e foi comunicada da decisão do TCE. Ontem, na festa de fim de ano da escola, os pais souberam da notícia e se dirigiram à sede da Prefeitura, exigindo uma posição do prefeito. Uma comissão de pais foi recebida pelo secretário de Fazenda, Hélio Volgari. Foi marcada uma reunião na próxima semana, para que a Prefeitura apresente solução para a questão.
O procurador geral do município, Henry Grazinolli, disse que está em busca de uma solução dentro da lei. Segundo a diretora, a Acei teria sido enquadrada como entidade de assistência social e não de educação.
“Com essa posição, nós perdemos recursos do Fundeb, mas podemos ganhar outra verba, por isso esperamos uma resposta positiva da prefeitura para continuar com nosso projeto”, relatou Rosane.
O contrato que termina em 31 de dezembro não é motivo de desânimo para Rosane e equipe. O comprometimento com as famílias dos 140 alunos faz todos manterem as esperanças de boas notícias antes mesmo do Natal. Além disso, 21 funcionários esperam um bom desfecho das negociações.
“A escola é a vida deles, é lá que eles gostam de ficar. Todos os alunos são incluídos na escola através dos vários projetos que temos, desde a música até a capoeira”, relatou a professora Márcia Paiva.
A assessoria da Prefeitura informou que na próxima quinta-feira, dia 23 de dezembro, o governo participará de uma reunião na unidade da Acei, localizada em Nogueira, às 15h, com pais e profissionais da escola, para tirar dúvidas e informar sobre as medidas que serão tomadas para atender aos alunos no próximo ano letivo.

Imóveis de Jorgina, responsável por fraude no INSS, vão a leilão em até 2 meses

O Globo - 18/12/2010

PETRÓPOLIS - Alguns dos bens da advogada Jorgina de Freitas serão leiloados em até dois meses, incluindo uma casa em Petrópolis. Jorgina chefiou fraude no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), na década de 1990, que desviou mais de R$ 1 bilhão dos cofres públicos. Atendendo ao pedido da Procuradoria Regional Federal (PRF) da 2ª Região, o presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), Luiz Zveiter, determinou a realização do leilão dos bens sequestrados. A data definitiva será marcada pela leiloeira pública Norma Maria Machado.
Serão leiloados também os lotes 6, 7, 8 e 13 do Bahia Blanca, em Búzios, avaliados em R$ 220 mil cada, além do terreno de número 39 do mesmo condomínio, avaliado em R$ 280 mil. Para os demais imóveis sequestrados de Jorgina, cerca de 60, Luiz Zveiter, determinou nova avaliação para que sejam colocados à venda.
A fraude da Previdência foi um dos maiores escândalos da história recente do Brasil. Os envolvidos concediam benefícios acidentários, calculados em duplicidade, que resultavam nas exorbitantes distorções comprovadas pelos procuradores. O esquema envolvia procuradores do INSS, advogados, autoridades e juízes. As fraudes foram cometidas em São João de Meriti, Duque de Caxias e Vassouras.
Em julho de 1992, Jorgina Maria de Freitas Fernandes foi condenada a 23 anos de prisão, mas fugiu do país e só foi presa na Costa Rica. Extraditada para o Brasil, em abril de 1998, esteve sob custódia no Instituto Penal Talavera Bruce e na penitenciária Oscar Stevenson, em Benfica, Zona Norte do Rio, de onde foi solta no dia 12 de junho de 2010. Um mês antes, a advogada foi foi condenada a devolver R$ 200 milhões aos cofres públicos.
O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro deve ainda leiloar mais alguns imóveis em Petrópolis no próximo ano. São dois sítios, dois terrenos e uma casa. O imóvel da Rua Alberto Torres, número 221, é tombado pelo Inepac (Instituto Estadual do Patrimônio Cultural). Localizado no Centro Histórico da cidade, o bem fica em um extenso terreno e está avaliado em R$ 800 mil, ainda que a construção esteja em má conservação. Ele será leiloado em até 60 dias, segundo informou a Advocacia Geral da União (AGU).
Há ainda um prédio na Rua Rockfeller, número 200, no Valparaíso. O local acumula R$ 149.605,98 de dívidas com o município e deve estar em outro lote do leilão em 2011. No mesmo bairro, na Rua Ernesto Paixão, lote 14, encontra-se outro terreno de propriedade de Jorgina, sequestrado pela Justiça. O terreno possui uma área de 477 metros quadrados e, segundo corretores da cidade, deve valer em torno de R$ 100 mil.
Por último, consta também um terreno na Rua Colômbia (quadra 20, lote 06, Quitandinha). O imóvel tem R$ 21.076, 56 de impostos a pagar ao município. Os dois sítios não tiveram o endereço informado pela Procuradoria Regional Federal (PRF) da 2ª Região.
Já uma casa de Jorgina na Avenida Ipiranga 425 está com os impostos em dia. Este imóvel ainda não foi incluído nos bens sequestrados pelo INSS para abater a dívida gerada pelos fraudadores chefiados pela ex-advogada.
Um grupo de trabalho formado por procuradores e servidores do INSS, sob coordenação do Núcleo de Ações Prioritárias da PRF da 2ª Região, já conseguiu, durante 20 anos de atuação, sequestrar inúmeros bens, recuperar boa parte do que foi desviado e bloquear contas bancárias dos fraudadores.

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Manifestação contra fechamento de escola

Tribuna de Petrópolis - 17/12/2010

Pais de alunos e funcionários da escola se reuniram ontem na sede do governo para pedir esclarecimentos
Profissionais e pais dos alunos da Escola Municipal Nogueira Pró-Criar e Acei (Associação e Centro Educacional Inclusivo) estiveram ontem à tarde na sede da Prefeitura Municipal e protestaram contra o fechamento do estabelecimento de ensino. O Tribunal de Contas do Estado (TCE) suspendeu o contrato com a Prefeitura ao encontrar irregularidades na organização.
“A escola não deve acabar. Onde vamos colocar os nossos filhos? Se houver troca de professores, vão encontrar outros igualmente preparados? Como vai ser no próximo ano?”, disse, revoltada, Ana Beatriz de Paula, que tem um filho na escola. As muitas perguntas feitas pelas mães e as dúvidas dos profissionais da escola devem ser sanadas com uma reunião marcada pelo governo municipal para a próxima quinta-feira, dia 23 de dezembro, às 15h, em Nogueira. Os alunos esperam boas notícias e, com isso, um grande presente de Natal.
“A Prefeitura está adquirindo um novo espaço para a instalação da escola. Só podemos divulgar o local com a assinatura do contrato, o que devemos ter na reunião de quinta. Estamos aqui para atender ao povo e garantir qualidade de vida aos alunos”, declarou Alexandre Aragão, diretor do departamento de educação da Prefeitura, que recebeu aplausos dos presentes ao informar a decisão.
A escola fica na Avenida Leopoldina, 561, em Nogueira, e já funciona há 13 anos, com o apoio da prefeitura. É um Centro Especializado de Educação Básica – Educação Infantil e 1º segmento do Ensino Fundamental (1º a 5º anos), que atende crianças com deficiência. A escola conta com uma equipe multidisciplinar nas áreas de fonoaudiologia, fisioterapia, psicologia, orientação educacional e psicopedagogia, além de professores capacitados para um trabalho de inclusão plena com currículo adaptado.
Quem recebeu a comissão de pais na Prefeitura foi o secretário de Fazenda, Hélio Volgari. A diretora, Rosane Costa Frias, não compareceu ao ato. Ela estava internada no Sanatório Osvaldo Cruz (SOC) com problemas de saúde, segundo os manifestantes, gerados pela questão da escola.
Segundo informou a assessoria de comunicação, o contrato entre a Prefeitura e a Acei foi cancelado por determinação do Tribunal de Contas do Estado (TCE), que apontou uma série de irregularidades na instituição. Segundo o secretário de Educação, William Campos, a Prefeitura dará em breve uma solução para atender aos alunos e seus familiares.
“Diante da nossa decepção com as irregularidades denunciadas pelo Tribunal de Contas, não tivemos alternativa se não encerrar o convênio com a instituição”, declarou William.

Mais imóveis de Jorgina serão leiloados

Tribuna de Petrópolis - 17/12/2010

O imóvel da Rua Alberto Torres é tombado pelo Inepac
Alguns dos bens de Jorgina de Freitas serão leiloados em até dois meses, incluindo uma casa em Petrópolis, após pedido da Advocacia Geral da União (AGU). Ela chefiou fraude no INSS, na década de 1990, que desviou mais de R$ 1 bilhão dos cofres públicos.
Em julho de 1992, Jorgina foi condenada a 14 anos de prisão, mas fugiu do Brasil e só foi presa na Costa Rica, em 1997. Esteve sob custódia na penitenciária Oscar Stevenson, em Benfica, Zona Norte do Rio, sendo solta no dia 12 de junho de 2010.
O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ), após avaliação, deve leiloar mais alguns imóveis em Petrópolis no próximo ano. São dois sítios, dois terrenos e uma casa. Um grupo de trabalho formado por procuradores e servidores do INSS tenta recuperar parte do dinheiro desviado através do sequestro de bens e bloqueio de contas bancárias dos fraudadores.
O imóvel da Rua Alberto Torres, número 221, no Centro, é tombado pelo Inepac (Instituto Estadual do Patrimônio Cultural). Localizado no Centro Histórico da cidade, o bem fica em um extenso terreno e está avaliado em R$ 800 mil, mesmo que a construção esteja em má conservação. Será leiloado no prazo máximo de 60 dias, por determinação de Luiz Zveiter, presidente do TJRJ.
Há ainda um prédio na Rua Rockfeller, número 200, no Valparaíso. O local acumula R$ 149.605,98 de dívidas com o município e deve estar no leilão de bens em 2011. No mesmo bairro, na Rua Ernesto Paixão, lote 14, encontra-se um terreno de propriedade de Jorgina, sequestrado pela Justiça. O terreno possui uma área de 477 metros quadrados. 
Por último, se encontra também um terreno na Rua Colômbia – Quadra 20 – Lote 06 – Quitandinha. O imóvel tem R$ 21.076, 56 de impostos a pagar ao município. Os dois sítios não tiveram o endereço informado pela Procuradoria Regional Federal (PRF) da 2ª Região.
Já uma casa na Avenida Ipiranga, 425, de propriedade de Jorgina Maria de Freitas Fernandes, está com os impostos em dia. Este imóvel ainda não foi incluído nos bens sequestrados pelo INSS para abater a dívida gerada pelos fraudadores chefiados pela ex-advogada.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Jorgina perde casa tombada na cidade

Tribuna de Petrópolis - 16/12/2010

Jorgina de Freitas foi solta em junho
O Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJRJ) acolheu pedido da Advocacia Geral da União (AGU) para que seja marcado um leilão de bens sequestrados dos fraudadores do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Serão leiloados imóveis pertencentes a Jorgina de Freitas Fernandes, acusada de chefiar o grupo. Um deles fica em Petrópolis.
Atendendo ao pedido da Procuradoria Regional Federal (PRF) da 2ª Região , o presidente do TJRJ, Luiz Zveiter, determinou a realização do leilão em até 60 dias. A data definitiva será marcada pela leiloeira pública Norma Maria Machado.
Uma casa em Petrópolis, tombada pelo Patrimônio Histórico da cidade, avaliada em R$ 800 mil, está entre os bens que vão a leilão. A casa fica na Rua Alberto Torres, 221, próxima à esquina com a Avenida Dom Pedro I.
Serão leiloados também os lotes 6, 7, 8 e 13 do Bahia Blanca, em Búzios, avaliados em R$ 220 mil cada, além do terreno de número 39 do mesmo condomínio, avaliado em R$ 280 mil. Para os demais imóveis sequestrados de Jorgina de Freitas, cerca de 60, Luiz Zveiter determinou nova avaliação para que sejam colocados à venda.
Um grupo de trabalho formado por procuradores e servidores do INSS, sob coordenação do Núcleo de Ações Prioritárias da PRF da 2ª Região, já conseguiu, durante 20 anos de atuação, sequestrar inúmeros bens, recuperar boa parte do que foi desviado e bloquear contas bancárias dos fraudadores.
Os envolvidos na fraude do INSS concediam benefícios acidentários, calculados em duplicidade, que resultavam nas exorbitantes distorções comprovadas pelos procuradores. O esquema envolvia procuradores do INSS, advogados, autoridades e juízes. As fraudes foram cometidas em São João de Meriti, Duque de Caxias e Vassouras.
O total das ações, organizadas por Jorgina, chegaria a R$ 1,2 bilhão. Em julho de 1992, ela foi condenada a 14 anos de prisão. Até o dia 12 de junho de 2010, estava presa na penitenciária Oscar Stevenson, em Benfica, Zona Norte do Rio, quando foi libertada.

Obra para construção de estação de tratamento leva pedestres para a rua

Tribuna de Petrópolis - 15/12/2010

Sem espaço na calçada, pedestres são obrigados a andar na rua
As obras para a construção da Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do Piabanha na Rua Paulino Afonso, pela Águas do Imperador, têm dificultado a passagem dos pedestres pelo local. A área é bem movimentada, com o Hospital Santa Teresa, uma faculdade e duas escolas nas imediações. 
Segundo moradores da região, em dias de chuva a lama e a falta de espaço na calçada fazem com que as pessoas sejam obrigadas a passar pela ponte em meio ao trânsito, uma vez que a ponte de pedestres está interditada porque se encontra no local da obra.
“Esta ponte é o único acesso para os pedestres, já que a outra foi interditada. Temos que passar pelo meio da rua e isso nos põe em risco”, disse Lucilaura Gomes sobre o perigo encontrado na via.
A falta de segurança na travessia dos pedestres ainda não fez nenhuma vítima. Como opções de passagem se encontram a ponte de acesso à Vila Militar, distante 350 metros, e outra ponte na Rua Carlos Gomes, a 400 metros. A necessidade de ter um acesso mais rápido faz com que a travessia em frente ao Hospital Santa Teresa seja a única opção. 
De acordo com o engenheiro Daniel Pereira, da Águas do Imperador, e a assessoria da própria empresa, no local a sinalização e colocação de cones é feita quando há carga e descarga de materiais para a obra da ETE do Piabanha, e os funcionários também auxiliam no trânsito. O depósito de materiais na calçada é momentâneo. 
A ETE Piabanha tratará 11 milhões de litros de esgotos por dia e vai beneficiar 30 mil moradores na região do Bingen.

Moradores querem impedir melhorias

Tribuna de Petrópolis - 15/12/2010

Moradores de Cascatinha estiveram reunidos numa praça do distrito, na tarde de ontem, e se posicionaram contra obras no espaço. Eles são contra as melhorias que possam atrair o tráfico e a prostituição. A praça é cercada por residências e os moradores não querem tumulto no local.
“Tem outro local aqui perto que já é uma bagunça, nós não queremos isso aqui. Com a colocação de mesas e cadeiras, vai ter um maior movimento à noite, o que nos desagrada. A praça é um local de lazer para nós e assim vai deixar de ser um local familiar”, disse Rosenei de Souza.
O que assustou os moradores foi a presença de uma máquina da Comdep. Algumas pessoas pensaram que seria o início de uma antiga reivindicação dos comerciantes: a realização de obras no local, com a colocação de mesas para os bares. 
A Companhia de Desenvolvimento de Petrópolis (Comdep) esclareceu, através da assessoria de comunicação, que é responsável pela manutenção das praças públicas, isso inclui capina, poda e pintura. A equipe que esteve no local ontem realizava este serviço.
Cerca de quinze moradores estiveram na praça. O receio é de que as melhorias possam atrair mais pessoas para um dos bares que fica aberto até a madrugada. Eles esperam que a área, um lugar essencialmente residencial, não sofra com a desordem já corrente em outros pontos do distrito.

Carros estacionados na rua geram protestos na Mosela

Tribuna de Petrópolis - 15/12/2010

Tanto a rua principal quanto as ruas próximas ao condomínio são com frequência utilizadas para estacionamento
No início de 2009, o Condomínio do Parque Residencial Vinte e Nove de Junho (BNH da Rua Alberto de Oliveira - Mosela) fez mudanças que ainda geram discussões com alguns moradores da localidade. Em frente aos prédios, foram construídos jardins para que fosse evitado o estacionamento irregular, o que obrigou muita gente a buscar áreas próximas para parar na rua, atrapalhando o trânsito de veículos e de pedestres. Apesar das reclamações, a síndica, Ana Cristina Kroker Pelka, garante que as vagas que foram extintas não prejudicaram os moradores.
“As vagas que existiam em frente aos prédios na Rua Alberto de Oliveira não eram preenchidas, em sua maioria, por pessoas do condomínio. Tinha gente que utilizava os carros que ficavam ali até como motel e incomodavam os moradores dos andares mais baixos com o som alto”, disse a síndica, que afirmou ainda ter realocado os automóveis dos condôminos que utilizavam o espaço como estacionamento.
O condomínio tem 192 apartamentos, mas só 80% deles estão ocupados. As vagas disponíveis para estacionamento são em torno de 60. Antes de realizar as obras, foram feitos vários pedidos aos proprietários dos veículos para que evitassem causar problemas no local.
O condomínio entrou em contato com a Prefeitura para obter a liberação das obras e fazer as mudanças pretendidas. Com isso, a Rua Alberto de Oliveira acabou recebendo um grande número de veículos estacionados na rua, atrapalhando o trânsito, principalmente à noite. De acordo com a síndica, a maioria dos veículos não é de moradores do BNH.

Ruas estreitas dificultam passagem

Tribuna de Petrópolis - 11/12/2010

O estacionamento irregular de veículos agrava ainda mais o problema: ruas estreitas demais
Muitas ruas de Petrópolis são estreitas e automóveis estacionados de forma irregular dificultam a passagem de outros veículos. Na Estrada da Saudade, além de todos estes problemas, uma van abandonada dificulta a passagem de carros no local. A principal reclamação dos moradores é a dificuldade que os ônibus e automóveis têm enfrentado. Nas proximidades do Caminho do Fragoso, alguns motoristas esperam mais de 10 minutos quando um ônibus precisa esperar que outros automóveis desçam.
Na Estrada da Saudade, veículos ainda ficam parados nas curvas e obrigam os pedestres a passar na rua, com riscos de atropelamento. A rua também não possui calçada na maioria de sua extensão. 
“Carros parados ao longo da rua atrapalham muito o trânsito, além de poder causar acidentes. A rua estreita já tem problemas com a passagem de ônibus que vão e vêm durante todo o dia, e os pedestres são obrigados a andar na rua pela falta de calçadas”, alerta Sabrina Ramos.
Quando os ônibus quebram, um problema constante na cidade, o trânsito fica parado, causando congestionamento. Durante a semana, o número de carros estacionados irregularmente é maior, mas no fim de semana e feriados ocorrem situações semelhantes no local.
“Tem gente que reclama da aglomeração de pessoas perto dos bares, mas aqui não temos lugar adequado para estacionamento. O certo seria toda construção ter três metros de distância do meio-fio, mas não é o que acontece”, disse o comerciante José Carlos Costa.
Também na Mosela, os problemas com o trânsito são facilmente constatados. A falta de mobilidade se agrava nas proximidades da Igreja de São Judas Tadeu. Carros e motos em estacionamentos irregulares, ônibus, pouco espaço para a carga e descarga de mercadorias no comércio local e a movimentação com o transporte escolar fazem parte dos problemas enfrentados no trânsito pelos moradores do bairro.
Os taxistas também reclamam do grande números de automóveis na Rua Frederico Kronemberger que dificultam a manobra de outros carros na via.